MENU
Editorial
Exportaes Brasileiras
Logstica
Mercado - China
Mercado - EUA
Mercado - Europa
Mercado - ndia
Mercado - Mxico
Mercado - Oriente Mdio
Transporte
E mais...
Anunciantes
 
 
 

REVISTA DA MADEIRA - EDIÇÃO N°81 - JUNHO DE 2004

Mercado - Mxico

Economia mexicana se destaca na Amrica Latina

O Mxico tem uma localizao privilegiada, com extensas costas para o Atlntico e o Pacfico, que lhe garante fcil acesso aos pases da Amrica do Norte, Amrica Central e do Sul, Europa e sia. Com uma rea de 1.964.375km2, o quarto pas em extenso territorial nas Amricas e, com uma costa de 11.122km o segundo, depois do Canad.

O pas hoje a nona maior economia do mundo e tambm o pas que tem a maior quantidade de acordos de livre comrcio, que so 11, cobrindo 42 pases em trs continentes, o que lhe permite um acesso preferencial a um mercado potencial com quase um bilho de pessoas. importante ressaltar que todos esses acordos foram discutidos e negociados com a forte e institucionalizada participao do empresariado mexicano.

Em 2003 o Mxico recebeu US$ 10,7 bilhes de investimentos estrangeiros e espera-se chegar a treze e meio bilhes ao final deste ano, de acordo com Edmyr Piereck, vice-presidente executivo da Cmara de Indstria, Comrcio e Turismo Brasil-Mxico. Com 3.152 km de fronteira com o maior mercado do mundo, os Estados Unidos so o seu maior parceiro comercial, destino e origem de mais de 75% de seu comrcio exterior. No ano passado, o Mxico obteve um impressionante superavit de US$ 41 bilhes com o "grande irmo do norte".

Uma prudente conduo da poltica fiscal e monetria no pas tem permitido um comportamento estvel nas variveis financeiras. No primeiro trimestre o comrcio exterior mexicano teve uma significativa acelerao, com um crescimento de 10,7% nas exportaes, com forte participao dos manufaturados, e um aumento de 11,5% nas importaes, notadamente de bens intermedirios e de capital.

Esses fatores, e ainda um desempenho bastante favorvel da indstria de construo, garantiram um crescimento superior a 3% no primeiro trimestre deste ano. O Mxico uma economia aberta, tendo essa abertura se iniciado no meio dos anos 80 e consolidado no meio dos anos 90, quando o comrcio exterior saiu de US$ 37 bilhes em 1982 para os US$ 342 bilhes em 2003.

Relao comercial

O Mxico e o Brasil so de longe os maiores pases e maiores economias da Amrica Latina. Entretanto, ainda que a relao comercial entre os dois venha tendo um incremento significativo, tendo passado de US$ 692 milhes em 1990 para US$ 3.274 milhes em 2003 (conforme dados do MDIC), ainda h um grande espao para um significativo aumento no intercmbio. Nos ltimos anos o Brasil vem apresentando superavits constantes, tendo ultrapassado US$ 2 bilhes em 2003. Faz-se necessrio a busca de um equilbrio, atravs de um crescimento de nossas importaes do Mxico, aproveitando os acordos que temos e descobrindo interessantes alternativas de fornecedores para uma enorme gama de produtos.

Hoje os dois pases tm em vigor os acordos PTR 4 e ACE 53 e 55. O primeiro, concede uma preferncia tarifria de 20% na maioria dos produtos da pauta. O Acordo de Complementao Econmica 53 tambm d preferncias de 20 a 100% a quase 800 produtos. Atualmente se est negociando a ampliao desta lista. O ACE 55, do setor automotivo, ora em seu segundo ano de vigncia, estabelece, reciprocamente, a iseno do imposto de importao nos automveis e veculos comerciais leves, dentro de um sistema de cotas que se iniciaram em 140.000 unidades, chegando a 210.000 em 2006 e, a partir de 2007, livre comrcio. E mais. A quase totalidade das autopeas tambm so isentas do imposto de importao; tanto no Brasil quanto no Mxico. O ACE 55 se reflete fortemente na composio da pauta dos dois pases, pois as mercadorias do setor automotivo respondem por mais de 50% do total.

