Voltar

Notícias

20
dez
2017
(SILVICULTURA)
Plantio de clones próprios da Eldorado inicia com produtividade elevada

A Eldorado Brasil já começa a produzir em seu viveiro em Andradina (SP) plantio de clones próprios de eucalipto desenvolvidos dentro de seu programa de melhoramento genético. Batizados de ELD1 e ELD2, esses materiais genéticos apresentam produtividade média de 16% superior em comparação aos utilizados hoje pela companhia.

Esse é o primeiro passo da Eldorado em direção à sua meta de plantar apenas plantio de clones próprios selecionados em seu programa de melhoramento genético até 2023.

Os primeiros plantios destes clones em escala piloto serão realizados em fazendas arrendadas pela empresa no Mato Grosso do Sul, em 2018.

Desde sua fundação, em 2012, a companhia investiu mais de R$ 7 milhões no programa de melhoramento genético florestal. Normalmente, o processo para desenvolver um novo material genético demora 12 anos. Para conseguir lançar os primeiros clones em apenas cinco anos, a estratégia da Eldorado atrelou a aquisição de uma ampla base genética florestal à compra de áreas plantadas com uma rede de experimentos de melhoramento genético.

“Ao formamos uma base genética em um curto espaço de tempo, demonstramos mais uma vez a celeridade de nossos processos e a expertise de nosso time”, afirma Germano Vieira, diretor Florestal da Eldorado.

Mais de 2 mil clones vindos do plantio de clones próprios

A partir do melhoramento florestal, a empresa criou sua rede experimental, que conta com mais de 2 mil clones de eucalipto  vindos do plantio de clones próprios em todo o país e testou em diferentes localidades de suas fazendas. A partir desses materiais, a Eldorado desenvolveu 95 matrizes para formar seu pomar de hibridização, de onde já foram produzidos 285 mil indivíduos novos (sementes), que seguiram para avaliação em campo e futura seleção de novos clones elites, como ELD1 e ELD2.

“A diversidade de clones é fundamental para minimizarmos potenciais eventos futuros ligados a mudanças climáticas e surgimento de novas pragas e doenças. Clones proprietários dão ainda mais autonomia à Eldorado, ao mesmo tempo em que garantem maior eficiência na produção florestal de larga escala”, complementa Márcio Bernardi, gerente de Tecnologia Florestal.

O próximo passo da Eldorado é trabalhar com ferramentas de biotecnologia, como seleção genômica ampla, para garantir mais assertividade na eleição dos melhores clones.

Fonte: CeluloseOnline

Neuvoo Anuncie RM