Voltar

Notícias

16
jun
2019
(SILVICULTURA)
Agrofloresta Urbana floresta aliada a práticas sustentáveis de cultivo

O que é uma Agrofloresta

A agrofloresta, em sua essência, é uma metodologia de plantio que busca entender a forma como a floresta naturalmente se desenvolve, aliado a práticas sustentáveis de cultivo. Ou seja, em uma agrofloresta é possível conjugar o plantio de espécies nativas com frutíferas, hortaliças e leguminosas, trazendo diversidade e riqueza de espécies.

Neste conceito, o solo e os diversos tipos de plantas possuem papéis específicos, seja para melhorar a qualidade do solo, para servir como adubo, para proteção contra o vento, criando um ambiente integrado e harmônico.

Exemplos de Agrofloresta. Fonte: Estação Semente

Conceito de Sucessão Ecológica e Princípios

Pensando em como as florestas se regeneram, a agrofloresta busca trazer os mesmos princípios, seguindo o conceito de sucessão ecológica, onde as espécies mais resistentes ao calor, ao vento e de rápido crescimento começam a consolidar o espaço (espécies pioneiras), tornando possível o início do aparecimento das espécies com maior necessidade de áreas sombreadas e protegidas dos ventos (espécies secundárias e clímax).

Conceito do Processo de Sucessão Ecológica. Criação: Maria Beatriz Ayello

Além disso, para a estruturação de uma agrofloresta é necessário ter em mente os princípios ecológicos, que seguem por exemplo, a não necessidade de adubos ou agrotóxicos, o respeito a sucessão ecológica natural das espécies, o entendimento que diferentes espécies irão se ajudar, a utilização de poda como alimento para o solo e a produção de alimento.

Princípios da agrofloresta. Fonte: Ponto Biologia

Metodologias e Formas de se Criar uma Agrofloresta

Agora, tendo por base estes princípios, como podemos pensar em utilizar este método nas cidades, nas praças, nos quintais ou até em vasos em varandas?

De acordo com o criador deste método, o suíço Ernst Götsch, é possível criar a agrofloresta de grande a pequena escala, e defende inclusive que, esta metodologia, transforma também a forma do relacionamento humano:

“Tenta perceber as formas dadas pela própria natureza! E tu chegarás a criar laços mais íntimos com ela. Isto acarretará mais sensibilidade nos tratos, nas relações com nossos irmãos (seres vivos) no campo e na floresta, bem como nas relações entre os seres humanos”.

Pois bem, a partir disso, é necessário ter em mente qual é o objetivo do seu projeto, pensando na dimensão da área onde será feito o plantio, para definir se a diversidade de espécies será de árvores nativas com frutíferas e hortas, por exemplo, ou com foco em hortaliças, flores e leguminosas em vasos.

O principal é criar diversidade de espécies e prover um solo rico em matéria orgânica, para isso, deve-se entender como cada espécie irá se comportar na sua agrofloresta. A título de exemplificação, se o objetivo é produzir alimento e criar um ambiente de beleza natural, pode-se optar pela relação entre o plantio de maracujá com margaridas, ou plantio de alecrim, orégano com muda de acerola, a diversidade de combinações e forma de estruturar são imensas, valendo-se do objetivo pensado aliado a muita criatividade e personalidade.

Foto de alimentos produzidos em varanda de um agrofloresteiro urbano. Fonte: Carpe Projetos Socioambientais

Cuidados Básicos

Os cuidados da agrofloresta estão intimamente ligados com a complexidade, ou seja, quanto maior o número de espécies, maior a complexidade do sistema. Entretanto, em qualquer plantio de agrofloresta é necessário se atentar para:

• Drenagem: O solo necessita estar bem aerado, sendo necessário revolver-o periodicamente para oxigenar e prover a troca de matéria orgânica;

• Matéria Orgânica e Poda: Neste tipo de plantio, a matéria orgânica e poda estão diretamente relacionados, sendo indicado periodicamente realizar podas nas suas espécies que servirão de adubo para o próprio solo;

• Serrapilheira: Também conhecida como manta morta, é a camada formada pelo deposição de restos de plantas (folhas e ramos) e acumulação de material orgânico, isto pode ser adquirido dentro do seu próprio plantio (se houver plantas que soltam folhas) ou em podas de jardins.

A agrofloresta traz a tona o princípio da sustentabilidade e a relação da própria interação humana, da criação de um ambiente que se autossustenta, trazendo benefícios econômicos, ecológicos e sociais. Este método de plantio inclusive já faz parte de legislações ambientais e de formulação de políticas públicas, podendo trazer um futuro promissor para a criação desses ambientes nas cidades.

Agora que já entendemos o que é uma agrofloresta e como desenvolvê-la, preparado para plantar a sua?

Maria Beatriz Ayello

Fonte: Redação Ambientebrasil

Jooble Neuvoo