Voltar

Madeiras brasileiras e exóticas

Guaraperê

Nome científico
Lamanonia ternata

Descrição da árvore

Forma: árvore semicaducifólia, com 3,5 a 15m de altura e 20 a 40cm de DAP, podendo atingir até 30m de altura e 80cm de DAP, na idade adulta. No Nordeste, do Brasil atinge até 12m de altura (Rizzini, 1976).
Tronco: cilíndrico, reto a suavemente inclinado, com lenticelas. Fuste geralmente curto, podendo atingir até 10m de comprimento.
Ramificação: cimosa, dicotômica a tricotômica. Copa larga a geralmente achatada, provida de folhagem pouco densa.
Casca: com espessura de até 17 mm. A casca externa é acastanhada a cinza-escura, sulcada, decompondo-se em fendas curtas (Ivanchechen, 1988). A casca interna é bege-rosada ou alaranjada.

Características da Madeira
Massa específica aparente: a madeira do guaraperê é moderadamente densa (0,55 a 0,75 g/cm³), a 15% de umidade (Araújo & Mattos Filho, 1981; Paula & Alves, 1997).
Cor: o alburno de coloração bege a bege-claro-rosado, e o cerne bege-escuro, levemente rosado.
Características gerais: superfície lisa ao tato e com brilho pouco acentuado; textura fina; grã direita. Gosto e cheiro indistintos.
Outras características
A madeira geralmente apresenta alto teor de sílica (Teixeira, 1977).

Espécies Afins
Lamanonia Velloso é um gênero exclusivamente sul-americano, ocorrendo no Brasil, Paraguai e Argentina. Atualmente, este gênero consta de cinco espécies (Zickel, 1988).

Produtos e Utilizações
Madeira serrada e roliça: uso local, principalmente em serraria, marcenaria, tabuado em obras não expostas e na fabricação de lápis.
Energia: produz lenha de boa qualidade.
Celulose e papel: espécie adequada para esse uso.
Substâncias tanantes: princípios taníferos da casca empregados em trabalhos rudimentares de curtição de couro.

Ocorrência Natural
Latitude: 8º10' S (Pernambuco) a 30º S (Rio Grande do Sul).
Variação latitudinal: de 60m no Paraná, a 1.650m de altitude, em São Paulo.

Anuncie RM Neuvoo