MENU
Adesivos
Bioenergia
Carbono
Construo
Editorial
Esquadrias
Eucalipto
Manejo Florestal
Marketing
Mercado-Mveis
Mrito Exportao
Painis
Preservao
E mais...
Anunciantes
 
 
 

REVISTA DA MADEIRA - EDIÇÃO N°97 - JUNHO DE 2006

Construo

Estudo analisa uso racional da madeira em habitaes

O interesse pelas construes em madeira crescente, porm h um desconhecimento quanto utilizao racional da madeira como material construtivo. Neste sentido, uma equipe do Departamento de Cincias Florestais da UFLA Universidade Federal de Lavras MG desenvolveu um estudo a fim de mostrar algumas informaes para que por meio da abordagem de sistemas possam ser tomadas decises para dirimir e reduzir problemas e dvidas relacionadas a esse assunto.

De maneira geral, as construes feitas em madeira so observadas, no Brasil, devido as questes ambientais. Entre as observaes importantes esto: matria-prima extrada de florestas, associado ao desmatamento, incndios e transformao de reas em desertos e ainda com relao s caractersticas de durabilidade.

Quando a madeira utilizada de forma inadequada, devido falta de conhecimento tcnico acaba gerando construes que no atingem a vida til esperada.

H, ainda, questionamento a respeito do preo, qualidade e outras caractersticas peculiares do material, tais como resistncia, facilidade de trabalho e manuseio, disponibilidade de mo-de-obra de projeto, execuo e de servios e manuteno, aparentemente deficientes.

Hoje essencial saber por meio de pesquisas, o que as pessoas pensam sobre a madeira, sua utilizao e desempenho.

O desempenho da madeira pode ser observado sob vrios pontos de vista, levando-se em considerao a performance simblica, a performance tcnica e a performance econmica do material.

A performance simblica caracteriza-se pela maneira como a madeira encarada na construo civil como um material construtivo, relacionando aspectos estticos e decorativos, bem como caractersticas de conforto trmico e acstico.

A performance tcnica est relacionada ao comportamento do material na construo de estruturas, vedaes, pisos e esquadrias, avaliando resistncia, durabilidade e comportamento quanto caractersticas mecnicas e qumicas do material.

A performance econmica estabelece a relao entre custo da madeira em relao aos benefcios e tambm com relao a outros materiais, e as vantagens de sua utilizao. Certamente como qualquer material, a madeira apresenta desvantagens e limitaes quanto utilizao, que sero tambm observadas.

Sistemas

Para a anlise de sistemas em arquitetura existem quatro subsistemas implcitos, o projeto, a construo, um edifcio construdo, e o sistema bionmico humano, ou seja, o sistema de relacionamento com o ambiente experimentado pelo ser humano. Embora a preocupao do arquiteto seja com o primeiro subsistema, ele no pode se separar dos problemas do construtor, dos operadores do edifcio e dos usurios principalmente.

O avano da utilizao da madeira em geral faz-se necessrio o estudo e avaliao de tcnicas de aproveitamento da madeira ressaltando suas caractersticas mecnicas, de durabilidade, resistncia, plasticidade e aparncia.

Cabe ao profissional da rea de projeto o delineamento do uso da madeira com relao aos limites peculiares desse material, bem como juntamente com a definio de novos parmetros de uso, a elaborao de uma nova cultura diretamente ligada aos novos usos e tecnologias, principalmente caracterizada pela desmistificao e rompimento com dogmas que permanecem j h muito tempo.

Para dar incio a uma discusso sobre o desempenho da madeira na construo, a equipe de pesquisadores da Universidade Federal de Lavras realizou uma pesquisa de opinio, tanto com a populao geral, como com profissionais ligados a construo.

A pesquisa foi realizada nas cidades do sul do Estado de Minas Gerais para o pblico em geral e profissionais de projeto e execuo ligados a madeira. Para uma segunda amostra, foram aplicados questionrios a profissionais de diversos estados do Brasil. A amostragem totalizou 197 indivduos.

