MENU
Adesivos
Biomassa
Construo
Desdobro
Editorial
Eucalipto
Exportaes
FIMMA
Mquinas
Melhoramento Gentico
Mveis & Tecnologia
Painis
Plantio
Recursos Humanos
Silvicultura
E mais...
Anunciantes
 
 
 

REVISTA DA MADEIRA - EDIÇÃO N°88 - MARO DE 2005

Biomassa

Avaliao de reflorestamento para produo de biomassa

Historicamente, a biomassa florestal tem sido utilizada pelo homem como insumo energtico em atividades que vo desde a subsistncia at a atividade industrial. Atualmente a biomassa responsvel por cerca de 20% da gerao de energia no Pas.

As florestas plantadas com espcies de rpido crescimento representam uma importante alternativa para produo de matria-prima destinada gerao de energia, uma vez que o Brasil detm conhecimento tcnico e cientfico em nvel de excelncia na rea de Silvicultura, bem como tem condies edafoclimticas, disponibilidade de terras e mo-de-obra abundante e barata.

O nvel de qualidade alcanado pela tecnologia florestal brasileira se faz materializado pela grande variedade de material gentico selecionado que j foi produzido e pelas altas taxas de produtividades observadas em vrias regies do Pas. Atualmente podem ser observados valores que variam de 25 a 80 m ha/ ano.

A produtividade florestal influenciada, dentre outros fatores, pelas tcnicas silviculturais adotadas, como preparo do solo, adubao, combate a pragas, estradas e aceiros, implantao e conduo da floresta, entre outras. Dentre as prticas adotadas, a densidade de plantio exerce grande influncia tanto na produtividade quanto na qualidade da madeira, o que j foi comprovado por inmeros estudos.

Entretanto, estudos relacionando a densidade de plantio com o poder calorfico da madeira, bem como com outras caractersticas energticas, ainda so escassos. Deste modo, com o objetivo de estudar essa relao, a Companhia Energtica de Minas Gerais - CEMIG, a Sociedade de Investigaes Florestais - SIF e a Agncia Nacional de Energia Eltrica - ANEEL firmaram, em maro de 2002, um convnio para realizao de um projeto intitulado Programa de Pesquisa Para Avaliao de Densidades de Plantio e Rotao de Plantaes de Rpido Crescimento para Produo de Biomassa.

O projeto contempla um amplo e contnuo processo de reviso de literatura e o levantamento de dados preliminares por meio de consultas a bibliografia existente, internet e especialistas da rea; a participao de um representante brasileiro (professor Larcio Couto, do Departamento de Engenharia Florestal da UFV) no Task 30 Short Rotation Crops for Bioenergy da International Energy Agency IEA Bioenergy, como Task Leader no Brasil; instalao de plantios experimentais; coleta e anlise de dados; realizao de eventos; participao em eventos; publicao de documentos tcnicos; e trabalhos em eventos.

Em funo do contnuo processo de pesquisa foram reunidas informaes suficientes para a elaborao de quatro documentos tcnicos e a publicao de dois trabalhos em eventos.

O primeiro documento publicado, intitulado O Estado da Arte das Plantaes de Florestas de Rpido Crescimento para Produo de Biomassa para Energia em Minas Gerais: Aspectos Tcnicos, Econmicos, Sociais e Ambientais, foi uma reviso, enfocando o processo de estabelecimento da silvicultura no Brasil, bem como o estado atual, enfocando aspectos tcnicos, ambientais, econmicos e sociais.

Em seguida foi elaborado um documento, mais especfico aos propsitos deste trabalho, enfocando todo o conhecimento que se tem a respeito dos efeitos da densidade de plantio na produtividade da floresta.

Logo em seguida foi publicado um paper em um evento ocorrido em Campinas, Sustentabilidade na Gerao e Uso de Energia no Brasil: Os Prximos Vinte Anos, que um resumo referente ao primeiro documento sobre o estado da arte das florestas energticas.

O terceiro documento, intitulado Espcies Cultivadas para Produo de Biomassa para Gerao de Energia, faz uma referncia s espcies utilizadas e potenciais para produo de biomassa destinada gerao de energia. Este trabalho contm informaes tcnicas sobre espcies como o eucalipto e a accia, bem como vrias outras espcies que so utilizadas em menor escala, mas que apresentam um grande potencial para uso energtico.

O ltimo documento tcnico publicado, intitulado Anlise da Gerao de Energia a partir da Biomassa, discorre sobre as tecnologias de aproveitamento energtico da biomassa, bem como aspectos econmicos, MDL, Protocolo de Quioto e a posio brasileira no campo de gerao de energia.

Por fim, foi publicado um segundo paper na IEA Task 30 Conference, ocorrida na Nova Zelndia em dezembro de 2003. O trabalho, intitulado SRC With eucalypts in Brazil, discorre sobre florestas de rpido crescimento com eucalipto no Brasil.

Os experimentos foram implantados em dezembro de 2002.

Foi realizada uma primeira medio, aos sete meses de idade, onde foram coletados dados de dimetro de coleto e altura. Foram abatidas trs rvores por tratamento, para determinao de matria seca total e poder calorfico.

A anlise dendromtrica revelou a tendncia natural, que j era esperada: o aumento do dimetro com o aumento do espaamento entre as plantas. Por outro lado, a anlise de matria seca total ainda no conclusiva e no apresenta uma tendncia lgica.

Apenas a repetio 1 apresentou tendncia linear de aumento da matria seca com o aumento de espao entre as plantas. Entretanto, esperado que esta tendncia seja confirmada com o tempo.

Com relao ao poder calorfico, foram obtidos resultados interessantes, que j apontam uma tendncia bem definida . Pela observao pode-se depreender que existe uma tendncia clara de aumento do poder calorfico com o aumento da densidade de plantio, o que se deve ao fato de, nos menores espaamentos, ocorrer maior formao de casca (que apresenta um alto poder calorfico), bem como maior teor de lignina, conferindo, assim, melhor qualidade energtica madeira.

Objetivando a promoo do uso da biomassa para fins energticos no Brasil, o Ministrio de Minas e Energia MME assinou um Implementing Agreement com a Agncia Internacional de Energia.

Com a insero do Brasil nesse grupo, tornou-se necessria a criao de uma rede de trabalho, envolvendo pesquisadores, instituies de pesquisa, rgos governamentais e empresas relacionadas com o assunto. A concepo dessa rede se deu na ocasio da realizao do I Workshop Internacional sobre Sistema de Produo Sustentvel de Bioenergia, ocorrido em outubro de 2002 na cidade de Belo Horizonte MG, em uma reunio com o ento secretrio de Marcelo Poppe, o Sr. Manoel Nogueira. Portanto, em 18 de novembro foi criada a Rede Nacional de Biomassa para Energia RENABIO. Atualmente a RENABIO conta com 152 empresas e instituies associadas.

Autores:

Larcio Couto, Prof. Departamento de Engenharia Florestal da Universidade Federal de Viosa DEF/UFV, lcouto@ufv.br;

Marcelo Dias Mller, Doutorando em Cincias Florestais DEF/UFV, mdmuller@vicosa.ufv.br;

Antonio de Arruda Tsukamoto, Dr. em Cincias Florestais UFV/DEF, tsukamoto@vicosa.ufv.br;

Daniel Camara Barcellos, Doutorando em Cincias Florestais, cbarcellos@vicosa.ufv.br;

nio Marcus Brando Fonseca, Gerente de Pesquisa CEMIG/GEPA, enio@cemig.com.br;

Mrcio Rodrigues Corra