Voltar

Notícias

20
fev
2018
(SETOR FLORESTAL)
Estudo setorial reúne principais dados do setor de árvores plantadas no Paraná

Publicação, produzida pela Associação Paranaense de Empresas de Base Florestal (Apre), será lançada no dia 21 de fevereiro

Para mostrar a importância de um setor que vem crescendo significativamente nos últimos anos e tem grandes perspectivas para o futuro, a Associação Paranaense de Empresas de Base Florestal (Apre) vai lançar, no dia 21 de fevereiro, seu primeiro Estudo Setorial, que traz um panorama do segmento no Brasil e no Paraná e a expansão alcançada nas áreas com florestas plantadas, bem como na produção e consumo de produtos florestais, atendendo à crescente demanda mundial. O evento vai acontecer a partir das 14h, na Sala dos Conselhos da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), em Curitiba (PR).

A publicação mostra, entre outros dados, que no Brasil, país com um alto potencial florestal, a área plantada na última década foi bastante ampliada, principalmente com espécies de eucalipto. Hoje, são pouco mais de 7,84milhões de hectares plantados, sendo72% de florestas de eucalipto, 20%de florestas de pinus e 8% de florestas de outras espécies, conforme dados apresentados pela Indústria Brasileira de Árvores (Ibá) para 2016.

Nesse cenário, um dos principais Estados é o Paraná, que detém a maior área plantada com pinus do país e é o sexto maior produtor de eucalipto, o que evidencia a vocação para produção e beneficiamento de produtos de madeira. Na classificação geral com florestas plantadas, o Estado situa-se na terceira posição nacional, perdendo apenas para Minas Gerais e São Paulo. São 967mil hectares plantados - 70% compinus e 30% com eucalipto. Nos últimos anos, a área de florestas plantadas com pinus tem apresentado estabilidade, enquanto que os plantios florestais com eucalipto apresentaram um crescimento na ordem de 9,2%.

“O Estudo Setorial apresenta o panorama de um segmento pujante e com excelentes perspectivas de futuro. O documento retrata a força de um setor produtivo que soube se reinventar ao longo do tempo, agregando tecnologia, precisão, pesquisa e desenvolvimento a todas as etapas do negócio florestal.Estamos diante de uma primeira publicação robusta e dedicada ao Paraná, repleta de conteúdos que servirão para tornar pública toda a grandeza do setor para a sociedade”, destaca o presidente da Apre, Álvaro Scheffer Junior.

Com relação à produtividade, o Brasil lidera o ranking mundial, principalmente pelas condições de clima e solo favoráveis à silvicultura. Mas um fator de destaque são os contínuos investimentos das empresas do setor em tecnologia e aprimoramento de práticas de manejo florestal. No Paraná, os plantios com pinus e eucalipto apresentam valores médios de produtividade florestal cerca de 10% acima da média brasileira, tanto para o pinus quanto para o eucalipto.

Como o Estado possui a maior área plantada com pinus do país, os avanços tecnológicos no manejo e no melhoramento genético para esse grupo de espécies se desenvolveram ao longo das últimas décadas, contribuindo para ganhos expressivos de produtividade, apesar da estagnação na expansão de novas áreas e da conversão para plantios com eucalipto. Mesmo com a retração dos últimos anos, investimentos recentes e outros em andamento no setor de base florestal plantada do Paraná totalizam R$ 8,87 bilhões. Esses investimentos concentram-se principalmente nas florestas (70%), sendo em plantios florestais (52%) e colheita florestal (18%), seguidos pela indústria (21%) e outros (9%).

“Trata-se de montante significativo, o que destaca o setor florestal do Estado no contexto nacional. Somente as associadas à Apre investiram em conjunto em 2016 o montante de R$ 12 milhões em pesquisa e inovação florestal, com estimativa de investir mais de R$ 64 milhões nos próximos cinco anos. A previsão dos próprios associados é de investir pelo menos R$ 2,20 bilhões entre 2017-2021”, comenta Scheffer Junior.

Do total da área plantada do Paraná, 35% concentram-se na RegiãoCentro-Oriental do Estado, 19% na RegiãoMetropolitana de Curitiba, 15% na Sudeste, 15%na Centro-Sul e os 16% restantes pulverizadosnas outras regiões.Dentre os municípios destacam-se Sengés, Jaguariaíva, Telêmaco Borba, Cerro Azul, Tibagi, General Carneiro, Lapa e Guarapuava.Somente as empresas associados à Apre detêm aproximadamente434 mil hectares com florestas plantadasno Estado, representandomais de 41% da área estadual com plantios. Desse total, 74% são de plantios com espécies de pinus, 24% com eucalipto e 2% com outras espécies.

