MENU
Editorial
Exportaes Brasileiras
Logstica
Mercado - China
Mercado - EUA
Mercado - Europa
Mercado - ndia
Mercado - Mxico
Mercado - Oriente Mdio
Transporte
E mais...
Anunciantes
 
 
 

REVISTA DA MADEIRA - EDIÇÃO N°81 - JUNHO DE 2004

Mercado - ndia

Potencial de negcios da ndia amplia interesses

O governo brasileiro est empenhado em conquistar novos mercados de destino para os produtos brasileiros. Depois de aumentar o intercmbio com a China, Rssia, Oriente Mdio e frica do Sul, o Ministrio do Desenvolvimento, Indstria e Comrcio Exterior (MDIC) e a APEX-Brasil querem reforar a promoo dos produtos "made in Brazil" em outro grande mercado, a ndia. O interesse brasileiro neste pas se justifica, principalmente pela dimenso do mercado - so mais de um bilho de habitantes - e pelo crescimento econmico verificado nos ltimos anos - o PIB tem aumentado 5% ao ano desde 2000.

Alm disso, existem outros fatores estimulantes ao investimento como a abertura da economia, as reformas realizadas recentemente no pas e a infra-estrutura em desenvolvimento. O setor que apresentou crescimento nas exportaes em 2003 foi o de manufaturados, com um crescimento de 24% em relao a 2002.

O potencial do mercado indiano no atrai somente o Brasil. O Mercosul est negociando um Acordo de Preferncias Fixas para fortalecer as relaes entre o bloco e este pas, promover a expanso do comrcio e estabelecer as condies e mecanismos para uma futura rea de Livre Comrcio. Com a pesquisa que ser encomendada pelo MDIC, ser possvel ter um mapa mais claro do mercado indiano para produtos nacionais: quais mercadorias teriam demanda, aspectos de logstica, tributao, regulamentao, nveis de preo e legislao indiana.

Um estudo identificar condies de competitividade para as empresas brasileiras, apresentando os pases com os quais concorrem no mercado indiano. Os setores onde sero realizados os estudos so cosmticos, jias, calados, mveis, produtos cermicos e equipamentos mdicos, formando um grupo de cerca de 60 produtos.

Abertura de mercados

Na opinio de Rmulo Thom, presidente da Cmara de Comrcio, Indstria e Tecnologia Brasil-ndia, os empresrios indianos tm grande interesse em comprar mveis e tambm h boas perspectivas para os setores txtil e alimentcio. Para ele, no entanto, falta ainda uma melhor rentabilidade do Brasil em termos de tecnologia de computadores. A indstria indiana de computadores cresce 54% ao ano na produo de softwares e 30% no ramo de hardware.

"A ndia exporta US$ 9 bilhes em softwares, enquanto o Brasil vende US$ 600 milhes. E aqui se fala que porque o produto brasileiro inferior ao indiano. Mas h softwares desenvolvidos no Brasil que so aplicados na Europa com resultados bem eficientes, compara Thom.

A ndia, que j foi um dos pases que menos cresciam no mundo, conseguiu reverter o quadro e vem registrando altas taxas de expanso e j tem um Produto Interno Bruto (PIB) maior do que o do Brasil. No ano passado, o PIB da ndia ficou em US$ 514,9 bilhes e o do Brasil, em US$ 452 bilhes, segundo dados da agncia de classificao de risco Fitch Ratings. E este ano deve consolidar essa posio. De acordo com as projees da Fitch, o PIB do Brasil deve ficar em US$ 441,3 bilhes e o da ndia, em US$ 585,8 bilhes. A principal causa para o PIB indiano ser maior que o do Brasil em dlares que a ndia vem crescendo muito mais rapidamente.

Por causa disso, mesmo em um perodo de queda de fluxos de investimentos diretos para emergentes, a ndia, que praticamente no recebia esses recursos, deve atrair US$ 5 bilhes neste ano. Entre os setores que mais se expandiram na ndia nos ltimos anos esto o da informtica, alta tecnologia e de servios nessa rea. Um dos itens mais expressivos na pauta de exportaes do pas o setor de software.

Na comparao com a China, o outro gigante da sia, a ndia tem um mercado de capitais mais desenvolvido, mas tem uma taxa de poupana domstica bem inferior, segundo a Fitch. Um dos problemas da ndia a situao fiscal. De acordo com a agncia, o dficit pblico indiano chega a 10% do PIB. Em dez anos, as exportaes da ndia para o Brasil saltaram de US$ 12 milhes para US$ 579 milhes. Do pas asitico, saem para os portos brasileiros remdios, produtos qumicos e petrolferos, softwares de computador e tecidos, entre outros. Por outro lado, o Brasil vende aos indianos produtos como acar, autopeas, aeronaves da Embraer, tecnologia de lcool combustvel e soja. De US$ 1,2 bilho negociado entre os dois pases no ano passado, o Brasil vendeu US$ 654 milhes.

