MENU
Artefatos
Compensado
Crdito de Carbono
Doenas
Economia
Eucalipto
Financiamento
Maderias Tropicais
Mveis & Tecnologia
Painel
Pesquisa
Planejamento
Preservao
Secagem
Silvicultura
Sustentabilidade
E mais...
Anunciantes
 
 
 

REVISTA DA MADEIRA - EDIÇÃO N°95 - ABRIL DE 2006

Mveis & Tecnologia

A globalizao do mvel

Nas feiras especializadas, principalmente na Europa, o ano de 2005 foi marcado pelas as propostas criativas do universo do mvel. Criaes que consolidam as tendncias existentes e apontam novas idias e pequenas variaes que esto globalizando o design do mvel em todos os estilos. Em um momento em que os estilos se mesclam e ao mesmo tempo se inspira uma tendncia bsica, o clssico contemporneo domina as vitrines. O novo rstico, o mvel moderno e a vanguarda criadora compe a era do minimalismo. A arquitetura do mvel globalizado linear com volumes geomtricos e ausncia de barroquismo.

Quanto a nova perspectiva de globalizao, as importaes asiticas de amplas colees exticas ou coloniais esto influenciando o gosto do consumidor e as tendncias que imperam. Outra tendncia forte o mvel que traz uma proposta zen, compatvel com a atual busca pela espiritualidade. Neste sentido o mvel oriental favorecido, seja para mvel rstico, colonial ou decorativo.

Mas, por outro lado, o clssico contemporneo um estilo totalmente consolidado e est conquistando o mercado mundial frente ao clssico tradicional que lidera a exportao dos grandes projetos. O que no incio foi uma aposta inovadora se converteu posteriormente em uma tendncia da maioria. O clssico hoje um estilo consolidado e uma opo para o mobilirio de espaos novos, mais reduzidos e funcionais, com tons mais escuros, a elegncia do acabamento e a esttica do desenho linear.

O novo clssico segue evoluindo, em algumas ocasies de forma ordenada e coerente em outras de forma uma tanto complexa, incorporando tantas caractersticas prprias do mvel moderno que se torna exclusivo e difcil de definir.

O desejo e a busca pela liberdade de estilos de vida so impressos no design gerando quase uma anarquia de estilos. Trata-se de uma nova aposta por idias originais onde a diferena, a competitividade e o xito do novo rompem com a monotonia do desenho tradicional.

H empresas que investem em desenho como fator de competitividade e seguem uma trajetria ordenada de investigao, desenvolvimento e inovao. H empresas que carregam no desenho suas frustraes e esperanas e trocam radicalmente seu produto uma vez ou outra como se na verdade fosse uma aposta numa roleta de mercado onde s a sorte guia. A um grande nmero de empresas que se esforam dia a dia por tornar seus produtos desejos do mercado.

A moda e o clssico

As tendncias para o segmento moveleiro obedecem a um acmulo de fatores, que no so apenas questes econmicas, macroeconmicas e empresariais. Para busc-las preciso se centrar nos materiais, cores e estilos do momento. Um debate do grupo espanhol IDI (Iniciativas de Diseo Industrial) para o setor, sugere que a moda vem de um de vrias informaes comportamentais.

A reafirmao do clssico contemporneo comporta uma arquitetura que tende a horizontalidade. Quando se passam cinco anos desde a criao de um estilo e ele continua a se destacar pode se dizer que est consolidado. Desta forma o estilo pode criar subdivises criando suas prprias tendncias e lana novas propostas, bem como madeiras diferenciadas e novas cores.

O mvel mais inovador chega a introduzir chapas pr-compostas com acabamentos, chapas naturais ou pr-compostas, com detalhes e painis lacados em tons caf que combinam com novos tons de madeira.

A indstria do mvel tende para cores naturais, principalmente escuras. A madeira teca est fazendo sucesso principalmente na Espanha e Itlia.

O novo rstico tambm inclui chapas com acabamentos rico em detalhes contrastantes. Este mobilirio vive sua prpria evoluo e rene diferentes estilos e influncias que introduzem a esttica da natureza s casas urbanas.

A madeira macia a protagonista, com variaes em seu acabamento, incluindo tons escuros, mel e nozes. Junto madeira so usados materiais como bambu, coco, fibras, que seguem a tendncia asitica.

Design uma das muitas reas de conhecimento diretamente afetadas pela globalizao. A anlise dos aspectos que envolvem este fato bem como as tendncias que se originam da globalizao so essenciais para o gerenciamento de marcas e do design de uma forma efetiva.

As diversas previses existentes para esta rea revelam alguns desafios, tanto sob o ponto de vista das corporaes como das prestadoras de servios de design:

I. Agncias globais objetivando atender aos clientes globais, empresas de design possivelmente tero que desenvolver novas estratgias de atendimento. Conforme as corporaes se tornam globais, geralmente buscam alguns fornecedores capazes de atender suas necessidades de maneira consistente e coordenada nos diversos pases em que a ela se encontra. Empresas em diferente setores esto comprando servios globalmente integrados em diversas reas: transporte, financeiro, tecnologia, telecomunicao, propaganda, etc. Pode-se esperar que o design seja gerenciado desta mesma forma. Dentro deste cenrio, empresas de design poderiam explorar esta oportunidade e considerar redes de contato internacionais, possibilitando a entrega de servios consistentes independente da localizao;

II. Competitividade a abertura das barreiras possibilita que agncias de design internacionalmente reconhecidas passem a atuar em diferentes mercados, acirrando a competio que antes ocorria somente entre as agncias locais. Alm disso, o mercado atual caracterizado pela constante e crescente competio sob as formas de rpida inovao de produtos e servios, ciclo de vida dos produtos mais curtos, polticas de preo agressivas, grande competncia em identificar as necessidades do consumidor/cliente. Estas caractersticas tendem a destruir regras ou normas existentes no mercado atual, acirrando ainda mais a competio;

III. Terceirizao Alguns anos atrs, terceirizao era utilizada somente para a reduo de alguns custos internos. Atualmente, o termo significa a transferncia de responsabilidade sobre alguns processos para um fornecedor. Este novo pensamento possibilitou que diversos servios passassem a ser terceirizados. Algumas empresas lderes de mercado focam na sua principal atividade e terceirizam praticamente todo o resto. Apesar de alguns riscos, so inmeros os benefcios desta poltica: mo de obra especializada e mais barata, mais qualidade, maior acesso a inovao e novas idias, menos impostos etc. Dentro deste cenrio, design um possvel segmento a ser terceirizado globalmente ao invs de localmente. Neste caso, o Brasil passa a ser uma grande potncia para terceirizao tanto da criao quando da produo (juntamente com ndia e China) em funo de sua criatividade e mo de obra relativamente barata.

Apesar de todas estas previses relativamente positivas a partir da globalizao, importante que tambm sejam considerados fatores culturais (idioma, cultura, valores), atitudes e preferncias locais .

importante ressaltar que estas so previses a mdio-longo prazo que vo alm das atuais conseqncias da globalizao que j podem ser identificadas atualmente como a presena de vrios idiomas na embalagem ou a criao de design para outros mercados. As possibilidades so muitas e ainda incertas, mas acredito que ao longo dos prximos anos veremos algumas destas tendncias implementadas.

Fontes: El Setor de mueble y la madera; Ellen Kiss/ London College of Communication.