MENU
Classificao
Conjuntura
Construo
Construo
Densidade
Desdobro
Doenas
Ecossistema
Editorial
Espcies
Incndios
Manejo
Melhoramento gentico
Mercado
Mercado - Brasil
Monitoramento
Nutrio
Nutrientes
Painis
Postes
Pragas
Pragas
Preservao
Produo
Propriedades
Propriedades
Resduos
Resduos
Resinas
Secagem
Silvicultura
Transporte
Viveiro florestal
Anunciantes
 
 
 

REVISTA DA MADEIRA - EDIÇÃO N°83 - AGOSTO DE 2004

Melhoramento gentico

Melhoramento de essncias florestais

Existem cerca de 100 milhes de hectares de plantaes florestais no mundo e as principais espcies florestais cultivadas pertencem aos gneros Pinus e Eucalyptus, os mais importantes no Brasil

O melhoramento vegetal de espcies florestais uma cincia relativamente nova, tendo experimentado maiores incrementos a partir de 1950. Provavelmente, as primeiras espcies a serem melhoradas em larga escala foram Pinus elliottii e Pinus taeda nos Estados Unidos e Acacia mearnsii (accia negra) na frica do Sul.

No Brasil, o melhoramento florestal apresentou maiores desenvolvimentos a partir de 1967, com a implantao dos incentivos fiscais ao reflorestamento. O melhoramento tem contribudo muito para a silvicultura intensiva no Pas, que possui cerca de 6,2 milhes de hectares de florestas plantadas e tem gerado diversas equivalentes a 4% do PIB.

Esta cincia apresenta peculiaridade e aspectos prprios, utilizando tambm conceitos desenvolvidos e aplicados ao melhoramento animal e ao de culturas agrcolas anuais. Isto devido ao aspecto perene e da diversidade de sistemas reprodutivos associados s espcies florestais.

O melhoramento florestal uma ferramenta de uso muito comum em grande parte das espcies cultivadas. Em diversas espcies florestais ela tomou tamanha proporo que atualmente florestas clonais, a partir deste melhoramento, constituem a grande maioria dos povoamentos comerciais.

A principal causa disso, que o aumento na demanda por produtos florestais como madeira para produo de polpa celulsica, carvo e serraria, tornou necessria a melhoria de povoamentos florestais com espcies deste gnero (Eucalyptus), a curto prazo. Deste modo, o longo tempo entre as geraes das espcies florestais dificultava a implantao de programas tradicionais de melhoramento, que gerariam a longo prazo famlias superiores.

O primeiro passo num programa de melhoramento florestal a identificao da espcie, procedncia, famlia ou clone a trabalhar.

O melhoramento de plantas consiste basicamente em modificar seu patrimnio gentico, com a finalidade de obter variedades, ou hbridos, capazes de apresentar maior rendimento possvel, com produtos de alta qualidade e capazes de se a adaptar s condies de um determinado ambiente, alm de exibirem resistncia s principais pragas e doenas. Desse modo, a variabilidade gentica existente na populao de melhoramento a matria prima sobre a qual so realizados processos de seleo e recombinao.

Em linhas gerais, o mtodo clssico de melhoramento de plantas baseia-se o cruzamento entre duas variedades, de maneira a promover uma recombinao de caracteres (hibridao), com a finalidade de aumentar a variabilidade gnica. Nas geraes seguintes, faz-se uma seleo dos indivduos portadores de caracteres desejveis.

Os especialistas elegem plantas com caractersticas desejveis e separam as que no exibem tais caractersticas ou as exibem em nvel insuficiente. A seleo repetida, ao longo de vrias geraes, leva a populao vegetal para a direo que deseja. Aps o melhoramento de espcies, possvel ento efetuar a clonagem.

A biotecnologia definida como o conjunto de tcnicas que usam organismos vivos ou partes destes para produzir ou modificar produtos, melhorar geneticamente plantas ou animais, ou desenvolver microrganismos para fins especficos. As tcnicas de biotecnologia servem-se da engenharia gentica, biologia molecular, biologia celular e outras disciplinas e seus produtos encontram aplicao nos campos cientfico, agrcola, mdico e ambiental.

A tecnologia da cultura de clulas, protoplastos e tecidos de plantas constitui uma das reas de maior xito da biotecnologia vegetal. Aps meio sculo de progresso, esta tecnologia conquistou destacada posio na propagao comercial e industrial de plantas, no melhoramento gentico, no manejo, no intercmbio e conservao de germoplasma e em outras aplicaes como as pesquisas em fisiologia vegetal e produo industrial in vitro de compostos secundrios.

