MENU
Editorial
Exportaes Brasileiras
Logstica
Mercado - China
Mercado - EUA
Mercado - Europa
Mercado - ndia
Mercado - Mxico
Mercado - Oriente Mdio
Transporte
E mais...
Anunciantes
 
 
 

REVISTA DA MADEIRA - EDIÇÃO N°81 - JUNHO DE 2004

Mercado - Oriente Mdio

Relaes comerciais mostram grande potencial

O intercmbio comercial entre Brasil e os Pases rabes vm crescendo a cada ano, porm em passos ainda lentos. De janeiro a outubro de 2003, a corrente de comrcio brasileira com este bloco econmico atingiu US$ 4,065 bilhes, com saldo positivo para a Liga rabe em US$ 73 milhes. No mesmo perodo do ano passado, este nmero chegou a US$ 3,8 bilhes, um crescimento de 5%. O objetivo incrementar este intercmbio, uma vez que o bloco corresponde a somente 3,3% do total exportado pelo Brasil e 5,17% do total importado.

J para os Emirados rabes houve uma queda de 13% em relao a 2002. Apesar da reduo, o Brasil tem buscado diversificar os produtos comercializados com o pas. No caso da importao, a queda foi ainda maior, de US$ 91 milhes comprados em 2002 para US$ 1,3 milho em 2003, deixando um saldo positivo de US$ 362,886 milhes para o Brasil no acumulado do ano.

Os principais produtos exportados aos Emirados rabes so leos brutos de petrleo (25,81%), acares de beterraba e sacarose (22,23%) e carnes de galinha em pedaos congelados (12,45%). Tambm so vendidos leo de soja refinado, carroceria para veculos automotivos, laminados de ferro, carne bovina, madeira compensada, pneus, elevadores, laranjas, maquinrios e peas em geral, caf e chocolates.

Entre os principais produtos importados esto acumuladores eltricos (37,61%), uvas secas (16,96%) e rolamentos de esferas de carga radial (10,50%). Outros itens comprados pelo Brasil so cadeados de metal, calas jardineiras, desodorantes, gua de colnia, roupas (calas de malha, saias) e bolsas.

Os setores brasileiros considerados com grande potencial para realizao de negcios em Dubai so mveis e artigos de decorao, materiais de construo, tratores, veculos de transporte como nibus e automveis 4x4, avies, txteis e confeces, calados, software, servios de automao bancria e predial, cosmticos e produtos de higiene pessoal, fumo, jias, bijuterias e pedras ornamentais, utenslios domsticos, produtos para pet shop, brinquedos e equipamentos mdico-hospitalares, inclusive odontolgicos.

As manifestaes realizadas no final de 2003, como a visita do presidente da Repblica Sria, ao Lbano, aos Emirados rabes Unidos, ao Egito e Lbia, podero representar um novo marco das relaes econmicas e comerciais com os pases rabes. Devemos manter a pauta atual de produtos, ampliando-a com cosmticos, produtos mdico-hospitalares, mquinas agrcolas, tratores, caminhes, automveis e produtos agroindustriais de consumo. Com relao s estimativas, podemos chegar a US$ 3,8 bilhes, segundo o secretrio geral e diretor de comrcio exterior da Cmara de Comrcio rabe Brasileira, Michel Alaby.



Emirados rabes Unidos

Uma grande transformao econmica tomou lugar nos EAU desde a formao do Estado com o uso prudente dos recursos petrolferos. Entretanto, embora gs e petrleo constituam o recurso bsico da renda pblica, o segredo do atual sucesso da economia tem sido determinado pela perseverana e estratgia do governo em diversificar a economia, tendendo para a criao de novos setores produtivos, combinados com rendas obtidas com investimentos estrangeiros. Isto fez com que a economia dos Emirados consiga manter-se relativamente imune aos efeitos das flutuaes dos preos de petrleo. Os EAU hoje o terceiro maior centro de reexportao no mundo, depois apenas de Hong Kong e Cingapura.

