MENU
Artefatos
Compensado
Crdito de Carbono
Doenas
Economia
Eucalipto
Financiamento
Maderias Tropicais
Mveis & Tecnologia
Painel
Pesquisa
Planejamento
Preservao
Secagem
Silvicultura
Sustentabilidade
E mais...
Anunciantes
 
 
 

REVISTA DA MADEIRA - EDIÇÃO N°95 - ABRIL DE 2006

Painel

Diversidade de produo amplia usos no setor

Diversidade de produo amplia usos no setor

O setor de produtos florestais compreende, genericamente, os segmentos de madeira em tora, madeira serrada, painis de madeira, pasta de madeira e papel. A partir desses insumos se formam vrias cadeias produtivas, com destaque para os setores de construo civil e moveleiro, os produtos de madeira serrada e os diversos painis de madeira so bens substitutos entre si.

Os painis de madeira dividem-se em trs grandes grupos: compensados, aglomerados e chapas de fibras comprimidas, onde se insere o MDF. Em 1995, o consumo mundial, de 132 milhes de m, estava dividido em 36% para os painis de compensado, 43% para os aglomerados e 31% para os painis de fibras comprimidas. No Brasil, o volume de 2 milhes de m consumido em 1995 obedeceu s seguintes fatias: 50% para os compensados, 40% para os aglomerados e 10% para os painis de fibras comprimidas.

Painel de MDF

O MDF o painel produzido a partir de fibras de madeira, aglutinadas com resinas sintticas atravs de temperatura e presso, destinado principalmente indstria moveleira. Possuindo consistncia similar da madeira macia, o MDF permite acabamentos do tipo envernizamento, pinturas em geral ou revestimentos com papis decorativos, lminas de madeira ou PVC. A produo e a comercializao mundiais do MDF foram iniciadas em meados da dcada de 60, como resultado de uma pesquisa que tinha por objetivo a substituio da chapa de fibra dura por um produto de melhor qualidade e com processo produtivo menos poluente. No entanto, ao final da pesquisa, constatou-se que o novo painel poderia ter maior espessura do que aquela inicialmente prevista, o que permitiu, na poca do seu lanamento, que o MDF fosse tambm considerado um substituto do aglomerado. Dada a sua melhor qualidade e usinabilidade, o novo produto tambm teve ampla aceitao nos mercados usurios de compensado e madeira serrada.

Normalmente, o MDF apresenta preo maior do que o painel de aglomerado e inferior comparativamente ao painel de compensado. Cumpre observar, assim, o elevado valor que ele proporciona, comparado ao preo pago pelo comprador. No caso especfico do MDF significativa esta relao, tendo em vista o impacto cumulativo que proporciona na cadeia de valores do comprador vis--vis os produtos concorrentes. Destaque-se, assim, a reduo do uso de tintas, laca, vernizes e cola, alm da economia obtida com o menor desgaste das ferramentas e menores ndices de refugo.

Painel de Aglomerado

O painel de aglomerado formado a partir da reduo da madeira em partculas. Aps a obteno das partculas de madeira, estas so impregnadas com resina sinttica e, arranjadas de maneira consistente e uniforme, formando um colcho. Esse colcho, pela ao controlada do calor, presso e umidade, adquire a forma definitiva e estvel denominada aglomerado. O painel de aglomerado pode ser pintado ou revestido com vrios materiais, destacando-se papis impregnados com resinas melamnicas, papis envernizveis e lminas ou folhas de madeira natural.

Grande parte da demanda de painis de aglomerado est associada ao setor moveleiro, sendo o consumo restante dividido entre a fabricao de racks, caixas acsticas, gabinetes de televiso e divisrias.

O painel de compensado tem mltiplas aplicaes: construo civil, mveis, formas para concreto, embalagens e outros. Suas caractersticas mecnicas, grandes dimenses e variedades de tipos adaptveis a cada uso, constituem os principais atributos para justificar a ampla utilizao deste material.

um produto obtido pela colagem de lminas de madeira sobrepostas, com as fibras cruzadas perpendicularmente, o que propicia grande resistncia fsica e mecnica. O compensado produzido sob duas principais especificaes: a) para uso interno (moisture resistent) com colagem base de resina de uria-formol, sendo empregado basicamente na indstria moveleira;

e b) para uso externo (boiling water proof) com colagem base de resina de fenol-formol, sendo normalmente utilizado na construo civil.

Sob o ponto de vista do ciclo de vida da indstria, o painel de compensado pode ser considerado como um produto maduro. Assim, em alguns nichos de mercado, como em mveis seriados, vem sendo substitudo pelo painel de aglomerado e/ou o MDF.

Painis OSB

O OSB um painel estrutural de tiras de madeira orientadas perpendicularmente, em diversas camadas, o que aumenta suas resistncia mecnica e rigidez. Essas tiras so unidas com resinas aplicadas sob altas temperaturas e presso. Atravs desse processo de engenharia altamente automatizado, os painis so permanentemente controlados e testados para verificar seus nveis de acordo com rgidos padres de qualidade.

Na construo civil, a tendncia avanar por meio de sistemas construtivos cada vez mais industrializados, nos quais os custos e tempo de execuo esto absolutamente sob controle. O OSB um material que em conjunto com perfis metlicos ou de madeira, e outras tecnologias integradas j presentes no Brasil, possibilita a execuo de um inovador sistema de construo que aplicado em todo o mundo, tanto para residncias de alto padro quanto para casas populares, bem como para construes comerciais leves.

A engenharia do OSB foi concebida para oferecer uma resistncia mecnica superior, maior versatilidade de uso, grande durabilidade e uma inquestionvel trabalhabilidade. O OSB trabalhado como qualquer outro tipo de madeira: fcil de manusear e no exige tratamentos especiais, somente os cuidados exigidos por outros painis de madeira. Alm disso, apresenta bom desempenho na maioria das aplicaes nas quais se usam os compensados de madeira.

Entre as qualidades mencionadas pelos fabricantes de OSB, os fabricantes do produto destacam as seguintes caractersticas: sem espaos vazios em seu interior; sem problemas de ns soltos nem fendilhado; sem problemas de laminao; qualidade consistente e uniforme espessura perfeitamente calibrada (menos perdas); resistncia a impactos; excelentes propriedades de isolamento termo-acstico; atrativo a arquitetos e decoradores; rigidez instantnea em "framing construction"; preo competitivo; estabilidade de oferta durante todo o ano; esteticamente atrativo a arquitetos e designers.

A engenharia estrutural do OSB permite uma ampla variedade de usos construtivos e industriais, tais como: paredes e tetos; base de pisos para a aplicao de carpetes, pisos de madeira, ladrilhos, e outros ; vigas I; tapumes e barraces de obras; corpos de motor home; carrocerias de caminhes; pallets tipo container; embalagens, displays; estruturas de mveis e decorao e design.

Fontes: Estudo sobre painis de Madeira de Angela Regina Pires Macedo; Carlos Alberto Loureno Roque e Associao Brasileira da Indstria de Painis de Madeira - Abipa.