Voltar

Madeiras brasileiras e exóticas

Aroeira salsa

Aroeira salsa

Nome científico:
Schinus molle

Descrição da árvore

Forma: árvore perenifólia, com 3 a 12m de altura e 15 a 35cm de DAP, podendo atingir até 25m de altura e 100cm de DAP, na idade adulta.
Tronco: grosso e curto, ramificado a pouca altura, algo inclinado e tortuosos.
Ramificação: flexível e pendente. Copa larga, com até 8m de diâmetro, geralmente arredondada e de forma pendular.
Casca: com espessura de até 10mm. A casca externa é cinza-avermelhada, rugosa e escamosa A casca interna é amarelada

Características da Madeira
Massa específica aparente: a madeira da aroeira-salsa é muito densa (1,18 a 1,22 g/cm3), a 15% de umidade.
Cor: o alburno é de coloração branca, e o cerne de coloração parda-avermelhada com veios escuros
Durabilidade natural: é durável, quando exposta às intempéries..
Outras características: Madeira pouco elástica, rachando com facilidade. Sua trabalhabilidade é fácil. Caracteres anatômicos da madeira desta espécie podem ser encontrados em Moglia & Gimenez (1998).

Espécies Afins
Schinus Linnaeus, é um gênero com 27 espécies, distribuídas nas Américas, desde o México até a Argentina. Entre as várias espécies do gênero existentes no Brasil, S. molle é muito próxima de S. dependens Ortega, diferenciando-se por esta última espécie ser espinhosa.

Produtos e Utilizações
Madeira serrada e roliça: a aroeira-salsa apresenta uso limitado. Geralmente, poucas aplicações locais em construção civil, marcenaria, esteios e trabalhos de torno. Muito utilizada para mourões de cerca. Aos seus postes são atribuídas durabilidade de 50 anos, pelo conteúdo de tanino (Hueck, 1972).
Energia: relativamente boa para lenha e carvão
Celulose espécie inadequada para este uso.

Ocorrência Natural
Latitude10º S (Peru) a 34º S (Argentina). No Brasil, de 21º S (Minas Gerais) a 31º40' S (Rio Grande do Sul).
Variação latitudinal: de 35 m (Rio Grande do Sul) a 1.100 m (Santa Catarina) de altitude no Brasil. Atinge altitude de 2.800 m no Peru e até 3.300 m na Bolívia (Killean et al., 1993). No México, onde não é nativa, é cultivada de 1.600 m a 2.700 m de altitude.

Neuvoo Anuncie RM