Os EAU tm a terceira maior reserva de petrleo do planeta. Produo de leo e gs foi o esteio da economia dos Emirados rabes Unidos e permanecer como a fonte de renda principal para o futuro. taxa atual de utilizao, e excluindo qualquer descoberta nova, estas reservas continuaro provendo energia aos Emirados rabes Unidos por mais de 150 anos. Os principais parceiros comerciais dos EAU so Pases rabes, pases do Conselho de cooperao do Golfo (CCG), Japo, Estados Unidos, Gr Bretanha, Alemanha, Frana, Itlia, sia e Oceania e frica do Sul.

O pas exportou ano passado US$ 49,6 bilhes, sendo principalmente petrleo cru, gs, produtos petroqumicos, minerais, alumnio, ouro, tmaras e produtos variados manufaturados. As importaes no mesmo ano totalizaram US$ 39,2 bilhes, sendo importados principalmente produtos e bens de consumo, produtos alimentcios, ouro, equipamentos eletro-eletrnicos, equipamentos da indstria pesada, equipamentos de informtica e telecomunicao.



Brasil exporta mais para pases rabes

As exportaes do Brasil para os pases rabes cresceram 56% no primeiro trimestre deste ano, se comparado com o mesmo perodo do ano passado. As importaes de produtos rabes subiram 33%. Esses porcentuais engrossaram os argumentos em favor da maior integrao entre os mercados do Brasil e de seus scios do Mercosul com os pases do Golfo Prsico e do Magreb, e reforaram os sinais j emitidos por Egito e Marrocos de interesse no incio de negociao comercial com o bloco sul-americano.

Mas os nmeros no derrubaram o desinteresse brasileiro em aprofundar os primeiros contatos feitos na visita do presidente Luiz Incio Lula da Silva a cinco pases rabes, em dezembro: Sria, Lbano, Emirados rabes, Egito e Lbia. O presidente da Cmara de Comrcio rabe-Brasileira (CCAB), Paulo Atallah, alerta que o Brasil est atrasado na corrida pelo consumidor e investimentos rabes. No vcuo deixado pelo empresariado dos Estados Unidos, os pases da Europa Ocidental esto cada vez mais empenhados na conquista do mercado rabe e ganhando espaos que poderiam ser ocupados pelo Brasil.

Pases do Norte da frica, como Egito e Marrocos, se movimentam em direo a um acordo comercial com o Mercosul, motivados pelas negociaes entre o Mercosul e a Unio Europia. Ao mesmo tempo, vemos pases da Europa cada vez mais interessados em aproximaes institucionais e empresariais com os pases do Golfo e do Magreb.

Menos entusiasmado com os possveis resultados prticos da reunio de cpula Amrica do Sul-Pases rabes, Atallah acredita que governo e empresrios brasileiros deveriam trabalhar diretamente o estreitamento de relaes com esses pases. O Brasil tem de copiar o que os demais pases esto fazendo no mundo rabe.

Segundo dados da CCAB, de janeiro a maro o Egito se tornou o principal consumidor de produtos brasileiros do mundo rabe: importou US$ 170 milhes, um aumento de 129,7% ante igual perodo de 2003. Segundo da lista, a Arbia Saudita comprou US$ 160 milhes do Pas - 14,3% a mais na mesma comparao.

Os Emirados rabes tiveram recuo de 3,2%, comprando US$ 151 milhes. Mas, neste ano, as exportaes de petrleo brasileiro foram de US$ 25 milhes, quando alcanaram US$ 95 milhes em 2003. Isso significa que houve um total de vendas de US$ 70 milhes em produtos brasileiros de outros setores.

As exportaes do Brasil para a Arglia saltaram de US$ 25 milhes, de janeiro a maro de 2003, para US$ 65 milhes neste ano. Para o Marrocos, o crescimento foi de 50% nas importaes de produtos brasileiros, que somaram US$ 96 milhes. O caso da Sria foi mais expressivo: as exportaes passaram de US$ 5,5 milhes para US$ 41,5 milhes - salto de 654,5%. Para Atallah, boa parte do aumento pode ter sido escoado pela fronteira da Sria com o Iraque. uma regio com muitas estradas e famlias espalhadas dos dois lados e menos vigiada pelos EUA.

