Voltar

Notícias

13
out
2021
(SILVICULTURA)
Ibá lança infográfico sobre mudanças climáticas

Material traz os principais desafios climáticos e como o setor de árvores cultivadas pode contribuir

A Indústria Brasileira de Árvores (Ibá), entidade que representa o setor de árvores cultivadas, do campo à indústria, preparou o infográfico "Mudança do Clima: Por um nova Economia", material simples e direto que destaca como o Brasil, com a consolidação do mercado de carbono, pode contribuir para ser protagonista na nova economia. 

Esta agroindústria é uma das peças fundamentais na mitigação das mudanças climáticas e consequentemente no cumprimento da NDC brasileira (meta nacional no Acordo de Paris), pois possui iniciativas robustas tanto para reduzir emissões quanto para remover carbono da atmosfera. Este é um setor que atua no combate e mitigação e também na adaptação desse cenário. O infográfico detalha atributos e potenciais deste setor que podem posicioná-lo como um dos faróis que iluminarão um novo modelo de negócios no País.

"O Brasil tem potencialidades não apenas para ser muito competitivo nesta nova economia de baixo carbono, mas também para ser protagonista destes novos tempos. Somos um país megadiverso e potência agroambiental, portanto somos parte inescapável das soluções que precisamos construir", explica o Embaixador José Carlos da Fonseca Jr., diretor executivo da Ibá.

Entre os dias 31 de outubro e 12 de novembro de 2021 será realizada a COP-26 de Mudanças Climáticas, e os governos terão a oportunidade de chegar a um consenso sobre o Artigo 6 do Acordo de Paris, que regulamenta um novo mecanismo de mercado de carbono, derivado do atual MDL. O Brasil tem potencialidades não somente para ser competitivo nesta nova economia, mas está em suas mãos ser um dos faróis que ilumina estes novos tempos.

A indústria de árvores cultivadas para fins industriais está do lado certo da equação de combate às mudanças climáticas. Esse setor planta hoje 1 milhão de hectares todos os dias, fornecendo matérias-primas renováveis, recicláveis, biodegradáveis e amigáveis ao clima, à biodiversidade e à vida humana. As áreas de cultivo e conservação chegam a estocar 4,48 bilhões de toneladas de CO2 eq.. Os produtos finais do setor também carregam consigo o carbono que ficou retido na madeira e fibras. Além disso, esse é um setor que possui 90% de sua matriz energética de fontes renováveis, sendo 69% gerado pela própria empresa. 

Com os instrumentos econômicos adequados para apoiar todas essas práticas, o País se tornará cada vez mais relevante, gerando diferenciais competitivos para a economia nacional.

Essa é uma agroindústria do futuro que se caracteriza como um dos principais players no enfrentamento e à adaptação às mudanças climáticas, desde a semente até as mãos do cliente. Acesse o infográfico aqui.

Fonte: Por: Agrolink & Assessoria

Neuvoo Jooble