Para melhorar ainda mais as relaes comerciais entre as duas naes, agora parceiras no Grupo dos Trs (G-3) aliana entre Brasil, frica do Sul e ndia para o comrcio mundial o ministro das Relaes Exteriores, Celso Amorim, foi recentemente at Nova Dlhi. Participou de um seminrio sobre intercmbio comercial e da instalao oficial da primeira sesso da Comisso Mista Brasil-ndia de Cooperao Poltica, Econmica, Cientfica, Tecnolgica e Cultural. O acordo, que pe em prtica as intenes de ambos os pases de melhorar o intercmbio comercial, surpreendeu os pases desenvolvidos na ltima reunio da Organizao Mundial do Comrcio (OMC).

Setor florestal

Os estados indianos vm adotando uma abordagem chamada Manejo Florestal Conjunto, que atende s prioridades estabelecidas no mbito da Poltica Florestal Nacional de 1988. Esse processo promoveu o dilogo e desenvolvimento de parcerias entre um nmero crescente de atores na rea de manejo florestal, embora seja lento o ritmo de mudanas.

O Projeto de Meios de Vidas Rurais Sustentveis est apoiando o governo de Andhra Pradesh a implementar abordagens de meios de vida sustentveis em nvel de bacia hidrogrfica a fim de beneficiar as populaes mais carentes. O governo da ndia adotou uma abordagem de desenvolvimento de bacia hidrogrfica ao longo dos anos 70 para reverter o quadro de degradao dos solos.

Atualmente, alguns Ministrios adotaram uma "abordagem de bacias hidrogrficas" para o desenvolvimento, incluindo os Ministrios de Agricultura, do Meio Ambiente e de Recursos Florestais. J existem alguns esforos no sentido de aproximar essas experincias.

No setor florestal em Himachal Pradesh (HP) e Karnataka, o marco institucional e de polticas no acompanhou as mudanas econmicas, sociais e ambientais, resultando na falta de sistemas de manejo efetivo e eqitativo de bens e servios florestais. A avaliao do setor florestal de HP foi realizada no mbito de seu Projeto Florestal de HP com o objetivo de examinar trs questes primordiais:

promover aes inter-setoriais e participao popular no manejo florestal de forma a atender s necessidades no que diz respeito aos meios de vida da populao;

- melhorias no manejo florestal que aumentem a disponibilidade de bens e servios;

- coerncia entre os sistemas de governana, leis e polticas relativos ao setor florestal.

Regies Florestais

A ndia possui um dos mais luxuriantes revestimentos florestais da Terra. Suas principais regies fitogeogrficas so:

Himalaia Oriental, onde predominam gramneas e orquidceas, mas ocorrem espcie de laurceas no sul do Vale do Bramaputra e pinheiros nas zonas temperadas; nas montanhas de Kashi so comuns os pinheiros de luzon;

Himalaia Ocidental, no qual ocorrem sobretudo gramneas e leguminosas, alm de uma rica vegetao alpina; no noroeste e na poro central, existem florestas de pinheiros, abetos e cedros-do-Himalaia;

Plancie dos Indus onde predomina uma vegetao arbustiva, e esparsa, tpicas das reas semidesrticas;

Plancie Gangtica, que se caracteriza por suas florestas de Shorea robusta, cuja madeira valiosssima;

Regio Malabar, na qual dominam diversas espcies de conferas de grande porte;

Regio do Decan, cuja vegetao caracterstica consiste principalmente em rvores decduas, como as diversas espcies de accias e tecas, que se levam sobre os extensos bambuais.

O governo pretende tambm trocar experincias em reas onde a ndia possui excelncia, como tecnologia de informao e telecomunicaes, biotecnologia, tecnologia espacial e indstria nuclear. O setor de infra-estrutura, contudo, apresenta muitas carncias ainda, impedindo fisicamente o desenvolvimento do pas. Para isso, s em 2003, o governo aumentou em US$ 20 bilhes o montante disponvel para financiamentos nesta rea. Outro fator interessante a emergncia da classe mdia indiana, que junto com a abertura progressiva do mercado, est criando oportunidades para bens de consumo e produtos de maior valor agregado, diferenciados em termos de design e qualidade.