As listas dos 20 principais produtos embarcados pelo Brasil queles mercados, no mostra tantas novidades - acar, caf e automveis continuam na liderana. A diferena comea a ser notada nas exportaes, que variam de US$ 100 mil a US$ 500 mil. Nesse setor, explorado principalmente por pequenas e mdias empresas, h itens com alto valor agregado: disjuntores, calados, mveis.

A Lbia comprou US$ 16,7 milhes em produtos brasileiros no primeiro trimestre, com aumento de 74% ante igual perodo de 2003. Segundo a CCAB, o Lbano teve crescimento de 50% e somou US$ 18 milhes. A Tunsia passou de US$ 8 milhes para US$ 30 milhes. (O Estado de So Paulo)

O mercado rabe composto por Emirados rabes, Arbia Saudita, Kuwait, Bahrein, Oman, Katar, Ir, Egito, Jordnia, ndia, Sria e Lbano. O grupo recebe cerca de 3% das exportaes mundiais, sendo que em alguns deles, como Arbia Saudita, Emirados rabes e Kuwait, cerca de 85% da demanda atendida pelas importaes.

Atualmente, cerca de 70% das vendas de mveis para esses pases so feitas pelos europeus. Os principais fornecedores so, em ordem de importncia, Itlia, Espanha, Frana, Alemanha e Reino Unido, todos estes pases tiveram crescimento entre 5% e 10 % nas suas exportaes para o Oriente Mdio nos ltimos anos. Atualmente, o Brasil possui grandes oportunidades neste mercado, em virtude da forte averso aos produtos americanos, pelo mundo rabe. Os brasileiros, ao contrrio, so bem quistos pelos rabes.

Com relao aos itens de madeira e mveis existem muitas opes. em Dubai, nos Emirados rabes, que se realiza a Feira Internacional de Mveis Index. Entre os pases rabes, a Sria o que mais compra do Brasil, e l onde tambm acontece a Feira de Damasco, dois grandes eventos voltados para o setor de base florestal. O setor florestal brasileiro participa com 2% das importaes daquela regio, comercializando em mdia, US$ 150 milhes anuais. Outras importaes so oriundas dos Estados Unidos (20%), Gr-Bretanha (13%) e Japo (11%). Os Emirados rabes e a Arbia Saudita so os principais compradores do Brasil. So pases que no compram preo, pagam pela qualidade e diferenciao em design. As madeiras nobres, certificadas ou oriundas de reflorestamento, so preferidas deste mercado. Entre os produtos de maior demanda nos pases do Golfo rabe esto portas, esquadrias, painis de MDF e aglomerado, mveis e madeira trabalhada.



rabia Saudita

rea: 2.240.000 Km2

Capital: Riad

Membro da: CCASG Co-operation Council for the Arab States of the Gulf, IDB Islamic Development Bank, LAS League of Arab States, OAPEC Organization of Arab Petroleum Exporting Countries, OIC Organization of the Islamic Conference, OPEP Organizao dos Pases Exportadores de Petrleo.

Populao: 18.840.000

Taxa de crescimento demogrfico: 3,6%

Expectativa mdia de vida: H-68 e M 71

Lnguas: rabe

ndice de alfabetizao (adultos): 63%

Moeda: Riyal Saudita (US$ 1 = 3,7 riyals)

Relaes comerciais exigem observar caractersticas regionais

O secretrio-geral e diretor de Comrcio Exterior da Cmara de Comrcio rabe-Brasileira, Michel Abdo Alaby, destaca a necessidade de observar alguns aspectos da cultura local para aqueles que pretendem desbravar o mercado rabe. Entre algumas dicas esto:

-O empresrio rabe privilegia em suas relaes comerciais o contato face a face com o interlocutor. Para efetuar compras, o empresrio rabe gosta de ver, sentir, tocar o produto e barganhar o preo.

- Em reunies de negcios no se deve abordar questes religiosas e/ou polticas. O assunto famlia tema nas conversas empresariais assim como futebol e cultura geral. No se deve conversar sobre assuntos que possam constranger o interlocutor. De acordo com a cultura local, as conversaes negociais so precedidas de relaes interpessoais em que a confiana, a palavra, a continuidade de negcios, a pacincia, a perseverana e a idia de que lucros sero divididos entre os parceiros so condies fundamentais para o xito das operaes comerciais. As informaes explicitadas no devem ser entendidas como conclusivas, mas consideradas como idias bsicas para nortear o comportamento do empresrio brasileiro. importante ler mais a respeito, consultando bibliografia especializada.

