Voltar

Madeiras brasileiras e exóticas

Angelim-Amargoso

Angelim-Amargoso

Grupo: pode incluir os gêneros Vatairea (V.guianensis, V. paraenses, V. sericea) e Vataireopsis spp. inclusive V. speciosa, comercializados indistinta¬mente como angelim-amargoso.

Observação: no Brasil, as madeiras de angelim-amargoso pertencem aos gêneros Vatairea e Vataireopsis, que produzem madeiras pesadas, duras, de coloração castanha-amarelada a castanha-avermelhada, com forte gosto amargo. Essas madeiras são comercializadas indistintamente como angelim-amargoso. Como essas madeiras são semelhantes nas suas ca¬racterísticas e no comércio têm o mesmo valor, nesta ficha são tratadas em conjunto.

Outros nomes: amargoso, angelim, fava, fava-amarela, fava-amargosa, faveira, faveira-amarela, faveira-bolacha, faveira-de-impigem, faveira-grande-do-igapó.

Ocorrência: Brasil - Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima.

CARACTERÍSTICAS GERAIS

Características sensoriais: cerne e alburno distin¬tos pela cor, cerne castanho-amarelado ou castanho-avermelhado; com aspecto fibroso; cheiro imperceptível; gosto amargo, densidade alta; grã direita a irregular; textura grosseira (IPT, 1989b).

Descrição anatômica macroscópica

• Parênquima axial: visível a olho nu paratraqueal aliforme, com extensões laterais longas e largas, formando confluências curtas oblíquas e eventualmente tendendo a formar faixas

• Raios: visíveis somente sob lente, no topo e na face tangencial, podendo ocorrer estratificação irregular

• Vasos: visíveis somente sob lente, no topo e na face tangencial; porosidade difusa, poucos, médios, eventualmente grandes, solitários e múltiplos, estes ocasionalmente em cadeias radiais

• Camadas de crescimento: pouco distintas, demarcadas por finas faixas de parênquima marginal (IPT, 1983)

DURABILIDADE / TRATAMENTO

Durabilidade natural: O cerne apresenta alta resistência ao apodrecimento e à ação de cupins de madeira seca (IPT, 1989a). Madeira susceptível ao ataque de brocas e organismos marinhos (Prospect, 2003).

Tratabilidade: Em ensaios de laboratório, em tratamentos sob pressão, demonstrou ser mode¬radamente permeável às soluções preservativas (IPT, 1989a).

CARACTERÍSTICAS DE PROCESSAMENTO

Trabalhabilidade: A madeira de angelim-amargoso apresenta comportamento moderadamente bom no processamento mecânico, porém apresenta tendência a levantamento de fibras ao ser aplai¬nada (IBAMA, 1997a). As operações de torneamento, furação e pregação são fáceis (IPT, 1989b).

Secagem: A secagem ao ar com velocidade moderada resulta em pouco ou nenhum defeito. Rápida secagem em estufa, com moderada tendência ao encanoamento e torcimento médios (IBA¬MA, 1997a).

PROPRIEDADES FÍSICAS

Densidade de massa

Aparente a 15% de umidade: 936 kg/m3 (IBAMA, 1997a)

Contração

Radial: 4,8% / Tangencial: 9,8% / Volumétrica: 14,0%

Para comparar esses valores de contração (CCOPANT) com aqueles obtidos pela Norma ABNT (CABNT) é necessário transformá-los usando a equação: CABNT = CCOPANT / (1 - CCOPANT / 100)

PROPRIEDADES MECÂNICAS

Flexão

• Resistência:

- Madeira verde: 119,5 MPa (1219 kgf/cm2)

- Madeira a 15% de umidade: 148,5 MPa (1514 kgf/cm2)

- Módulo de elasticidade - Madeira verde: 13435 MPa (137000 kgf/cm2)

Compressão paralela às fibras

• Resistência:

- Madeira verde: 54,8 MPa (559 kgf/cm2)

- Madeira a 15% de umidade: 77,8 MPa (793 kgf/cm2)

Outras propriedades

• Cisalhamento - Madeira verde: 14,2 MPa (145 kgf/cm2)

• Dureza Janka transversal - Madeira verde: 6816 N (695 kgf)

• Tração normal às fibras - Madeira verde: 3,9 MPa(40 kgf/cm2)

Observação: os resultados dos ensaios das propriedades físicas e mecânicas foram obtidos de acordo com a norma COPANT. (Fonte: IBAMA, 1997a)

Nota: As unidades de grandeza MPa e N do Sistema Internacional (SI) são também apresentadas nas unidades técnicas kgf/cm2 e kgf, respectivamente.

USOS

Construção civil

• Pesada externa: dormentes ferroviários, cruzetas, estacas

• Pesada interna: caibros, vigas

• Leve interna, estrutural: ripas

• Uso temporário: andaimes, escoramento, fôrmas para concreto

Mobiliário

• Alta qualidade: partes decorativas de móveis

Outros usos:

• decoração e adorno

• lâminas decorativas

• embarcações (quilhas, convés, costados e cavernas)

• embalagens

• cabos de ferramentas

Pode substituir: outras madeiras de uso na construção civil pesada externa e interna, leve externa e interna estrutural, decorativa e de utilidade geral, tais como angelim-pedra, angelim-vermelho, angico, cedrinho ou quarubarana, cupiúba, garapa, itaúba, jacareúba, louro-vermelho, muiracatiara, pau-roxo e tauari.

Fonte: IPT

Anuncie RM Neuvoo