Voltar

Madeiras brasileiras e exóticas

Guaritá

Nome científico
Virola bicuhyba

Descrição da árvore

Forma: árvore caducifólia, com 10 a 20m de altura e com 40 a 60cm de DAP, podendo atingir até 30m de altura e 100cm de DAP, na idade adulta.
Tronco: reto, raramente aparecendo ocos, apresentando sapopemas na base do tronco. Fuste geralmente muito longo, podendo passar facilmente de 15m até 20m de comprimento.
Ramificacão: dicotômica. Apresenta copa muito pequena (em altura e largura) em relação ao tronco, com folhagem apresentando uma tonalidade laranja-avermelhada de bonito efeito nos meses de agosto e setembro, o que ajuda a identificação da planta mesmo à distância, nesta época.
Casca: fina, com espessura de até 5 mm. A casca externa é lisa, não deiscente e de cor cinza-azulada, importante para o seu pronto reconhecimento.

Características da Madeira
Massa específica aparente: a madeira do guaritá é densa (0,97 g/cm3), a 15% de umidade (Mainieri & Chimelo, 1989).
Cor: cerne de coloração uniforme e bem diferenciado do alburno, bege-rosado quando recém-polido, escurecendo para castanho-avermelhado quando exposto ao ar. Madeira rosa-clara quando recém-cortada, chegando até ao vermelho, com veios mais escuros quando exposta ao sol. Alburno de cor branca-amarelada, com cerca de 7cm de largura, sendo 2cm de transição alburno-cerne.
Características gerais: superfície lisa ao tato e de pouco brilho, textura média; grã ligeiramente inclinada; cheiro e gosto imperceptíveis.
Durabilidade natural: de grande durabilidade quando exposta, bem como fincada na terra ou dentro da água. A madeira das árvores maduras é muito mais durável que a das mais novas. Madeira resistente ao ataque de organismos xilófagos (Mainieri & Chimelo, 1989). Estacas soterradas por 20 anos, indicam que a vida média da madeira desta espécie é inferior a doze anos (Rocha et al., 2000).
Preservação: madeira impermeável às soluções preservantes quando submetida a impregnação sob pressão.
Outras Características
• Nas árvores novas, e indivíduos de até 40cm de DAP, a quantidade de alburno é muito grande.
• A madeira do guaritá é difícil de partir, e desprende uma seiva com cheiro muito forte (Salvador & Oliveira, 1989).

Espécies Afins
O genêro Astronium Jacq. apresenta aproximadamente dez espécies do México à Argentina (Barkley, 1968); é muitíssimo importante no Brasil, só não ocorrendo naturalmente em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul. No Rio Grande do Sul ocorre Myracrodruon balansae, anteriormente conhecido por A. balansae. A. graveolens é espécie bastante próxima de A. fraxinifolium Schott, de quem era considerado sinônimo. A. fraxinifolium apresenta flores amarelo-esverdeadas, folíolos pubescentes quando novos e oblongos.

Produtos e Utilizações
Madeira serrada e roliça: a madeira do cerne do guaritá pode ser usada para acabamentos internos em construções externas, como dormentes, mourões, postes, esquadrias, cruzetas, estruturas, folhas faqueadas, vagões e carrocerias, móveis, lambris, peças torneadas, tacos e tábuas para assoalho etc.
Energia: lenha de boa qualidade.
Celulose e papel: espécie inadequada para este uso.

Ocorrência Natural
Latitude: 7º S (Paraíba) a 24º20' S (Paraná).
Variação latitudinal: de 30m no Espírito Santo a 900m de altitude, no Estado de São Paulo.

Gell Anuncie RM Neuvoo