O estudo constatou que, em termos de segurana, a madeira foi escolhida para cercas e pisos externos, revestimentos e principalmente para estrutura de telhados.

O custo da madeira teve 53% de indicao como sendo mais caro que outros materiais. importante ressaltar que a madeira teve 27% de indicao contra 19% da pedra, 11% do metal e 16% da alvenaria com relao durabilidade. A aparncia pode ser o item mais importante no momento da escolha de materiais.

Tem-se uma indicao de 66% para a madeira como material de melhor aparncia, ou seja, mais bonito. Para reformas considerando consertos, trocas e reformulao de espaos a madeira teve indicao de 48% contra 30% da alvenaria.

Itens, tais como facilidade de revestimento sobre a superfcie; facilidade de pintura; conservao do material; troca e reposio de partes; capacidade de trabalho do material (corte e maleabilidade); resistncia a intempries; resistncia a fungos e insetos; resistncia qumica (corroso e oxidao); resistncia ao fogo; disponibilidade de mo-de- obra especializada e de empresas de fornecimento e por ltimo; durabilidade do material, tiveram indicao praticamente equilibrada, com pouca variao de porcentagem.

Do total dos entrevistados, 51% afirmaram saber a diferena entre madeira nativa e madeira de reflorestamento, contra 44% que afirmaram no saber a diferena. No se interessam sobre informaes quanto utilizao da madeira de reflorestamento 72% dos entrevistados, enquanto que 23% destes afirmam ter interesse.

Comparando qualidade e preo que pode permitir uma avaliao do custo e benefcio, a madeira de reflorestamento cotada como mais barata, porm, tem-se a idia de que ela de qualidade inferior ou igual madeira nativa. Uma amostra disso so os ndices de 41% para qualidade pior e 60% para preo inferior para a madeira de reflorestamento. Deve-se levar em considerao que 44% das pessoas no sabem a diferena entre os dois tipos de madeira e 72% no se preocupam em se informar sobre o assunto.

Caractersticas

Embora os materiais considerados na avaliao sejam: madeira, concreto e alvenaria, metal, vidro e pedra, enfatizou-se os dados relativos principalmente madeira e ao concreto e alvenaria, que foram os mais indicados.

Sobre preferncia de utilizao dos materiais nas diversas fases da construo, a pesquisa apontou que os itens mais indicados para utilizao da madeira so no acabamento (37%) e em acessrios com (28%). O item estrutura, com 21% , mostra que os profissionais tm conhecimento sobre esta possibilidade do material, mas utilizam pouco.

Considerando vedao como forma de construir paredes, forros, divisrias, elementos espaciais, e tendo esse item apenas 13% de indicao, mostrando que ainda deficiente o uso da madeira nessa fase da construo.

Pode-se constatar que a formao dos profissionais, suas preferncias e conceitos interferem no momento de projeto. Um nmero extremamente reduzido de profissionais teve discrepncia entre os dois assuntos questionados.

Quando perguntados sobre a predominncia de utilizao dos materiais em suas prprias residncias os profissionais indicaram concreto e alvenaria perfazendo um total de 86% contra 8% de indicao de madeira.

Para justificar os usos dos materiais, os profissionais foram questionados sobre: segurana, conforto trmico, conforto acstico, durabilidade e resistncia, conforto visual e respeito ao ambiente.O ponto mais fraco considerado pelos profissionais a segurana com apenas 3% de indicao para uso da madeira. Conforto trmico, conforto acstico e conforto visual totalizam 76% das indicaes, demonstrando que as caractersticas peculiares da madeira so o maior motivo para sua utilizao.

Durabilidade e resistncia indicadas com apenas 9% demonstram que itens como preservao, utilizao de madeira com caractersticas adequadas ao uso, tratamento e utilizao de madeira reflorestamento com propriedades melhoradas no fazem parte do repertrio dos profissionais.

O item respeito ao ambiente com apenas 12% de indicao, denota a pouca familiarizao que os profissionais tm com o assunto. A madeira de florestamento e reflorestamento pode ser considerada como o material que mais promove o respeito ao ambiente.

