Voltar

Madeiras brasileiras e exóticas

Timborana

Timborana Nome Científico:
Piptadenia suaveolens (Mcq) Mimosaceae.

Outro nomes e Espécies Afins:
Fava-Folha-Fina, Faveira-Folha-Fina, Paricá-Branco, Paricá-Grande-da-Terra-Firme, Angico, Angico-Vermelho, Timbaúba.

Nomenclatura Estrangeira:
Timborana (Internacional)

Ocorrência:
A Espécie comum no Amazonas, Amapá, Pará e Rondônia.

Características Gerais:
Madeira pesada, de cor castanhas muito pálida, textura média e grã direta, com gosto e cheiro indistintos.

Durabilidade Natural:
Madeira durável, de alta resistência ao ataque de fungos e insetos.

Propriedades Físico-Mecânicas:

Densidade de massa aparente (15%) 720 Kg/m3
0,72 g/cm3
Contrações Radial 4,90% -o-
Trangencial 7,10% -o-
Compreensão axial*: Limite de resistência madeira (15%) 68 MPa 697 kgf/cm2
Flexão estática Limite de resistência madeira (15%) 126 MPa 1.285 kgf/cm2
Módulo de elasticidade - verde 12.062 MPa 123.000 kfg/cm2
Dureza Janka - verde - Topo 6.982 N 712 Kg
*compressão paralela às fibras.-Fonte: IPT (1989)

Trabalhabilidade:
Sua tratabilidade é difícil, devido à impermeabilidade do cerne.

Indicações de Uso:
A madeira é usada na construção civil pesada externa e leve, interna, externa e de esquadrias. Utilizada também como assoalhos doméstico, armação de móveis, lâminas decorativas e compensados, cabos de ferramentas e utensílios, embalagens e paletes, artigos de esporte e brinquedos, decoração e adrono, bobinas e carretéis.

Processamento:
A Timborna apresenta difícil aplainamento e serragem, mac om bom acabamento. A secagem é muito rápida, embora apresente defeitos.
Neuvoo Anuncie RM