MENU
Amaznia
China
China
China
Editorial
Estruturas
Reflorestamento
Secagem
E mais...
Anunciantes
 
 
 

REVISTA DA MADEIRA - EDIÇÃO N°87 - FEVEREIRO DE 2005

China

Comrcio bilateral pode chegar a US$ 35 bi em 2010

Em 2010 as relaes comerciais entre o Brasil e a China podero atingir a marca de US$ 35 bilhes. Ou seja, em cinco anos, o valor dos negcios entre os dois pases ser multiplicado por quatro, conforme previso do diretor do Ministrio de Comrcio da China, Li Ming Lin. Em 2004, o comrcio entre os dois pases chegou prximo a US$ 8 bilhes.

A previso de Lin foi feita durante a cerimnia de inaugurao do primeiro escritrio comercial do Ministrio chins no Brasil. Atualmente, 76 empresas j investiram US$ 130 milhes no Brasil, em diversos ramos, como minerao, madeireiras e eletrodomsticos.

Entre as iniciativas para incentivar o comrcio bilateral, o representante do governo chins anunciou a realizao anual de uma Exposio de Produtos e Tecnologia da China. Os chineses tm bastante interesse em investir no desenvolvimento da infra-estrutura brasileira. Com isso, eles esperam incentivar ainda mais o comrcio entre os dois pases. Mas os investimentos dependem da aprovao das Parcerias Pblico-Privadas e de uma regulamentao mais clara.

O fantstico crescimento econmico chins exige parceria com diversos setores, a fim de responder crescente demanda por diversos produtos, inclusive no setor. A tendncia que a China consolide a parceria com os madeireiros brasileiros, deixando a concorrncia no passado. Recentemente a Associao Brasileira da Indstria de Madeira Processada Mecanicamente (Abimci) recebeu o presidente da Cmara de Comrcio e Indstria Brasil-China, Charles Tang, para apresentar a 120 empresrios o perfil dos setores madeireiro e florestal chins. Para ajudar a competitividade chinesa em compensados, o governo eliminou a alquota de importao de vrios itens da madeira, em 1999. O Brasil pode aprender com as aes da China, explica o presidente da Cmara.

Uma das preocupaes dos empresrios em relao falta de polticas pblicas para o setor no Brasil. Na China, por exemplo, um planejamento estabeleceu o plantio de reservas florestais que, em 2001, produziu 51 milhes de metros cbicos de toras. Apesar da extenso territorial brasileira, os efeitos da escassez de madeira j esto sendo sentidos. No ano passado o dficit de toras de pinus no Brasil foi em torno de 11,3 milhes de m.

A perspectiva que em 2020 a diferena entre oferta e demanda de toras de pinus alcance pouco mais de 27 milhes de m. Para se ter uma idia, esse volume representa o consumo anual de toda a indstria brasileira de madeira processada mecanicamente. Aps a morte do lder Mao Tse Tung, houve uma mudana cultural no pas para torn-lo um grande exportador. No Brasil ainda falta viso poltica e econmica para crescer, afirma Tang.

Para os empresrios brasileiros, o momento do setor privado se unir para poder contar com o apoio do governo. Eles defendem, por exemplo, que o segmento esteja vinculado ao Ministrio do Desenvolvimento e no ao Ministrio do Meio Ambiente. Segundo dados da International Wood Products Association (IWPA), em 2003 o Brasil exportou para os Estados Unidos mais de 400 mil metros cbicos de compensado de madeira tropical, contra 347 mil metros cbicos da China. Em 2004, at junho, a China j havia enviado para os norte-americanos mais de 464 mil metros cbicos, enquanto o Brasil reduziu as exportaes para aquele pas para 229 mil metros cbicos.

Em eventos do setor, as exportaes para diversos mercados vem causando discusses entre empresrios. Uma das alternativas, vistas pela maioria, oferecer produtos de maior valor agregado e apostar em novos mercados. Para o vice-presidente de Relaes Internacionais da Abimci, Isac Zugman, a perspectiva no pessimista, pois a certificao do Programa Nacional de Qualidade da Madeira e o CE Marking para a Europa esto sendo importantes diferenciais dos produtos brasileiros. Precisamos apostar na certificao de qualidade, defende.

Territrio chins



A China tem 108 milhes de hectares de terras cultivadas, que se encontram concentradas principalmente nas plancies do Nordeste e Norte, nos cursos mdios e inferior do Changjiang, no delta do Zhujiang e na depresso de Sichuan. Grande parte da Plancie do Nordeste tem solo escuro e frtil, onde so abundantes o trigo e o milho, o sorgo, a soja, a juta e a beterraba.

