MENU
Amaznia
Bioenergia
Editorial
Elmia
Esquadrias
Ferramentas
Logstica
Mrito Exportao
Mveis & Tecnologia
Pisos
Qualidade
Recursos Humanos
Reflorestamento
Tecnologia
E mais...
Anunciantes
 
 
 

REVISTA DA MADEIRA - EDIÇÃO N°91 - AGOSTO DE 2005

Recursos Humanos

Melhoria no ambiente de trabalho aumenta produtividade

Ainda na dcada de 1970, pesquisadores rediscutiam o ser humano, focado exclusivamente na tica do mercado. Esse ritmo foi assimilado pela sociedade e passou a ser um novo padro. Trabalha-se aos sbados, domingos, desaparecem os feriados, enfim. Tudo parece ir bem at que um ou mais dos setores da vida (familiar, social, fsica...) comea a apresentar problemas que refletem diretamente na produtividade. Por isso, especialistas contemporneos enfatizam a importncia do bem estar para o desenvolvimento empresarial.

Nos ltimos anos, muitas empresas passaram por uma revoluo na produtividade. Segundo pesquisas apresentadas recentemente em revistas e jornais, o Brasil foi o segundo pas em um ranking de aumento de produtividade na dcada de 1990. Essa revoluo transformou a vida das pessoas nos grandes centros urbanos, estabelecendo um ritmo de vida considerado alucinante, com excesso de horas de trabalho e uma presso excessiva para serem cada vez mais produtivas.

O lado profissional passou, portanto, a ser a face predominante do ser humano, que se sentiu forado a ser um superprofissional e, para tanto, no poupa esforos em jornadas de trabalho acima de 12 horas dirias. Essa situao torna invivel a conciliao entre a vida profissional e pessoal. o momento de refletir sobre qualidade de vida no trabalho, a chamada QVT e verificar o que possvel fazer para melhorar a situao e prevenir problemas.

A importncia da QVT se d pelo fato de que os profissionais passam no ambiente de trabalho pelo menos 8 horas por dia, no mnimo 35 anos de suas vidas. No se trata mais de levar os problemas de casa para o trabalho, e sim de levar para casa os problemas, as tenses, os receios e as angstias acumulados no ambiente de trabalho.

um assunto importante a ser discutido, independente se cenrio econmico mostra recesso ou crescimento, perda de poder aquisitivo ou aumento do desemprego.

H uma dcada, os autores Kaplan e Norton definiram o Balanced Scorecard como uma forma de avaliar o desempenho da empresa em consonncia com a misso, viso e valores. Os autores propuseram quatro perspectivas: financeira, cliente, processos internos e pessoas. Neste quarto critrio, consta algo como qualidade de vida no trabalho.

muito provvel que funcionrios motivados, capacitados e bem remunerados passem a ter um desempenho acima da mdia, reduzindo custo, apresentando melhores solues aos clientes e gerando como desdobramento maior vitalidade financeira, que, mais do que nunca, pode significar a sobrevivncia da empresa.

A QVT como um programa que visa facilitar e satisfazer as necessidades do trabalhador ao desenvolver suas atividades na organizao. Tem como idia bsica o fato de que as pessoas so mais produtivas quanto mais estiverem satisfeitas e envolvidas com o prprio trabalho.

Pesquisadores entendem que o comprometimento com a qualidade ocorre de forma mais natural nos ambientes em que os funcionrios se encontram envolvidos nas decises que influenciam diretamente suas atuaes.

A QVT a gesto dinmica de fatores fsicos, tecnolgicos e scio-psicolgicos que afetam a cultura e renovam o clima organizacional, refletindo no bem-estar do trabalhador e na produtividade das empresas. A QVT deve ser considerada como uma gesto dinmica porque as organizaes e as pessoas mudam constantemente; e fundamental porque depende da realidade de cada empresa no contexto em que est inserida.

Alm disso, pouco resolve atentar-se apenas para fatores fsicos, pois aspectos sociolgicos e psicolgicos interferem igualmente na satisfao dos indivduos em situao de trabalho; sem deixar de considerar os aspectos tecnolgicos da organizao do prprio trabalho, que, em conjunto, afetam a cultura e interferem no clima organizacional com reflexos na produtividade e na satisfao dos empregados.

