MENU
Carbono
Classificao do Pinus
Colheita
Desdobro
Espcies
Geoprocessamento
Habitao
Manejo
Meio ambiente
Melhoramento
Mercado
Mercado-Europa
Mercado-Oferta
Nutrio
Painis
Pinus Tropical
Plantio
PMVA
Pragas
Preservao
Preservao
Qualidade
Resduos
Resinagem
Secagem
Silvicultura
Sispinus
Usinagem
Anunciantes
 
 
 

REVISTA DA MADEIRA - EDIÇÃO N°68 - DEZEMBRO DE 2002

Melhoramento

Melhoramento

Esse levantamento considerou apenas a produo de sementes das empresas RIGESA, Klabin/SC, MOBASA e Valor Florestal (ex-PISA Florestal).

Apesar da quantidade de sementes produzida em PCSs ser suficiente parra produzir 75 milhes de mudas/ano, existe atualmente uma procura maior do que a oferta de sementes de PCSs integrantes de programas de melhoramento bem estruturados, que produzem sementes de qualidade gentica comprovada.

A qualidade gentica da semente deve ser a principal preocupao de quem vai plantar Pinus taeda para produo da madeira. Afinal, o reflorestador vai esperar pelo menos quinze a vinte anos para colheita final do produto, que o corte da rvore para aproveitamento do fuste ou tronco. O perodo de plantio at a colheita talvez seja a principal diferena entre a silvicultura e a agricultura. A maioria das culturas agrcolas tem ciclo anual, isto , os agricultores plantam e colhem a cultura uma vez por ano. Isso significa que se o produtor fizer uma escolha errada da semente, o prejuzo ser restrito apenas naquele ano e a situao poder ser corrigida no ano seguinte.

Assim, no caso do reflorestamento visando a produo a madeira, importante que o produtor invista numa semente com alta qualidade gentica e que possa gerar uma plantao onde, alm de crescerem rpido e produzir madeira de qualidade, as rvores devem ser resistentes pragas, doenas ou clima adverso.

Os melhoristas florestais tm a responsabilidade de produzir sementes geneticamente melhoradas, ou mudas clonadas, com as qualidades j mencionadas. Para isso, eles estabelecem estratgicas de melhoramento gentico que, resumidamente, podem ser entendidas como detalhamento de cada um dos componentes de um programa de melhoramento.

Principais componentes de um programa de melhoramento de Pinus taeda.

De um modo geral, todos os programas de melhoramento gentico partem de uma Populao Base. Esta Populao Base uma plantao originada de sementes de procedncias selecionadas em testes de campo estabelecidos na regio onde ser realizado o plantio em escala comercial. Assim, de suma importncia estabelecer os testes de procedncias em locais representativos (clima e solo) das futuras reas de plantio, Uma regio homognea, onde so selecionadas as mesmas procedncias, chama de Zona de Melhoramento. Na prtica, preciso desenvolver um sub-programa de melhoramento para cada Zona de Melhoramento. Dessa forma, os comentrios a seguir valem para cada Zona de Melhoramento.

A Populao Base deve apresentar uma ampla base gentica que significa uma plantao com mais de 100.000 rvores (no mnimo 60 ha). Essa plantao deve ser originada de sementes colhidas de pelo menos 25 a 50 rvores no relacionadas geneticamente (parentes).

A segunda etapa selecionar as melhores 100 rvores da Populao Base. Assim, se a Populao Base for compota por 100.000 rvores, a seleo ter uma intensidade de 1:1.000 ou 0,1%. Existem basicamente dois mtodo de seleo de rvores mais usados em programas de melhoramento de Pinus taeda.

Seleo fenotpica, que baseada na aparncia da rvores (volume, forma de fuste, conicidade, dimetro do galho, ngulo de insero do galho, etc...);

Seleo baseada nos valores genticos. Esse mtodos de seleo mais sofisticado pois baseado em resultados de teste de prognies. Para obter esses resultados, preciso estabelecer im experimento no campo, com sementes colhidas das rvores selecionadas e esperar qie as prognies (ou filhas) cresam para avaliar o volume, forma de fuste, etc... Isso demanda tempo, que no caso do Pinus taeda, significa pelo menos 8 a 10 anos.

As rvores selecionadas podero ser usadas para duas finalidades:

Produo de Sementes: parte das 100 rvores selecionadas, no caso do nosso exemplo, podero ser propagadas por enxertia para instalao de um PCS Pomar Clonal de Sementes de 1 Gerao. O PCS , ento uma plantao planejada, estabelecida com clones selecionados, isolada contra plen externos e manejada intensamente para produo de sementes em grande quantidade. As sementes produzidas nesse PCS podem ser usadas para estabelecimento de plantaes na regio.

As 100 rvores selecionadas constituiro a Populao de Melhoramento que sero cruzadas entre si, para gerar uma nova Populao Base, nesse caso, de 2 Gerao. Existem duas formas de cruzamento:

b.1) polinizao natural pelo vento;

b.2) polinizao controlada, realizada manualmente pelo melhorista ou tcnico treinado.

