Voltar

Notícias

09
out
2017
(BIOENERGIA)
A América Latina lidera o uso de energia renovável no mundo

Ministros de Energia de 19 países latino-americanos concordaram em um Plano de Ação 2018-219 para a transição para políticas de energia renovável. O plano foi aprovado durante a III Reunião Ministerial da Aliança de Energia e Clima das Américas (ECPA) realizada nos dias 7 e 8 de setembro em Viña del Mar, Chile.

O Plano de Ação é um roteiro que contém iniciativas concretas em torno de atividades colaborativas e resultados em favor da energia sustentável. No total, os países identificaram mais de 30 ações colaborativas relacionadas aos sete pilares fundamentais da ECPA alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030. Os pilares são: eficiência energética, energia renovável, uso mais eficiente e menos poluente de combustíveis fósseis , infra-estrutura energética, insuficiência energética, integração regional da energia e pesquisa e inovação em energia.

De acordo com dados do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), 60% da eletricidade da região vem de fontes renováveis, enquanto a taxa de acesso é de 96% - com exceção dos países atrasados como o Haiti, onde menos da população tem eletricidade. O representante do BID na reunião, Ariel Yépez, comentou que "se outras regiões são revistas, a comparação é esmagadora. A América Latina é a região mais verde do mundo, com uma maior parcela de energia renovável ". O fornecimento de recursos de energia renovável na América Latina e no Caribe é suficiente para cobrir mais de 22 vezes a demanda projetada de eletricidade até 2050 - atendendo uma população de 782 milhões, segundo estimativas das Nações Unidas.

Responsável por propor e implementar projetos de energia, Yépez disse que os governos da região estão conscientes de que devem facilitar e promover a participação do setor privado em projetos de energia para obter o investimento necessário. Ele também destacou o exemplo do Uruguai, que incorporou a energia eólica como fonte de eletricidade, bem como os casos de Bolívia, Equador, Honduras e Nicarágua, onde a energia solar tem sido usada para fornecer eletricidade para áreas rurais.

A ECPA é uma plataforma para a cooperação hemisférica criada na V Cúpula das Américas realizada em Trinidad e Tobago em abril de 2009. Durante a Segunda Reunião Ministerial realizada em Mérida em 2015, os ministros concordaram em fornecer à ECPA uma estrutura de gestão e o mandato de desenvolver um Plano de Ação Hemisférico sobre Energia e Clima. A Terceira Reunião Ministerial foi o local para uma troca de pontos de vista concreta sobre os pilares da ECPA, para promover o diálogo entre os países, bem como entre os setores público e privado e promover sinergias a nível regional para avançar para a transição energética nas Américas. O BID apresentou durante o encontro o progresso do projeto de integração de energia nas Américas e patrocinou o diálogo público-privado. A Organização dos Estados Americanos (OEA) foi coordenadora técnica da ECPA desde a sua criação.

Relatório ICTSD

Fonte:

Fonte: ICTSD/Remade

Anuncie RM Neuvoo