Cultura indiana

Uma das civilizaes mais antigas do nosso planeta, a ndia um pas de contrastes. A diversidade de lnguas, hbitos e modo de vida no impedem que haja uma grande unidade na cultura do pas. Ao mesmo tempo que cada estado tem seu prprio modo de expresso, como na arte, msica, linguagem ou culinria, o indiano profundamente arraigado ao sentimento de amor sua nao e tem orgulho de sua civilizao ancestral, o que mantm vivas at hoje muitas tradies.

Talvez pela profuso de deuses adorados por diferentes segmentos da sociedade, a tolerncia religiosa algo inerente aos indianos acostumados a conviver com a diversidade, como as lnguas diferentes faladas muitas vezes por vizinhos. Nos dias de hoje ocorrem conflitos religiosos, mas isso no pode ser considerado caracterstico.

Muita coisa causa estranheza no ocidente, pois so muitos smbolos, muitas deidades, muitos rituais. A maioria relativo ao Hindusmo, que ainda a religio com mais seguidores na ndia, seguido pelo Islamismo e o Budismo. O Hindusmo to antigo quanto a civilizao da ndia, tanto que a palavra "hindu" erroneamente usada para dizer " indiano", e toda a simbologia vista pelos outros pases como se representasse a prpria ndia.

Smbolos

A principal mensagem dessa cultura a aquisio de conhecimento e a remoo da ignorncia. Enquanto a ignorncia como a escurido, o conhecimento como a luz. A lamparina, chamada de deepak tem muita importncia como smbolo, pois tradicionalmente feita de cermica, representa o corpo humano porque assim como o barro, tambm viemos da terra. O leo queimado nela como um smbolo do poder da vida. Uma simples lamparina quando imbuda desta simbologia chama-se deepak e nos d a mensagem de que toda e qualquer pessoa no mundo deve remover a escurido da ignorncia fazendo o seu prprio trabalho.Nos templos, sempre se oferece uma chama, significando que tudo que fizermos para agradar a Deus.

Outro smbolo que causa curiosidade para os ocidentais o Om, que representa o poder de Deus, pois o som da criao, o princpio universal, entoado comeando todos os mantras. Diz-se que os primeiros yoguis o ouviram em meditao, e esse som permeia o cosmos. o nmero um do alfabeto, o zero que d valor aos nmeros, o som da meditao.

A flor de ltus, presente em muitas imagens, devido ao fato de crescer na gua pantanosa e no ser afetada por ela representa que devemos ficar acima do mundo material apesar de viver nele. As centenas de ptalas do ltus representam a cultura da "unidade na diversidade".

Religio

Outra coisa que absolutamente importante para entendermos a cultura indiana a crena na reencarnao, que para os hindustas, assim como para muitas outras religies, um preceito bsico e incontestvel. Somente considerando isso que um ocidental pode entender o sistema de castas. Na filosofia indiana a vida um eterno retorno, que gravita em ciclos concntricos terminando no seu centro, coisa que os iluminados atingem. Mas nem tudo hindusmo na ndia. O seu maior carto postal, o Taj Mahal, uma construo muulmana, um monumento ao amor, pois foi construdo pelo rei para sua amada que morreu prematuramente. uma das maravilhas do mundo, feito com mrmore branco e ricamente decorado com pedras preciosas.

O Islamismo fundamentado sobre a crena de que a existncia humana submisso (Islm) e devoo a Allah, Deus onipotente. Para os muulmanos, a sociedade humana no tem valor em si, mas o valor dado por Deus. A vida no uma iluso, e sim uma oportunidade de bno ou penitncia. Para guiar a humanidade, Deus deu aos homens o Coro, livro revelado atravs do Anjo Gabriel, ao seu mensageiro, o Profeta Maom, por volta do ano 610 DC. Um sculo depois, houve a grande invaso a Sind, que hoje est fora da ndia, na regio do Paquisto, onde a lngua Urdu , introduzida naquela poca na regio, permanece at hoje .Devido a fatores polticos, o Islamismo se espalhou pelo norte e hoje temos um grande crescimento dos seguidores do Islm por toda a ndia.

O Budismo tambm se faz presente, j que a ndia a terra onde nasceu Buda, e onde tudo comeou. No tempo do Imperador Ashok, o grande rei unificador da Nao indiana, a maior parte se converteu ao Budismo, que alguns chamam de filosofia e no religio, pois no existe adorao a Deus e o ser humano levado a conquistar a paz interior pelo caminho do meio, ou seja, o equilbrio. O sofrimento causado pelo desejo e a prtica da meditao usada para aquietar a mente e procurar atingir o Nirvana, o estado de perfeita paz. As mais impressionantes representaes do Budismo da poca urea se encontram nas cavernas de Ajanta e Ellora ,em Aurangabad. Esta ltima consiste em templos e monastrios erguidos pelos monges budistas , hindustas e jainistas e contam a histria das trs religies.