A polinizao pelo vento realizada naturalmente no prprio PCS e, portanto, no custa nada. No entanto, estudos recentes, tm mostrado que nem todas as rvores do PCS participam da polinizao. Assim, as sementes colhidas nesses PCSs podem ser usadas para produo de mudas para plantios comerciais, mas no devem ser usadas para melhoramento gentico visando geraes avanadas.

Para gerar a Populao Base de Segunda Gerao e dar continuidade ao programa de melhoramento, preciso, ento realizar os cruzamentos controlados entre rvores que compem a Populao de Melhoramento. Existem vrios mtodos, mas sero destacados apenas alguns mais usados:

Cruzamento com plen mix: usa-se uma mistura de plen de um nmero (uns 10, por exemplo) de rvores selecionadas pelo valor gentico para cruzar com todas as rvores da Populao Selecionada.

Cruzamento em meio diallico: onde cada rvore cruza com todas as outras, mas apenas como pai ou me.

Cruzamento em pares simples: Cruzamento de pares de rvores selecionadas com base nos valores genticos.

Assim, um novo ciclo de expanso (recombinao para gerao da Populao Base) e concentrao (seleo para formar a Populao de Melhoramento) ser iniciado. importante salientar, no entanto, que os ganhos vo se reduzindo a medida que as geraes avanam. Isso natural pois a variabilidade gentica reduzida em cada seleo.

No entanto, a adoo de estratgicas adequadas podero estender as possibilidade de ganhos contnuos e a longo prazo. Estratgias adequadas significam considerar a manuteno da variabilidade gentica mais ampla possvel no ciclo de melhoramento capturar o mximo de ganho gentico, com o conseqente estreitamento da base gentica, nos Pomares Clonais de Sementes.

A melhor estratgia vai depender, portanto, da qualidade do germoplasma disponvel, da qualidade tcnica da equipe responsvel e da disponibilidade de recursos financeiros e tempo.



A geada afeta a produtividade do Pinus taeda?

A ocorrncia de geadas afeta sim a produtividade do Pinus taeda. A espcie nativa no sudeste dos Estados Unidos, encontrou um ambiente adequado para crescimento em reas subtropicais dos planaltos da regio sul do Brasil. A espcie foi, tambm introduzida no Estado de So Paulo, mas sua produtividade superada por outras espcies mais tropicais do gnero Pinus. Assim, pode-se considerar que, no Brasil, a espcie mais produtiva em regies mais frias, onde a geada freqente nos invernos. Isso pode significar que, caso as previses de aquecimento global em funo do efeito estufa sejam confirmadas, parte das reas atuais de plantios com Pinus taeda no Paran e nas regies menor altitude de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, devero ser substitudas por outras espcies mais tropicais.



Como produzir uma madeira com poucos ou sem ns?

J que no existem rvores sem galhos, s h uma maneira de produzir madeira de Pinus taeda sem ns: procurar restringir os ns na regio mais prxima possvel da medula, ou na parte central do fuste. Isso pode ser conseguido pela desrama natural ou atravs de poda manual. Em ambos os casos, o processo facilitado se a rvore tiver ramos finos e abertos, isto , com ngulo de insero mais prximo possvel de noventa graus.



Qual a qualidade da madeira desejada para o Pinus taeda?

Atualmente dificil responder essa pergunta pois a qualidade da madeira depende fundamentalmente da utilizao que se pretende dar madeira e, hoje, o silvicultor est interessado na rvore que produz as primeiras toras para laminao/serraria e o restante do fuste para painis (aglomerados, MDF, etc) ou celulose, Assim, a importncia da qualidade a fibra na fabricao do papel no valorizada na produo de painis ou mesmo na produo da madeira serrada/laminao. Considerando essa situao, a seleo das rvores de Pinus taeda, nos prinicpais programas de melhoramento atualmente desenvolvidos no Brasil, tm priorizado o volume (dimetro, altura e conicidade) e a retido do fuste, a espessura, distribuio e ngulo de insero dos galhos, a densidade bsica da madeira e as dimenses das fibras. O objetivo produzir maior volume madeira em menor tempo (todos os usos), madeira mais densa (madeira serrada e celulose), livre de ns (laminao e madeira serrada), fibras mais longas e com maior espessura de parede (papel).



possvel estabelecer plantaes clonais com Pinus taeda?

Sim, possvel. No entanto o uso de mudas obtidas por enraizamento de estacas para estabelecimento de plantaes clonais em escala comercial, como no caso dos eucaliptos no Brasil e Pinus radiata no Chile, est ainda em fase de pesquisa. Isso porque, diferentemente do eucalipto, o Pinus taeda no pode ser rejuvenescido atravs de rebrota da toua de plantas adultas.

Os chilenos tm estabelecido plantaes clonais utilizando estacas enraizadas de Pinus radiata. Estas mudas so, no entanto, originadas de polinizao controlada entre rvores selecionadas, cujos cruzamentos j tenham sido testados geneticamente. A adoo da metodologia chilena demandar pelos menos dezessete anos, comerciais;

Um ano para instalao do pomar atravs da enxertia;

Cinco anos at que os enxertos estejam florescendo.

Antonio R. Higa

Professor Adjunto de MelhoramentoFlorestal da UFPR

Curitiba, PR

arhiga@floresta.ufpr.br