MENU
Carbono
Classificao do Pinus
Colheita
Desdobro
Espcies
Geoprocessamento
Habitao
Manejo
Meio ambiente
Melhoramento
Mercado
Mercado-Europa
Mercado-Oferta
Nutrio
Painis
Pinus Tropical
Plantio
PMVA
Pragas
Preservao
Preservao
Qualidade
Resduos
Resinagem
Secagem
Silvicultura
Sispinus
Usinagem
Anunciantes
 
 
 

REVISTA DA MADEIRA - EDIÇÃO N°68 - DEZEMBRO DE 2002

Plantio

Plantio

Atualmente, comum nas empresas reflorestadoras a aplicao de tcnicas silviculturais semelhantes no que se refere ao replantio, e que consiste na queima da serrapilheira e dos resduos da explorao florestal. Depois disso o preparo do terreno e o plantio e replantio propriamente dito.

Existem variaes quanto a isso, e normalmente esto ligadas aos diferentes tipos de relevo e mtodos de explorao utilizados.

Entretanto, nos ltimos dez anos novas abordagens tm sido dadas aos mesmos problemas e solues alternativas tm sido encontradas, principalmente dentro de uma poltica mais conservacionista.

Nesse sentido temos um exemplo que consiste em uma nova metodologia para o replantio, e substitui a queimada pelo cultivo mnimo ou plantio direto.

O plantio direto atravs do cultivo mnimo, com reaproveitamento dos resduos, feito atendendo as seguintes etapas:

aps o corte e retirada da madeira, espera-se mais ou menos um ms para que os galhos sequem um pouco;

o preparo do terreno feito atravs de um rolo-faca, puxado por um trator de esteira D4SR, que quebra e acama os galhos resultantes da explorao florestal;

os galhos so arredados com enxada, para possibilitar o plantio das mudas (20cm x20cm);

imediatamente aps, possvel entrar com o plantio das mudas.

A primeira vantagem a considerar o ganho de tempo, comparando com o mtodo da queimada que era necessrio esperar aproximadamente 10 meses para secagem e transporte da madeira.

Alm disso, o mtodo traz inmeros benefcios ambientais:

reduo da eroso, atravs da permanncia dos resduos protegendo o solo e aumentando a absoro da gua;

manuteno da fertilidade a longo prazo, pois os resduos sobre o terreno, reduzem as perdas por eroso hdrica e elica, a qual seria muito maior com os resduos sendo mineralizados atravs da queima, ficando assim muito mais suscetveis a ventos e enxurradas. A presena dos resduos tambm reduz a incidncia direta da radiao solar, diminuindo assim a perda dgua por evaporao e a amplitude de variao trmica e hdrica. Estas condies favorecem os organismos do solo, adequando sua sobrevivncia e multiplicao, beneficiando assim a fertilidade e a ciclagem de nutrientes, a qual depende de suas condies biolgicas.

diminuio da quantidade de CO2 liberado atmosfera. Como se sabe, devido a sua alta taxa de crescimento e eficincia fotossinttica, as florestas plantadas possuem uma alta capacidade de seqestro de carbono da atmosfera. Nos resduos remanescentes destas florestas, o CO2 tambm est presente e o ideal evitar que atravs da queima seja liberado de imediato para a atmosfera. Este tema ainda objeto de estudo, mas certo que existem vantagens neste sentido.

Finalmente, as vantagens econmicas aparecem, pois comparando-se os custos de implantao de florestas com a espcie Pinus taeda, o sistema de plantio direto com reaproveitamento de resduos utilizando o rolo-faca, em relao ao sistema anterior com a queima dos resduos, proporciona uma economia de 14,59%,de acordo com dados da Placas do Paran S.A. Este sistema tem sido usado pela Placas do Paran S.A. desde 1994, no municpio de Campo do Tenente (PR).

Maio/2003