Nos ltimos anos, os mexicanos tm investido fortemente no Brasil, nas reas de telecomunicaes, entretenimento, hotelaria, alimentao, autopeas, etc. Ainda que no no mesmo volume, o caminho inverso tambm est sendo descoberto com empresas brasileiras abrindo filiais no Mxico e investindo em plantas produtivas. Alis, alm do mercado mexicano ser de grandes propores, aqueles tratados de livre comrcio com 42 pases garantem o acesso privilegiado a eles. Por outro lado, regras claras e estabilidade poltica e econmica criam um clima altamente adequado a esses investimentos.

Cmara Brasil - Mxico

Fundada em 1990, a Cmara de Indstria, Comrcio e Turismo Brasil Mxico, tem entre seus objetivos principais o fomento das relaes bilaterais. Para atingi-lo a Cmara promove misses comerciais ao Mxico, recebe misses mexicanas no Brasil, mantm contatos com os governos, associaes, sindicatos, etc., sempre em defesa dos interesses de seus associados e visando facilitar os contatos entre empresrios de ambos os pases para que aumentem seu comrcio, investimentos, etc. A Cmara tambm promove eventos anuais.

A Cmara Brasil Mxico constantemente busca identificar feiras e exposies no Mxico que sejam adequadas participao de empresas brasileiras, tendo realizado o Pabelln Brasileo, forma de participao conjunta, em mais de 13 exposies internacionais no Mxico. A ltima participao foi em fevereiro de 2004, em Guadalajara, na Expo Mueble Internacional Invierno.

Brasil e Mxico prometem aumentar comrcio bilateral

Os participantes do painel Panorama Bilateral, apresentado durante a reunio do Comit Brasil-Mxico, chegaram a um consenso: O intercmbio comercial entre os dois pases insignificante para a dimenso de suas economias. Segundo estudo divulgado pela Confederao Nacional das Indstrias (CNI), o Mxico o destino de 3,7% das exportaes totais brasileiras, enquanto os produtos vendidos pelo Brasil representam apenas 1,9% das importaes totais mexicanas.

Em 1997, Brasil e Mxico firmaram um acordo que visava a eliminao ou reduo de tarifas entre os dois pases para 796 produtos, o Acordo de Complementao Econmica 53. Por ser limitado em termos de abrangncia e valor de comrcio, o ACE 53 foi pauta da Reunio do Comit Brasil-Mxico. O cnsul geral do Mxico, Salvador Arriola, props a criao de um grupo de trabalho que estude os documentos divulgados pela CNI, pelo Conselho Mexicano do Comrcio Exterior (COMCE) e pela Camex. Roberto Albarrn Campillo, presidente da Seo Mexicana do Comit Empresarial Brasil-Mxico, ainda reafirmou que temos que criar um mercado que nos sirva de plataforma para equilibrarmos a balana comercial de ambos os pases.

As exportaes do Brasil para China, Rssia, ndia e Mxico mais do que triplicaram entre 1998 e 2003. Nesse perodo, as vendas para os quatro mercados cresceram 246% e chegaram a 12,8% do total exportado pelo Pas - h cinco anos, essa participao era de 5,3%. Ao mesmo tempo, parceiros tradicionais perderam espao relativo no comrcio exterior com o Pas.

O avano dos novos destinos foi comprovado por levantamento da Fundao Centro de Estudos de Comrcio Exterior (Funcex). O estudo conclui que, a despeito das aes de promoo comercial, foi o crescimento da economia dos quatro pases que explicou a elevao das exportaes brasileiras. Excluindo esses destinos, o restante das vendas externas cresceu 43% no perodo. O levantamento mostra que o peso das vendas para a Unio Europia (UE) caiu de 28,8% para 24,8% de 1998 a 2003 e, para a Argentina, passou de 13,2% a 6,2%. A parcela dos Estados Unidos avanou de 19,3% para 23,1%.