A meta principal do programa de QVT a conciliao dos interesses dos indivduos e das organizaes, ou seja, ao melhorar a satisfao do trabalhador, melhora-se a produtividade da empresa. Um dos mais importantes conceitos dos programas de qualidade est na premissa de que somente se melhora o que se pode medir e, portanto, preciso medir para melhorar. Por isso, necessrio avaliar de forma sistemtica a satisfao dos profissionais da empresa.

Nesse processo de autoconhecimento, as sondagens de opinio interna so uma importante ferramenta para detectar a percepo dos funcionrios sobre os fatores intervenientes na qualidade de vida e na organizao do trabalho. Questes como o posicionamento do funcionrio em relao ao posto de trabalho ocupado, ao ambiente, s formas de organizao do trabalho e relao chefia/subordinado so itens que no podem deixar de ser avaliados.

Empresa feliz



A expectativa pessoal dos profissionais que, se as empresas esperam qualidade nos produtos e servios por elas oferecidos, aes de QVT devem ser incorporadas definitivamente no cotidiano das empresas. Outra expectativa dos profissionais de que as empresas, ao conceberem um programa de qualidade, percebam que o mesmo no ser implantado com sucesso se no houver um efetivo envolvimento e participao dos funcionrios atuando com satisfao e motivao para a realizao de suas atividades.

A qualidade de vida no trabalho resulta em maior probabilidade de se obter qualidade de vida pessoal, social e familiar, embora sejam esferas diferentes e nelas se desempenhem papis diferentes. A felicidade uma busca antiga do homem. Porm, para ser feliz, necessrio ter sade, satisfao consigo prprio e com seu trabalho, e tudo isso compreende qualidade de vida.

De acordo com estudos da rea, empresa feliz aquela cujos valores so muito prximos aos indicadores de QVT: oferece as condies motivacionais plenitude da realizao humana, ou seja, um clima estimulador participao e criatividade, canais abertos de comunicao e expresso, exerccio regular da delegao de autoridade e do trabalho em equipe, incentivos ao desenvolvimento da capacidade de liderana, reconhecimento ao esforo empreendedor e obteno de resultados. Isto , a empresa feliz a empresa bem administrada.

O habitual ceticismo em relao a ambientes de trabalho radicalmente diferentes dos tradicionais escritrios est mudando. A linguagem dos nmeros comea a pressionar os administradores desejosos de cortar nos custos de imobilirio e comunicaes. Por seu lado, os gestores mais inteligentes sentem o disparo na produtividade quando "detalhes" que favorecem a motivao pessoal, a interao e o sentir-se como em casa so considerados.

Acresce que finalmente o pessoal do imobilirio e da arquitetura acordou para o problema de que tm de repensar a estrutura das cidades, e em particular dos centros urbanos, e comear a considerar a economia de reconverter os edifcios s de escritrios e de refazer os espaos tradicionais de trabalho.



Produtividade



Segundo um estudo realizado com 300 participantes, num seminrio sobre construo realizado nos Estados Unidos, a produtividade pode subir de 10 a 20 por cento com a adoo de novos ambientes.

Uma das tendncias mais fortes, a par do tele-trabalho, o desenho dos interiores de escritrio com um novo conceito de open space, que tire do amontoado e da gritaria, onde se perdem no mnimo 70 minutos em disperso, distraes diversas e barulho, em cada dia de trabalho. Com o redesenho se ganha concentrao e produtividade.

Nas solues mais arrojadas vistas nos Estados Unidos, o ambiente de trabalho coletivo sugere um estdio. Se possvel, incluir uma rea aberta incluindo um autntico parque interior, com rvores, fonte a jorrar gua, mesas e cadeiras tipo caf, bar e cozinha.

Em uma empresa de informtica americana foram vistos ambientes, ainda mais ousados que utilizam divisrias entre cubculos, mas cada espao profundamente personalizado permitindo a individualidade. Os profissionais podem levar os animais de estimao para o local de trabalho e decoram o espao como se estivessem em casa.

Por outro lado, h "avenidas" principais que facilitam a interao informal entre as pessoas, onde se encontram zonas de caf - inclusive um cibercaf -, que cruzam com corredores mais estreitos que levam a reas privadas para trabalho em grupo ou individual. Para favorecer o intercmbio entre os trabalhadores, h um espao de clube para encontros mesa de caf.