Na Plancie do Norte a terra cultivvel, cor castanha, tem grande profundidade e produz trigo, milho, paino e algodo. A plancie dos cursos mdio e inferior do Changjiang est repleta de lagos, lagunas, rios e riachos e conhecida como "terra de peixes e cereais". a principal regio produtora de arroz e peixe de gua doce e so abundantes o ch e o bicho-da-seda. O vale de Sichuan tem seu solo principalmente marrom e clima temperado e mido e em cada estao crescem culturas diferentes, sendo abundantes o arroz, a colza e as laranjas.

A rea ocupada pelos bosques de 128.630.000 hectares. Nas Cordilheiras Hinggan Maior, Hinggan Menor e Changbai, do Nordeste, se encontram diversas extenses de roden o (Pinus koraiensis), alerces (Larix), Larix olgensis e outras aciculignosas como tambm bosques de abeto (Betula platyphylla), carvalho (Xylosma japonicum), sauces chores (Fraxinus mandshurica), chores (Populus), olmos (Ulmus pulmila) e outras espcies com folhas largas, sendo estas as regies de florestas naturais maiores da China. Em segundo lugar, na regio de florestas naturais do Sudeste, alm das rvores preciosas como a Tectona grandis, o sndalo violeta (Perocarpus ndicus), o alcanforeiro (Cinnamomum camphora), as rvores de nanmu (Phoebe nanmu) e o urucu (Bixa orellana), so abundantes a Picea, o Abies e o Pinus. Xishuangbanna. No sul da Provncia de Yunnan, a regio de florestas com rvores de folhas largas, tropicais, excepcionais no pas, com mais de 5 mil espcies exticas, que recebe o qualificativo de "reino da flora".

A superfcie coberta com mantos vegetais de ervas naturais de aproximadamente 400 milhes de hectares. Ao longo de trs mil km prolongando desde o nordeste at o sudeste, se distribuem numerosas regies prprias para a pecuria. A plancie da Monglia Interior o maior pasto natural do pas. Ali se criam os bois e cavalos de Sanhe e as ovelhas mongis. O Sul e Norte da Cordilheira de Tianshan, na Provncia de Xinjiang, so tambm pastos naturais importantes e regies de excelentes espcies de gado chins. Criam-se ali os cavalos de Ili e os ovinos de ls finas.

As quantidades absolutas de superfcie cultivada, florestas e estepes, so as maiores do mundo. Entretanto, a China tem populao numerosa e por isso tais quantidades so relativamente pequenas em ndices per capita. Antes de tudo, a terra cultivada menor que 0,08 hectares per capita, equivalendo somente a 1/3 do mundo.

As jazidas minerais so abundantes e variadas. Se encontram no Pas todos os minerais conhecidos. Atualmente, seus 151 elementos minerais tm reservas conhecidas. Sua reserva total ocupa o terceiro lugar no mundo. Entre os minerais energticos com reservas exploradas esto o carvo, o petrleo, o gs, o xisto, o urnio e o plutnio. De acordo com as prospeces, as reservas de carvo, 1.002.490 milhes de toneladas, se distribuem principalmente no Norte, sobretudo na Provncia de Shanxi e na Monglia Interior.

As reservas de petrleo se distribuem principalmente no Noroeste, Nordeste, Norte e na regio dos mares profundos da plataforma continental do Leste. Entre os metais ferrosos h o ferro, o mangans, o vandio, o titnio e outros. O ferro se encontra principalmente no Nordeste, Norte e Sudeste e suas reservas alcanam a 46.350 milhes de toneladas. As jazidas minerais de metais no-ferrosos e as reservas exploradas de tungstnio, de estanho, de antimnio, de zinco, de molibdno, de chumbo e de mercrio ocupam o primeiro lugar mundial. As reservas de terras raras so maiores do que o total do resto do mundo.

Constituio chinesa



Aps a fundao da Repblica Popular da China, em 1949, foram elaboradas quatro constituies: de 1954, 1975, 1978 e a atual, de 1982. A atual Constituio foi elaborada atravs de discusses entre todo o povo. Aprovada e promulgada para execuo no dia 4 de dezembro de 1982 pela V Sesso da V Assemblia Popular Nacional, esta Constituio herdou os princpios bsicos da primeira, resume as experincias de desenvolvimento do socialismo na China e assimila as experincias internacionais, levando em considerao a realidade atual e a perspectiva de desenvolvimento. Por isso uma Constituio com peculiaridades chinesas, acomodada s demandas do desenvolvimento poltico, econmico e cultural da nova etapa histrica da modernizao socialista.