-Como regra geral, ter listas de preos definidas em dlar ou euro (nas modalidades Incoterms 2000), ter catlogos em ingls e rabe ou francs e rabe, cartes de visitas bilnges (frente e verso), estar preparado para exercer negociao de preo, negociar com crditos documentrios, ter pacincia, perseverana e saber justificar com detalhes tcnicos a qualidade do produto da empresa. Normalmente, as negociaes levam tempo para ser concludas. No do dia para a noite.



Cultura no Oriente Mdio

Por definio, os pases rabes possuem uma coisa em comum, o idioma rabe. J a estratgia mercadolgica diferenciada por pas ou grupo de pases. Do ponto de vista industrial, alguns pases tm desenvolvido polticas de fomento industrializao, principalmente naqueles setores bsicos da economia primria ou em setores intensivos de utilizao de petrleo.

So 22 os pases rabes, a saber: Arbia Saudita, Arglia, Bahrein, Djibuti, Egito, Emirados rabes Unidos, Ilhas Comores, Iraque, Jordnia, Kuwait, Lbano, Lbia, Marrocos, Mauritnia, Om, Catar, Sria, Somlia, Sudo, Territrios Autnomos da Palestina, Tunsia e Imen. Alguns pases so membros da Organizao Mundial do Comrcio, tais como Egito, Arglia, Marrocos e Jordnia. A Arbia Saudita est negociando sua adeso Organizao Mundial do Comrcio. No Acordo do SGPC Sistema Global de Preferncias Comerciais, que objetiva promover o comrcio via negociaes de listas de concesses, com as respectivas margens de preferncia, alguns pases so signatrios, tais como Arglia, Egito, Iraque (temporariamente no atuante), Lbia, Sudo, Jordnia e Tunsia.

Os pases da frica do Norte, Egito, Arglia, Tunsia e Marrocos, tm preferncias comerciais de entrada de seus produtos, principalmente de origem agrcola, na Unio Europia, com tarifas de importao variando entre 0% e 5%. Os pases da Pennsula Arbica (Arbia Saudita, Bahrein, Catar, Om, Emirados rabes Unidos e Kuwait) constituram em 1994 o Conselho de Cooperao Econmica do Golfo, em que a Zona de Livre Comrcio est em vigor desde 1999 e a Unio Aduaneira desde 2003, com tarifa externa comum mxima de 12%. Pretendem at 2007 ter a Unio Monetria.

Em todos os pases rabes a religio predominante a islmica, cuja lei prevalece sobre o direito. Existe a Sharia, lei religiosa que determina o modo de vida e o comportamento comercial.

O calendrio utilizado o lunar, diferentemente do calendrio ocidental gregoriano. As sextas-feiras so consideradas domingos (calendrio ocidental). As nicas excees so a Tunsia e o Lbano, onde se acompanha o calendrio ocidental dos fins de semana. s quintas-feiras, os rgos pblicos e o sistema financeiro trabalham meio perodo. As festas religiosas so respeitadas ao extremo e nesse perodo no so recomendadas viagens de negcios. No perodo do Ramad, o trabalho reduzido e os negcios so limitados ao mximo.

O perodo de frias acompanha o calendrio ocidental europeu e americano, principalmente nos meses de julho e agosto, em que os homens de negcios deixam os pases e vo passar frias com a famlia em pases rabes da frica do Norte, Sria, Lbano e Europa. As temperaturas mdias em todos os pases rabes no vero chegam a 50C. Os negcios se desenvolvem entre os meses de janeiro e junho e de setembro at o dia inicial do ms do Ramad. A maioria dos pases rabes probe o consumo de bebidas alcolicas e carne de porco. Existem excees, como Tunsia, Marrocos e Lbano. A compra de bebidas destiladas de exclusividade dos estrangeiros e dos hotis, porm em alguns pases, como a Arbia Saudita, probe-se terminantemente o consumo de bebidas alcolicas.