Voltar

Notícias

(GERAL)
Apex estimula aumento das exportações, diz Queirós
As exportações brasileiras foram incrementadas em 2005 com a atuação da Agência de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex). Segundo o presidente da Apex, Juan Queirós, em 2005 foram realizados 550 eventos no exterior e firmados 420 projetos com o setor privado, representando 55 setores da economia nacional. Em entrevista à Agência Brasil, ele disse que as promoções no exterior foram estratégicas no aspecto da promoção comercial e também da imagem do Brasil.

Segundo o presidente da agência, para a promoção desses eventos no exterior foram gastos R$ 180 milhões, sendo que 50% dos recursos foram investidos pela iniciativa privada. "Todos os projetos tiveram crescimento nas exportações, crescimento de 15% a 76%. Vários setores tiveram um excelente desempenho como, por exemplo, jóias, cosméticos, móveis, mármores e granitos, além dos setores de alimentos e bebidas", disse.

Só na promoção do ano do Brasil na França foram investidos R$ 10 milhões em ações direcionadas ao consumidor final, onde foram fechados acordos com vários pontos comerciais. "Tivemos na França esse ano 8.500 pontos de vendas de produtos brasileiros nas lojas de departamentos e nas principais redes de supermercados. Só nos primeiros 90 dias do ano, nós tivemos um retorno de R$ 450 milhões e, hoje, 50% a 60 % das empresas que participaram dessas ações continuam vendendo seus produtos", explicou.

O trabalho que a Agência de Promoção de Exportações vem realizando, segundo Juan Queirós, é no sentido de consolidar mercados tradicionais, ampliando a participação nesses mercados e abrindo novos nichos de mercado, para diversificar a pauta de exportações brasileiras. "Em janeiro de 2006, estaremos em Frankfurt, na Alemanha, abrindo mais um centro de distribuição para produtos brasileiros no exterior", informou.

Segundo o presidente da Apex, para 2006 estão previstos investimentos de R$ 180 milhões para promoção das exportações brasileiros no exterior e, com a contrapartida da iniciativa privada, os valores poderão ultrapassar R$ 360 milhões. Juan Queirós informou que a intenção é dar prioridade a mercados já abertos em 2003, 2004 e 2005 e consolidar os mercados tradicionais.

Agência Brasil

Fonte:

Anuncie RM Neuvoo