Cincia e Tecnologia

Quase tudo na ndia espiritualidade, mas na verdade o grande propsito da cultura indiana o conhecimento, e toda essa importncia dada s religies se deve ao princpio de que o propsito da vida na terra sair da escurido da ignorncia e chegar luz do conhecimento. O que muita gente no sabe que o conceito do Zero nasceu na ndia, e tambm que a primeira Universidade, com o significado que a palavra deve ter, existiu em Nalanda, no estado de Bihar, nos tempos ancestrais.

A matemtica do modo como entendemos hoje em dia deve ndia todo o seu fundamento, pois todo o sistema de numerao indo-arbico, ou seja, os rabes buscaram na ndia e difundiram os algarismos que usamos at hoje. A frmula de Bhaskara que foi criada na ndia usada para resolver todas as equaes de segundo grau.

Cinema e arte

A ndia moderna, como todos os outros pases, absorveu a cultura ocidental, mas talvez devido ao orgulho de sua identidade prpria, sem perder as caractersticas culturais. Um grande exemplo a indstria cinematogrfica, que a maior do mundo. O nmero de filmes feitos na ndia maior que em qualquer outro pas. A indstria cinematogrfica surgiu em Bombay em 1913. Sete anos mais tarde produziu-se em Calcut o primeiro filme em lngua bengali e em 1934 foram inaugurados em Madras os estdios destinados produo de filmes em tmil e telugo. Essa a maior paixo do indiano. Os cinemas vivem lotados, eles adoram seus astros, e o estilo "bollywood" (Bombay o principal centro cinematogrfico) se faz presente nas ruas.

Nos ltimos cinco anos, a taxa mdia de crescimento real da ndia ficou em 5,3% por ano. A do Brasil, em 1,3%. Ou seja, a taxa de crescimento da ndia foi quatro vezes superior do Brasil. Segundo projees, a ndia deve crescer 6,4% em 2003. O crescimento do Brasil deve ficar em 0,7%, segundo projees de consenso do mercado. A expanso da economia indiana nos ltimos anos vem sendo impulsionada pelo aumento de exportaes na rea de servios, informtica e alta tecnologia.

Cresce intercmbio comercial Brasil-ndia

Em dez anos, as exportaes da ndia para o Brasil saltaram de US$ 12 milhes para US$ 579 milhes. Do pas asitico saem para os portos brasileiros remdios, produtos qumicos e petrolferos, softwares de computador e tecidos, entre outros. Por outro lado, o Brasil vende aos indianos produtos como acar, autopeas, aeronaves da Embraer, tecnologia de lcool combustvel e soja. De US$ 1,2 bilho negociado entre os dois pases no ano passado, o Brasil vendeu US$ 654 milhes.

O crescimento das exportaes brasileiras no comrcio com a ndia neste ano foi gigantesco, avalia o assessor comercial do Consulado-Geral da ndia em So Paulo, Mrcio Faveri.

O crescimento de 50% na balana comercial com a ndia nos ltimos dois anos deve-se, principalmente, compra de dez jatos civis da Embraer pela indiana Jet Airways, no valor de US$ 260 milhes. O governo da ndia tambm negocia a compra de cinco aeronaves civis com a Embraer, avaliadas em mais de US$ 100 milhes. Brasil e ndia, assim como a frica do Sul, tm anseios muito parecidos em termos comerciais e devem definir as melhores estratgias para que essas trocas aconteam, prev Mrcio Faveri.



Velocidade

Nos ltimos cinco anos, a taxa mdia de crescimento real da ndia ficou em 5,3% por ano. A do Brasil, em 1,3%. Ou seja, a taxa de crescimento da ndia foi quatro vezes superior do Brasil. Mas outra razo para a ndia ter um PIB maior do que o Brasil a variao da taxa de cmbio, diz Paul Rawkins, analista snior da Fitch. O real se desvalorizou no ano passado em relao ao dlar, enquanto a rpia indiana vem se valorizando. A diferena no tamanho do PIB entre os dois pases deve aumentar neste ano.

A ndia tambm est conseguindo atrair mais investimentos diretos e muitas empresas esto se instalando no pas, especialmente para prestao de servios para outros pases. A ndia est se beneficiando de uma mo-de-obra educada e do fato de falar ingls, a lngua mais falada do mundo. H empresas como a Reuters e a British Telecom, que esto instalando centros de informao ou prestao de servios na ndia, aproveitando a vantagem da lngua e da mo-de-obra mais barata.