O resultado do estudo deixa um alerta para os exportadores brasileiros, diz Fernando Ribeiro, economista da Funcex. O empresrio tem de olhar para todas as partes do mundo, principalmente para pases que crescem rapidamente, mesmo os menores. O Pas pode ser mais bem-sucedido se os empresrios pararem de olhar s para Mercosul, EUA e Europa.

A criao de um Comit Brasil-Mxico Permanente foi uma das propostas apresentada no Comit Empresarial Brasil-Mxico. A iniciativa, que partiu do ministro do Desenvolvimento, Indstria e Comrcio Exterior, Luiz Fernando Furlan, e do secretrio de Economia do Mxico, Fernando Clariond, visa ampliar ainda mais a rea de comrcio e investimento entre os dois pases.

Esse comit permanente atuaria paralelamente ao Comit Brasil-Mxico para reunir equipes tcnicas, que resolveriam pendncias e discutiriam o comrcio bilateral. preciso diversificar a agenda de comrcio entre os dois pases e conhecer melhor as potencialidades de cada um. Fernando Clariond enfatizou a importncia do comrcio bilateral. Alm de continuar a importar autopeas do Brasil, podemos discutir a ampliao do comrcio de produtos agropecurios, afirmou. A importao de autopeas para o Mxico totalizou US$ 695,4 milhes em 2003.

Se voc imagina que, ao chegar Cidade do Mxico, vai encontrar pessoas tpicas das novelas do SBT, com nomes compostos como Maria Dolores e Ernesto Alfredo, e mulheres maquiadssimas pela rua, no fique na dvida. Voc est absolutamente certo. As mulheres realmente carregam na maquiagem a qualquer hora do dia, mas esta no a nica caracterstica tpica do Mxico. L possvel ver mariachis tocando nos restaurantes a qualquer hora, principalmente na plaza Garibaldi, um ponto tradicional da madrugada onde os cantores competem para ver quem consegue ser mais ouvido. O ideal pedir uma mesa em um dos bares da praa e apreciar a boa msica latino-americana.

Outras caractersticas presentes na cidade so o cacto e o chili, que fazem parte da alimentao do mexicano, assim como o arroz e o feijo no Brasil. Os produtos so facilmente encontrados in natura nas barraquinhas espalhadas pelas praas e feiras da cidade e tambm nos restaurantes. A pimenta o tempero mais bsico que o sal e servida at com chocolate. J o cacto vai para os pratos e tambm para os copos, em forma de suco. Outra bebida que no falta a tequila. Adivinhe do que ela feita? De cacto, claro. O Maguey tequilero origina um suco que, ao ser fermentado, forma o pulque, um vinho muito gostoso que, depois de destilado, vira tequila. Para tom-la, coloque sal numa mo, limo na outra e solte o versinho Acima, abajo, al centro e a dentro. Coma o sal, beba a tequila e alivie com o limo. Uma delcia. Mas para quem no quer a pinga pura, experimente a margarita, feita com suco de limo, tequila e sal na borda do copo.

A nica figura que voc no vai encontrar com facilidade o trabalhador descansando durante a sesta, usando o famoso sombreiro. O governo do Mxico tem tentado desfazer a imagem de preguia que por anos foi atribuda ao pas. De fato, as pessoas param aps o almoo para descansar, mas o sombreiro s encontrado em locais mais afastados. Apesar disso, a pea no falta nas feiras e mercados para turistas. As famosas pirmides do Mxico podem ser encontradas a 50 km ao norte da capital, em Teotihuacn, cujo significado o local onde os homens se tornam deuses. A cidade uma das mais impressionantes do mundo antigo, foi fundada antes da era crist e chegou a ter mais de 125 mil habitantes.