“Essas estatísticas evidenciam a alta representatividadeda Associação no Estado.O restante dos plantios no Paraná, não associadoàs empresas da APRE, é formado porplantios sob controle de empresas e cooperativasligadas ao agronegócio, bem como pequenose médios proprietários rurais, muitos delesatrelados a programas de parceira e fomentoflorestal desenvolvidos por grandes empresas dosetor de base florestal paranaense”, esclarece o presidente da Apre.

Cadeia produtiva – percebe-se uma grande diversidade da cadeia produtiva de base florestal plantada. Celulose, papel, serrado de pinus, compensado de pinus, painéis reconstituídos de madeira, portas de madeira, molduras, móveis de madeira e biomassa florestal são produzidos a partir das árvores. A celulose é um dos principais produtos e atende, principalmente, ao mercado internacional, visto que o Brasil é o segundo maior produtor mundial. O Paraná é responsável por 8%da produção nacional de celulose de mercadoe é o oitavo maior exportador do Brasil. Outro destaque no volume produzido no setor florestal brasileiro é o papel, apesar de os produtos atenderem principalmente ao mercado doméstico. O Brasil é o oitavo maior produtor mundial de papel e a indústria está concentrada principalmente nos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Bahia e Espírito Santo. Neste cenário, o Paraná foi responsável pela produção de 2,16 milhões de toneladas em 2015 - 21% do total nacional – e Estado é o segundo maior exportador desse produto.

Certificação –apesar de a certificação ser voluntária, essa é uma das grandes preocupações do setor florestal, pois se tornou um diferencial competitivo no mercado florestal, já que a demanda mundial por produtos florestais certificados vem aumentando. Das associadas da Apre, pelo menos 18 empresas possuem certificação CERFLOR e/ouFSC - 35% do número total das associadas. Além disso, 65% da base florestal das associadas é certificada.

Preservação –outra grande preocupação do setor é com relação à preservação. O setor de base florestal plantada no Paraná mantém programas de preservaçãode recursos florestais nativos, protegendo a biodiversidade (flora e fauna),solo, mananciais e demais recursos hídricos. Tudo isso serve para manter osprocessos ecológicos essenciais dos ecossistemas existentes no Estado. A participação das empresas associadas à Apre na manutenção dos recursos florestaisnativos e de sua biodiversidade no Estado é significativa: estas empresas preservam maisde 390 mil hectares com florestas nativas - 47% de ocupação da área totalem terras sob sua propriedade e 90% em relação à área plantada. Isso significa que paracada 100 hectares de florestas plantadas, as empresas associadas à Apre possuem mais 90 hectares de floresta de conservação.

Empresas ativas - O setor de base florestal brasileiro totalizou 151,8 mil empresas ativas em 2016, o que representa queda de 2% em relação ao ano anterior, quando atingiu 155,4 mil. Do total nacional, o Paraná respondeu por 10% em 2016, equivalente a 15,5 mil empresas. Além disso, o Estado também registrou queda de 5% no número de empresas ativas em relação ao ano de 2015.

Emprego - No Brasil, o nível de emprego direto e formal das atividades relacionadas ao setor de base florestal plantada apresentou queda de 6,5% entre 2006 e 2016, o que reflete uma redução de 0,7% ao ano. Em 2016, foram 611,1 mil empregos. Já o Paraná foi responsável por 16% dos empregos do setor em nível nacional, totalizando 96.496 empregos. O Estado também ocupa o segundo lugar do ranking nacional de 2016 no total da geração de empregos do setor de base florestal plantada, com 16%, atrás apenas de São Paulo, que ficou com 24%.

“O setor de base florestal plantada do Paraná possui a cadeia mais completa do país. Estão aqui 10% das empresas florestais e um dos parques industriais mais diversificados. O Paraná está consolidado como mercado produtor, consumidor e também exportador de produtos de base florestal com alto índice de contribuição nos indicadores setoriais nacionais. Temos ampla tradição e potencial florestal e industrial, com vantagens comparativas e competitivas que permeiam toda a cadeia produtiva de valor da madeira plantada - floresta, indústria e mercado”, completaAlvaroScheffer Junior.

Sobre a Apre

A Associação Paranaense de Empresas de Base Florestal (APRE), fundada em 1968, com sede em Curitiba (PR), é uma entidade sem fins lucrativos que congrega 51 empresas da cadeia produtiva de base florestal de diferentes segmentos de mercado. As empresas associadas à Apre representam mais de 41% da área com floresta plantada no Paraná, evidenciando sua representatividade do setor de base florestal no Estado e no Brasil.Além das empresas, também são associadas à APRE 11 instituições de ensino e pesquisa, que formam o conselho científico, o que dá à entidade a base para uma atuação representativa e política forte.

Há quase 50 anos, a Associação é referência de apoio ao setor no Estado do Paraná e no Brasil, com interação contínua junto às empresas e agentes setoriais de forma a promover e fortalecer ações produtivas do setor florestal paranaense.

Fonte: APRE

Neuvoo Anuncie RM