MENU
Classificao
Conjuntura
Construo
Construo
Densidade
Desdobro
Doenas
Ecossistema
Editorial
Espcies
Incndios
Manejo
Melhoramento gentico
Mercado
Mercado - Brasil
Monitoramento
Nutrio
Nutrientes
Painis
Postes
Pragas
Pragas
Preservao
Produo
Propriedades
Propriedades
Resduos
Resduos
Resinas
Secagem
Silvicultura
Transporte
Viveiro florestal
Anunciantes
 
 
 

REVISTA DA MADEIRA - EDIÇÃO N°83 - AGOSTO DE 2004

Editorial

Em defesa do esclarecimento

A indiscutvel vocao florestal do Brasil projeta nosso pas como um dos grandes fornecedores mundiais de madeira e seus produtos. A floresta tropical da Amaznia possui oferta ilimitada, se aplicado sistemas de controle e manejo sustentado. Entretanto a presso mundial, a desinformao em nome do meio ambiente, e as limitaes impostas pelos mercados dificultam sua expanso.

Surge neste contexto s florestas plantadas, processo iniciado h quatro dcadas com incentivos fiscais, e hoje uma realidade presente em quase todos os estados brasileiros. Inicialmente, o Pinus e o Eucalipto foram introduzidos para suprir necessidades de segmentos industriais, sem qualquer comprometimento com seu uso mltiplo.

Hoje, somente em Pinus esto plantados 1,8 milho de hectares. A pesquisa e a tecnologia foram priorizadas com foco no uso mltiplo. Inquestionvel sua importncia econmica para o setor, embora ainda pairam junto a opinio pblica dvidas e mitos.

Em 2003,o setor de base florestal ( madeira, mveis, papel e celulose) foi responsvel por US$ 5,6 bilhes em exportaes. Deste total cerca de 40% foram produtos que tem no Pinus a sua matria prima. Na oferta de empregos este percentual sobe para 50% dos empregados que dependem do Pinus como matria prima. Este mesmo percentual se mantm prximo no recolhimento de impostos.

A demanda atual de 40 milhes m3 por ano, sendo que 27 milhes de m3 so absorvidos pela madeira slida. Mais especificamente para produo de molduras ( 34%) e mveis ( 24%). Os estados do Paran e Santa Catarina, alm de possurem os maiores plantios florestais de Pinus, so tambm os maiores consumidores, absorvendo 80% do total.

Outros fatores se somam a este, confirmando a importncia do Pinus no conjunto da economia nacional e nas exportaes. Alm disso, o Pinus adota o mesmo sistema de outras espcies agrcolas, diferenciando-se apenas no maior prazo de seu ciclo produtivo. A integrao com outras culturas agrcolas e at mesmo a pecuria perfeitamente vivel.

Os mitos e dvidas que este gnero apresenta devem ser esclarecidos. A sociedade brasileira precisa ser melhor informada. Somente assim teremos um crescimento sustentado e integrado, diminuindo a presso sofre as florestas nativas e preservando nosso meio ambiente.