Os teotihuacanos, como foram chamados pelos astecas (at hoje no se sabe muito sobre este povo), foram um das civilizaes mais avanadas daquele tempo e do posterior tambm. As tcnicas de construo de pirmides, a expanso territorial e o comrcio foram passados at os astecas. O pice ocorreu nos anos 400 e 500, mas por volta dos anos 650 ela sucumbiu. No se sabe muito bem o que causou seu lento desaparecimento, mas aparentemente a cidade esgotou os seus recursos ou foi atacada por povos nmades.

Quando os astecas chegaram regio, consideraram Teotihuacn uma cidade sagrada construda pelos deuses ou por gigantes. Os templos e pirmides do stio arqueolgico refletem a grandiosidade desse povo, mas ainda no revelou a histria deles. Para explorar o local, os visitantes devem estar dispostos a caminhar por terrenos irregulares e subir escadas a uma altitude de 2.300 metros, sem contar o sol forte que ilumina Teotihuacn quase todos os dias. No vero possvel tambm pegar chuva. No se esquea do protetor solar, do chapu e de sapatos confortveis. A caminhada grande e as escadas que levam ao alto das pirmides parecem no acabar, mas vale a pena. A vista deslumbrante e voc se sente no meio da histria dos teotihuacanos l de cima.



Catolicismo

A Igreja representa o poder do catolicismo no pas, onde nove em cada 10 habitantes so catlicos. Ela, assim como vrias outras construes da regio, est sofrendo afundamento. Em uma das esquinas do Zcalo est o Templo Mayor, que foi aterrado, assim como a casa de Montezuma, para a construo da cidade espanhola em 1521. O templo ficava no centro de Tenochtitln e s foi descoberto em 1978. O edifcio religioso foi construdo pelos astecas nos sculos 14 e 15, no local onde, segundo a lenda, eles haviam visto uma guia comendo uma serpente em cima de um cacto. O trio est representado na bandeira do pas.

Os dois templos que ficam no topo da construo homenageiam os deuses da guerra, Huitzilopochtli, e da chuva e da gua, Tlaloc. Diz a lenda que os astecas costumavam acalmar os deuses com sacrifcios humanos. Pelos calades da praa se espalham os camels vendendo desde as mais tpicas lembrancinhas do pas a filmes fotogrficos e aparelhos eletrnicos.

Pessoas tocando msicas locais, ndios com incenso e at mesmo uma barraquinha do Exrcito Zapatista de Libertao Nacional (EZLN), do sub-comandante Marcos, tambm esto presentes. Qualquer semelhana com o viaduto do Ch e a praa da S no mera coincidncia.

Runas astecas

Tenochtitln, a capital do imprio asteca, foi construda em uma ilha do lago Texcoco. Ao ser invadida e conquistada pelos espanhis, ela foi destruda para a construo da nova cidade. O local se tornou a Plaza de la Constituicin, ou Zcalo, e guarda embaixo de seus edifcios as runas astecas. Os espanhis usaram as pedras de Tenochtitln para fazer as novas obras e acabaram aterrando o lago para ampliar o territrio.

O ato expansionista causou um dos principais problemas da cidade: ela est afundando. O aterramento do Texcoco criou um solo instvel e frgil. A terra no suporta o peso das construes e vrios prdios, igrejas, monumentos e at mesmo as ruas apresentam desnvel e rachaduras.

Os danos se estendem por toda a cidade. No Paseo de la Reforma, por exemplo, o monumento a la Independencia submerge 2 cm por ano e j afundou 36 metros .Quando foi erguido, em 1910, a base ficava beira da rua. Com o desnvel, o governo comeou a colocar degraus de pedra embaixo do monumento para retardar seu afundamento.

At mesmo a Baslica da Virgem de Guadalupe e as demais igrejas do local, que ficam ao norte da cidade e no fim do lago, apresentam trechos com desnvel. Mas o Zcalo mesmo a regio mais afetada. Atrs da Catedral h vrios prdios com fortes rachaduras causadas em razo dos problemas do solo e tambm em decorrncia do terremoto de 1985, que matou 9.000 pessoas na cidade.