Esta Constituio consta de um prembulo e 138 artigos divididos em quatro captulos: princpios gerais, direitos e deveres fundamentais dos cidados, estrutura do Estado, bandeira, escudo e hino nacional e capital do pas. Em abril de 1988, a I Sesso da VII Assemblia Popular Nacional, em maro de 1993, a I Sesso da VIII Assemblia Popular Nacional e em maro de 1999, a II Sesso da IX Assemblia Popular Nacional, aprovaram agendas para modificao da Constituio para acomodar as demandas da atual situao de desenvolvimento.

A Constituio estabelece: A Repblica Popular da China um Estado socialista de ditadura democrtica popular dirigido pela classe operria e baseado na aliana operria-camponesa, a China se encontra durante um perodo prolongado na etapa primria do socialismo. A tarefa fundamental do Estado de concentrar foras para realizar a modernizao socialista, caminhando ao longo do caminho socialista com peculiaridades chinesas.

Guiada pelo marxismo-leninismo, o pensamento de Mao Zedong e a teoria de Deng Xiaoping, sob a direo do Partido Comunista da China, o povo chins de todo o pas persistir na ditadura democrtica popular e no caminho socialista, na reforma e abertura, aperfeioar continuamente o sistema socialista, desenvolver a economia de mercado socialista e a democracia socialista, levar ao alto o sistema legislativo socialista, persistir na independncia e autodeciso, lutar duramente e sem descanso para a modernizao da indstria, da agricultura, da defesa nacional, da cincia e da tecnologia e far da China um pas socialista poderoso, prspero, democrtico e civilizado.

A Constituio garante os direitos fundamentais de todos os cidados, incluindo direitos de eleger e de ser eleito, a liberdade de expresso, de imprensa, de reunio, de associao, de desfiles e de manifestao, a liberdade de crena religiosa, de inviolabilidade da liberdade individual, de dignidade pessoal e de domiclio, a proteo legal da liberdade e inviolabilidade da correspondncia, dos direitos de criticar, de apresentar propostas e de supervisionar todos os rgos estatais e seu pessoal, os direitos ao trabalho, ao descanso e a de conseguir ajuda material social e estatal nos casos de velhice, doena ou incapacidade de trabalho, o direito de receber educao e liberdade, de realizar estudos cientficos, de criaes literrias, artsticas e outras atividades culturais.

Alm disso, a Constituio tambm contm clusulas sobre a administrao democrtica das entidades bsicas e os direitos autnomos das massas, possibilitando ao povo administrar diretamente os assuntos econmicos, culturais e sociais. Como exemplo, as empresas estatais e as organizaes econmicas coletivas aplicam a administrao democrtica atravs das assemblias de empregados e trabalhadores ou reunio de seus representantes. Os comits de moradores e os comits de camponeses realizam a autonomia das massas, executam os assuntos pblicos e de bem-estar pblico das zonas onde vivem, reportam ante o Governo as crticas e opinies das massas, suas demandas e peties.

Aumento de taxas



A China teve, no final de 2004, o primeiro aumento de taxas de juros depois de nove anos. De acordo com os analistas este aumento se justifica com a necessidade de Pequim travar o crescimento da economia, controlar a inflao e ajudar os bancos.

O aperto da poltica monetria poder ter igualmente conseqncias ao nvel da taxa de cmbio. Este fato tem merecido duras crticas da comunidade internacional, que acusa as autoridades de Pequim de utilizarem a poltica cambial para manterem a competitividade dos seus produtos nos mercados externos.

Nos nove primeiros meses de 2004, o investimento em capital fixo subiu 27,7 por cento, apenas 0,9 pontos percentuais abaixo dos 28,6 por cento registrados no primeiro semestre. O "boom" no investimento uma das principais causas de sobreaquecimento da economia.

No terceiro trimestre de 2004, o produto interno bruto (PIB) cresceu 9,1 por cento face ao mesmo perodo do ano passado, um abrandamento de apenas 0,8 pontos percentuais relativamente ao pico de 9,9 por cento registrado no quarto trimestre de 2004.

Refletindo o forte crescimento da economia, a taxa de inflao anual superou a barreira dos cinco por cento em Junho, tornando as taxas de juro reais nulas ou mesmo negativas. H vrios meses que o banco central chins vinha alertando que um aumento do preo do dinheiro seria inevitvel, caso a inflao ultrapassasse a barreira dos cinco por cento.

A queda da remunerao real dos depsitos, aliadas s restries sobre o crdito, contriburam para aumentar os financiamentos ilegais, colocando o sistema bancrio numa situao ainda mais complicada do que j estava devido ao crescimento do crdito malparado, sobretudo nas empresas pblicas. A subida das taxas de juro visa igualmente "reduzir a circulao dos capitais fora do sistema financeiro", confirma o comunicado do banco central. No incio de 2005 as autoridades chinesas devero subir novamente as taxas de juro, segundo economistas