Uma pesquisa realizada com cerca de um mil trabalhadores (555 mulheres e 494 homens trabalhando em escritrios) mostra que 15% j trabalham em espaos abertos (o clebre open space) de vrios tipos, 13% em secretrias e equipamentos partilhados por vrios empregados em perodos diferentes, 12% a partir de casa e 1% em hotis (o modelo de hoteling, com espaos alugados hora, dia ou semana, devidamente infraestruturados e dispondo inclusive de um autntico concierge para apoio logstico e de viagens).

A maioria continua, no entanto, trabalhando em ambientes tradicionais, sejam os escritrios individuais ou no, com portas, sejam as reas semi-privadas sem porta, no pior que h de aproximao ao openspace.

O contraste com o que as pessoas preferem significativo. Ainda segundo a mesma pesquisa, o maior percentual (34%) gostaria de ter escritrio em casa, 17% ainda se sentem atrados pelo escritrio de prestgio, situado ao canto, com vistas agradveis; 15% preferem os espaos para trabalho em equipe; 7% ainda amam o seu cubculo isolado fora da confuso e 5% querem espaos para reflexo privada, onde ningum os chateie.

Uma das piores armadilhas em que se pode tropear na mudana que se deseja a de querer impor uma das novas solues. Todos os bons consultores apostam na diversidade e em encontrar as solues concretas para o caso concreto no perodo concreto.

O importante orientar as escolhas por cinco critrios: ergonomia, combate ao stress, personalizao do espao prprio, solues para trabalho em equipe, e ambientes para conversao informal - que ocorre em 80% dos casos - e discusso formal (o tpico brainstorming) que acontece em 20% dos casos.

Deve-se evitar, tambm, o uso das mudanas na arrumao do espao ou o teletrabalho como alavancas de mudana organizacional. Elas so um complemento. Primeiro, h que realizar algumas melhorias bsicas no design - simplificar a organizao, redesenhar os processos de negcio, alargar o acesso informao, e definir as medidas de avaliao da performance da empresa.



Ergonomia sade



Segundo a definio dada pela Ergonomics Research Society, ergonomia "o estudo do relacionamento entre o homem e o seu trabalho, equipamento e ambiente, e particularmente a aplicao dos conhecimentos de anatomia, fisiologia e psicologia na soluo dos problemas surgidos desse relacionamento".

No preciso muito dinheiro. Ajustes simples no ambiente de informtica, como providenciar uma cadeira melhor ou elevar o monitor, podem sair barato e, ao mesmo tempo, reduzir muito o nmero de leses e ausncias de funcionrios.

Qualquer pessoa que trabalha em um computador ou emprega usurios de equipamentos de informtica deve compreender que um mau posicionamento, combinado com falta de intervalos no trabalho, pode causar leses musculoesqueletais.

Em geral, as empresas no precisam gastar muito dinheiro em equipamento nem inspecionar completamente o local de trabalho, mas preciso conhecer as causas dos principais problemas de ergonomia e fazer uma preveno no local de trabalho.

Tornar o ambiente de trabalho mais harmonioso e produtivo um dos grandes desafios das empresas. Para isso, vrias delas j optam por terapias complementares que do excelentes resultados tanto para funcionrios como para clientes que freqentam o local. Uma delas a aromaterapia, que auxilia pessoas a lidar com suas emoes derivadas do estresse do dia a dia tais como ansiedade, tenso, irritabilidade e pessimismo, entre outros.

Usando os leos essenciais no ambiente de trabalho, o profissional obtm respostas emocionais favorveis em sua psique. Alm disso, o aroma imprime sua marca pessoal no trabalho e promove identidade olfativa ligada ao marketing, transformando cada momento em algo especial, pois est tambm relacionado ao lado emocional, diz Samia Maluf, aromatloga que implanta a terapia em empresas.

Samia conta que no basta aplicar leos essenciais em aromatizadores aleatoriamente. Todo o trabalho tem de ser planejado para que se obtenham resultados satisfatrios. O departamento de Recursos Humanos, por exemplo, vai pesquisar os problemas da equipe, no caso de uma empresa, e a direo pesquisar o pblico-alvo que freqenta o ambiente, tudo para que se aproveite ao mximo os benefcios dos aromas.

