Voltar

Madeiras brasileiras e exóticas

Caviúna

Caviúna

Nome científico
Machaerium scleroxylon

Descrição da árvore
Forma: árvore perenifólia, com 10 a 20m de altura e 30 a 50cm de DAP, podendo atingir até 30m de altura e 80cm de DAP, na idade adulta.
Tronco: reto a levemente tortuoso e acanalado, podendo ter sapopemas na base. Fuste com até 10m de comprimento. As brotações e a planta toda apresentam espinhos que medem até 5cm.
Ramificação: dicotômica a irregular. Copa ampla, paucifoliada com folhagem verde-clara, apresentando ramos ponteiros com pequenos espinhos.
Casca: com espessura de até 15 mm. A casca externa é cinza-escura a marrom-escura, lisa, lenticelada, esfoliando facilmente, soltando placas alongadas e estreitas que, ao caírem, deixam marcas claras e lisas no tronco. A casca interna é avermelhada e fibrosa.

Características da Madeira
Massa específica aparente: a madeira da caviúna é densa (0,80 a 0,99 g/cm³), a 15% de umidade (Pereira & Mainieri, 1957; Mello, 1972; Paula & Alves, 1997).
Cor: alburno amarelado, nitidamente distinto do cerne. Cerne variável, do pardo-castanhado-avermelhado, com listras longitudinais mais escuras.
Características gerais: superfície lisa ao tato e irregularmente lustrosa; textura fina e uniforme. Cheiro agradável, mas pouco perceptível e gosto imperceptível.
Durabilidade natural: madeira de alta resistência ao ataque de organismos xilófagos, em condições favoráveis ao apodrecimento. O alburno é suscetível ao ataque de fungos (Mainieri & Chimelo, 1989).
Preservação: madeira de baixa permeabilidade às soluções preservantes.

Espécies Afins
Ocorrem cerca de 120 espécies do gênero Machaerium Pers. do México à Argentina, das quais, quase uma centena no Brasil (Hoehne, 1941). São espécies próximas de Machaerium scleroxylon: Machaerium villosum Vogel, conhecida por jacarandá-paulista, com ocorrência quase na mesma área de distribuição da caviúna e Machaerium acutifolium Vog. conhecida por bico-de-pato, com ocorrência também na mesma área. Essas duas espécies são diferenciadas pela casca lisa e marmorizada de Machaerium scleroxylon.

Produtos e Utilizações
Madeira serrada e roliça: a madeira de caviúna é indicada em construção civil, como caibros, vigas, ripas, marcos de portas e janelas, venezianas, tábuas e tacos para assoalhos; móveis finos e de luxo, painéis, marchetaria, peças torneadas, molduras, objeto de adorno, faqueados, lambris; tacos para bilhar e cabos de ferramentas (Ghilardi & Mainieri, 1964).
Energia: lenha de boa qualidade.
Celulose e papel: espécie inadequada para esse uso.
Constituintes químicos: foram encontrados dalbergiones, especialmente R-3,4-dimethoxydalbergione e seu quinol. Eles são responsáveis pelos efeitos sensibilizantes (Gottlieb & Mors, 1980).
Reflorestamento para recuperação ambiental: a espécie é recomendada para reposição de mata ciliar, em locais sem inundação.

Ocorrência Natural
Latitude: 12º S (Bahia) a 24º20' S (Paraná).
Variação altitudinal: de 30m no Rio de Janeiro a 1.150m de altitude, no Distrito Federal.

Neuvoo Anuncie RM