O Brasil ocupa uma posio de destaque entre os pases em desenvolvimento, nas pesquisas nesta rea, graas ao esforo e investimentos nos ltimos anos, em especial da Embrapa e do Instituto Agronmico de Campinas.

No Brasil grande parte das populaes de eucalipto constituem-se de hbridos, ou com baixo teor percentual de hibridao devido aos cruzamentos que vem sendo processado desde as primeiras introdues, que ocorreram sem um devido cuidado na escolha do local adequado para a implantao dos pomares de sementes. Sementes destas populaes de eucalipto foram amplamente disseminadas, deste modo a identificao por caractersticas fenotpicas pode ser dificultada, uma vez que no temos populaes puras no pas.

Com o advento da biologia molecular, progressos no melhoramento de plantas tem sido alcanado com o uso de marcadores moleculares, que so derivados da anlise direta do polimorfismo das seqncias de DNA.

Marcadores moleculares esto sendo amplamente utilizados no processo de melhoramento gentico. O direcionamento da clonagem de plantas deve ser assentada num slido programa de melhoramento, de maneira que os marcadores moleculares so utilizados na conduo e assistncia desses programas de melhoramento, que tem como objetivo final gentipos superiores a serem clonados e convertidos em povoamentos clonais.



Melhoramento

A espcie Pinus nativo principalmente da Amrica do Norte e Amrica Central. Foi introduzido no Brasil por volta de 1936. O melhoramento gentico de Pinus feito visando: papel, celulose e madeira serrada ( Pinus elliottii, Pinus taeda) e produo de resina (Pinus elliottii).

De maneira genrica, podem-se enunciar as principais espcies florestais utilizadas no melhoramento no centro-sul do Brasil, em razo dos principais produtos florestais demandados.

Alm do melhoramento florestal de espcies de reflorestamento, o melhoramento gentico de espcies nativas apresentam uma importncia ecolgica muito grande para os ecossistemas de que participam. Muitas vezes a conservao gentica destas espcies demanda maior interesse do que o prprio melhoramento gentico.

Os aspectos conceituais e prticos do melhoramento gentico das espcies nativas so bastante complexos. Especial nfase deve ser dada biologia reprodutiva e aos mtodos de propagao dessas espcies, as quais, via de regra apresentam complexos sistemas reprodutivos e problemas na produo de sementes, fatos que dificultam o programa de melhoramento e de conservao gentica.

A Seringueira(Hevea brasiliensis) uma das principais espcies florestais nativas do Brasil. No incio do sculo, o Brasil ocupava a primeira posio mundial na produo e exportao de borracha natural. Porm a partir de 1913 o Brasil perdeu a hegemonia no mercado mundial da borracha tendo que disputar o mercado com os pases do sudeste asitico.

O Pinheiro do Paran (Araucaria angustifolia) produz madeira de alta qualidade, sobretudo para fabricao de mveis, e tem sido explorada comercialmente por algumas empresas do sul do Brasil, principalmente em sistema agroflorestal.

Os trabalhos de gentica e melhoramento desta espcie vm sendo realizados com nfase para o estudo da variabilidade gentica e da quantificao do tamanho efetivo das populaes, com vistas principalmente conservao gentica.

O palmiteiro tambm uma espcie de grande importncia econmica (atravs da produo de palmito) e ecolgica nos sistemas em que se desenvolve, sendo manejo em regime de rendimento sustentado uma alternativa vivel de sua utilizao.

Em face desta caracterstica da espcie, o enriquecimento das florestas a partir de semente melhoradas e os estudos de gentica das populaes locais so fundamentais para a concretizao da conservao e do manejo de seus recursos genticos.

No passado, o tcnico se preocupava com tticas. No futuro, ele dever concentrar-se em estratgias. Os requisitos estratgicos so fartamente claros: o tcnico precisa adotar ou adaptar as estratgias bsicas e as tticas que a Natureza tem empregado com tanto sucesso na evoluo das plantas e que ele ignora com os riscos para ele e para o mundo.

O campo operacional extremamente amplo e demanda a explorao equilibrada de todos os meios e dispositivos de acordo com as necessidades do ambiente da planta, interno e externo, natural ou artificial, de curta ou longa durao.

As urgentes demandas de um mundo faminto por alimentos podero, dentro dos prximos anos, reclamar programas concentrados e macios para a obteno de rpidos resultados, mas a convenincia no deveria desviar a ateno do tcnico para a meta principal no melhoramento vegetal: a preservao e utilizao seletivas da variabilidade gentica para o bem da humanidade.

KELLY CRISTINA, Depto. de Engenharia Florestal UFV- Universidade Federal de Viosa