O uso correto dos leos, com as combinaes eficientes e na quantidade certa, so fundamentais, ensina. Ela diz que a aromaterapia implantada de acordo com a filosofia da empresa e pode aparecer tambm em massagens, ofurs e tratamentos estticos, tudo conforme a disponibilidade da empresa. A aromaterapia tem contra-indicaes mnimas e a aromaterapeuta estuda o ambiente e as pessoas que o freqentam diariamente para usar leos que no prejudiquem os hipertensos, por exemplo. Eliminamos os leos que tm contra-indicaes, mantendo apenas aqueles que promovem o bem-estar comum, explica Samia.

A aromatizao do ambiente de trabalho em empresas vem sendo amplamente estudada e aplicada em vrios pases, especialmente nos Estados Unidos e Japo. Nestes locais, estudos como os da Universidade de Cincinnati e da Universidade Catlica comprovam que o leo de menta, por exemplo, aumenta a percepo subjetiva em 15% a 25%.



Reciclagem mental

O mdico psiquiatra e consultor empresarial Roberto Shinyashiki afirma que ainda existem muitas empresas que pensam de maneira ultrapassada. Procuram dar o mnimo para receber o mximo. Isso faz com que o colaborador reaja da mesma maneira, dando o mnimo e querendo ganhar o mximo. Dessa forma, os resultados so sempre muito fracos.

Os novos empresrios j tm a perspectiva de que o segredo do negcio procurar sempre dar o mximo. Organizaes como a Microsoft tm no s os mais talentosos, mas os homens mais ricos do mundo, porque sabem que, para atrair os melhores, necessrio auxiliar os colaboradores a obter os melhores resultados. Shinyashiki diz que a poca da explorao acabou, porm, uma grande pena que no Brasil ainda haja muita gente vendo essa idia com naturalidade. preciso mudar essa mentalidade. O mercado cuidar de eliminar aqueles que no absorverem essa nova realidade, promovendo os concorrentes que optam pela tica e pela responsabilidade social, dentro e fora da empresa.

O consultor lembra de uma fbula que ilustra bem essa questo: "Uma moa muito pobre andava com seu filho ao colo. Passando diante de uma caverna, escutou uma voz que lhe disse: 'Entre aqui e voc encontrar um tesouro com tudo o que precisa, mas daqui a 30 minutos a porta vai se fechar para sempre. Portanto, no se esquea do principal.' Ao entrar, ela viu uma quantidade infindvel de belas e preciosas jias. Deixou, ento, a criana ao lado e se ps a recolher o tesouro. Passado algum tempo, a voz novamente disse: 'Lembre-se, dentro de mais quatro minutos a porta vai se fechar. Pegue tudo o que precisa, mas no se esquea do principal.' Com fervor, a moa continuou recolhendo mais jias. Escutou, ento, o barulho da porta e correu em desespero para sair da caverna. Quando j estava do lado de fora, percebeu que esquecera o filho l dentro. O desespero a acompanhou durante todo o resto de sua vida. Os tesouros acabaram rapidamente."

O consultor observa que muitas empresas colecionam somente jias e se esquecem do principal, que a tica, a vontade de crescer, de realizar sonhos. impossvel ser feliz relegando a essncia humana. preciso ajudar as pessoas a serem felizes e, assim, obter lucro com a realizao de todos os membros do time. O sucesso a qualquer preo desaparece em pouco tempo, alerta.

A vida dos anos 90 foi considerada uma das mais estressantes da histria da humanidade. E isso no mudou com a virada do milnio. Essa a concluso de uma pesquisa feita no ano 2000 pela consultoria Yankelovich Partners, na qual 78% dos trabalhadores afirmaram que precisavam reduzir urgentemente sua carga de estresse.

Recentemente, outro estudo do Instituto de Pesquisas Sociais, Polticas e Econmicas divulgou que, no Brasil, s 26% das pessoas esto felizes com o seu trabalho. Uma breve pesquisa entre organismos nacionais e internacionais mostra o alarmante nmero de pessoas que sofrem com doenas como hipertenso, insnia, depresso, alcoolismo e, principalmente, uso de drogas pesadas, levando morte. Sem falar nas doenas cardiovasculares, que aumentaram 20% nos ltimos 14 anos. No vale a pena ter sucesso profissional sacrificando sua vida e a de outras pessoas. Ter respeito por voc e pelos outros essencial, observa.





Fontes: Antonio Lzaro Conte - engenheiro professor da FAE Business School.

Universidade de Passo Fundo- RS.