Voltar

Notícias

10
fev
2018
(LOGÍSTICA)
Estratégia em logística garante redução de custo operacional

Melhorias foram aplicadas em três pontos e trouxe a redução de 2% de todo o custo operacional do Pátio de Madeira de Jacareí
Painel Florestal

A Fibria, empresa brasileira líder mundial na produção de celulose de eucalipto a partir de florestas plantadas, investe constantemente na melhoria dos processos de produção de celulose. Com base nisso, o pátio de madeiras da unidade da Fibria, em Jacareí (SP), recebeu um pacote de melhorias que reduziu em 2% todo o custo operacional da área e também conquistou resultados positivos em segurança e estocagem.

O mapeamento dos pontos a serem melhorados foi realizado durante um encontro anual de executivos e profissionais de Logística da Fibria. "Identificamos a possibilidade de aprimorar três pontos que resultariam em ganhos significativos a médio prazo. Esses pontos contemplaram a substituição das gruas do pátio, a altitude das pilhas de madeiras e a limpeza dos caminhões. Após um ano, colhemos bons frutos dessa estratégia", diz o especialista da Logística Florestal, Luciano Aparecido Venâncio.

Uma das ações estratégicas contemplou a substituição das gruas do Pátio de Madeiras por outras mais modernas, porém com as mesmas especificações técnicas. Com as novas máquinas, foi possível reduzir o consumo de diesel, que passou de 17 litros por hora para 12,5 litros por hora.

Outra observação que contribuiu para a eficiência do pátio foi a altitude das pilhas de madeiras. Normalmente as pilhas de toras de madeira costumam ter cerca de sete metros de altura. A partir de análises e testes de campo, a equipe Logística começou a trabalhar com 50% das pilhas de madeira em toras com oito metros de altura. A melhoria trouxe ganhos operacional e estrutural.

A limpeza de caminhões pode até ser simples, porém, a partir de uma visão estratégica, ajustes nessa atividade podem trazer ganhos significativos. Foi isso que a equipe de logística enxergou ao analisar que, após o caminhão descarregar a madeira no pátio, o motorista precisava fazer a limpeza do veículo com uma grande vassoura, o que lhe custava tempo.

Em parceria com a Expresso Nepomuceno, transportadora contratada pela Fibria, foi desenvolvido um soprador que dispensa o trabalho manual. Os testes desse equipamento começaram na segunda linha de produção de celulose da Fibria em Três Lagoas (MS) e, agora, estão acontecendo na Unidade Jacareí (SP). "Com a mudança, já verificamos a redução de 25% do tempo de permanência dos caminhões no Pátio de Madeira. A ideia é avaliar um sistema de limpeza ainda mais robusto para implantar em 2018", acrescenta Venâncio.

 

Fonte: Painel Florestal

Anuncie RM Neuvoo