Em contraposio, o concreto e a alvenaria suprem as supostas deficincias da madeira e outros materiais quanto segurana, com indicao de 33%, juntamente com o item durabilidade e resistncia, com 32% de indicao.

A durabilidade dos materiais, demonstra como os precedentes culturais influenciam na definio da performance desses materiais. A madeira teve uma mdia de 37 anos como tempo de durao. O concreto e alvenaria seguidos do metal tiveram 75 anos e 72 anos de durao, respectivamente. Tem-se novamente transparecendo a cultura j estabelecida sobre a durabilidade dos materiais.

O ambiente mais adequado para construo em madeira foi campo e montanha, com 73%, seguido de praia com 22% e apenas 5% para rea urbana. Para o tipo de rea da cidade, 80% afirmaram poder se construir em qualquer rea, 13% em rea nobre e 7% em reas da periferia. A performance simblica est invariavelmente constatada neste item. Idias como casa de campo e casa de praia de madeira j fazem parte do imaginrio geral e coletivo da cultura brasileira. Para o item construo ecologicamente correta teve-se 41% de indicao para a madeira. O concreto e a alvenaria somaram, 12% e 30%respectivamente, um total de 42%.

Comparando qualidade e preo que pode permitir uma avaliao do custo e benefcio. Observa-se que 54% dos profissionais consideram a madeira de reflorestamento mais barata e 13% consideram que tem preo igual. Porm, significativo que 30% tenham a madeira de reflorestamento como uma alternativa mais cara.

Em termos de qualidade, a madeira de reflorestamento est com uma boa representao. Somando 91% tem-se qualidade igual e melhor com ndices de 68% e 23%, respectivamente. Apenas 9% dos entrevistados indicaram a madeira de reflorestamento como pior que a nativa.

Em questes que envolvem o conhecimento a respeito da madeira de reflorestamento, 83% dos profissionais afirmaram no saber ou no ter conhecimento sobre o processo de utilizao da madeira, contra apenas 15% que afirmam conhecer esse processo.

Apesar de 95% dos entrevistados saberem a diferena entre madeira de reflorestamento e madeira nativa, apenas 48% se preocupam em se informar mais sobre o assunto, contra 38% que se interessam. Surpreende constatar que 14% das pessoas no apresentaram interesse pelo assunto.

Espcie de madeira utilizada

16% pinus

26% eucalipto

31% peroba

5% araucria

6% mogno

15% outros

Por um lado 76% das pessoas apontam a madeira de reflorestamento como tendo qualidade pior que a madeira nativa, contra apenas 5% indicando a madeira de reflorestamento como tendo melhor qualidade, motivo para investigao, tem-se por outro lado 85% dos mesmos profissionais indicando a madeira de reflorestamento como sendo mais barata que a nativa.

Talvez a explicao do fato seja conseqncia do item questionado sobre funcionamento do processo de utilizao de madeira de reflorestamento, em que 29% das pessoas tm conhecimento, e 71% dos profissionais atestam no ter conhecimento sobre o assunto.

So instigantes alguns ndices apontados na pesquisa, principalmente os relacionados ao aproveitamento da madeira de florestamento e reflorestamento. A falta de informao por parte dos profissionais de projeto e servios refletem diretamente na escolha quanto ao uso dos materiais, e em particular com relao madeira que possui caractersticas muito peculiares.

Essas mesmas caractersticas se bem observadas, tais como conforto trmico, acstico e visual, tm papel importantssimo na elaborao do projeto e suas definies, caracterstica bsica da tomada de deciso orientada pela abordagem e anlise de sistemas.

Os processos de produo e utilizao da madeira de reflorestamento tanto para profissionais de projeto, prestadores de servio, quanto para o pblico em geral, tm indicativos de falta de informao, desconhecimento e falta de interesse sobre o assunto. Diretamente proporcional a essa desinformao est a falta do apropriado aproveitamento desse recurso renovvel, que pode ser considerado fator de desenvolvimento e sustentabilidade para vrias regies do Pas.

Autores: Ricardo Pedreschi; Francisco Carlos Gomes; Lourival Marin Mendes: UFLA.