MENU
Adesivos
Certificao
Economia
Editorial
Exportaes
Incndios
Manejo
Marketing
Mercado - ustria
Mercado - ndia
Mveis e Tecnologia
Processamento
Reciclagem
Reflorestamento
Secagem
E mais...
Anunciantes
 
 
 

REVISTA DA MADEIRA - EDIÇÃO N°79 - MARO DE 2004

Secagem

Preparo do eucalipto para a produo de mveis

A secagem o primeiro e mais importante passo no preparo da madeira para a produo de mveis. Esta operao precisa ser bem planejada e conduzida, pois dela depende a qualidade final do produto, bem como o rendimento da transformao da matria-prima em produtos acabados (mveis).

Neste sentido, um estudo realizado por Jos Reinaldo Moreira da Silva (DCF/UFLA), Lourival Marin Mendes (DCF/UFLA), Miroslav Kummer-Wenzel (CONVNIO ALEMANHA-SENAI) e Paulo Fernando Trugilho (DCF/UFLA) analisou o comportamento da madeira serrada de Eucalyptus grandis, seca ao ar livre, na regio de Ub/MG, bem como verificar a necessidade de criao de novas tcnicas, visando obteno de material sem rachaduras e/ou empenamentos.

Os resultados revelaram a secagem ao ar livre fornece material adequado para a indstria moveleira. O produto obtido, portando pequenas rachaduras e leves empenamentos, demonstra que o processo da secagem ao ar livre, correta e tecnicamente executada, pode fornecer material com a qualidade exigida pelo setor moveleiro.

O Brasil possui uma vasta rea reflorestada com o gnero Eucalyptus. A rea plantada somente em Minas Gerais atinge, aproximadamente, 2,2 milhes de ha. A eucaliptocultura brasileira uma das mais desenvolvidas do mundo, no que se refere aos aspectos silviculturais.

Contudo, o Pas, ainda, carente de tecnologias adequadas para a utilizao da madeira deste gnero para uso na indstria moveleira e produtos manufaturados. A frica do Sul e Austrlia e, mais recentemente, a Argentina e o Chile j dominam as tcnicas de secagem e de utilizao industrial da madeira de eucalipto (IPEF, 1995). No Brasil, o suprimento do mercado com as denominadas madeira de lei provenientes da Mata Atlntica e, atualmente, da Floresta Amaznica apontado como causa da lenta evoluo tecnolgica do uso da madeira de eucalipto. Com a provvel escassez destas madeiras pela expanso das fronteira agrcola, explorao predatria e no utilizao de um plano de manejo sustentado, vem abrindo um amplo mercado para utilizao de madeiras de reflorestamento, principalmente pinus e eucalipto. O pinus j ocupa um espao destacado no setor.

No Brasil, as florestas de eucalipto foram implantadas com o objetivo de atender, principalmente, as indstrias siderrgicas, e as de celulose e papel. Portanto estas florestas possuem madeiras com caractersticas especficas para satisfazer as exigncias dessas indstrias. A utilizao deste material gentico na construo civil, na industria moveleira e de chapas apresenta vrios inconvenientes. Estes inconvenientes esto relacionados com a perda e depreciao da madeira, que vo desde a operao de abate das rvores at a fase final de processamento, incluindo as fases de usinagem e acabamentos superficiais. Porm a fase mais importante a secagem que se mal executada pode provocar rachaduras, empenamentos das peas e colapso das clulas.

Estes fenmenos ocorrem por causa das tenses originadas na estrutura anatmica provocadas pela rpida perda de gua. Os defeitos da madeira esto, tambm, associados a outros fenmenos que ocorrem na fase de crescimento das rvores, como: tenses de crescimento, madeira juvenil, cerne quebradio e coeficiente de anisotropia.

A industrializao da madeira de eucalipto para produo de mveis, por exemplo, tornou-se economicamente invivel pelo grande volume de perdas, durante as operaes de processamento, reduzindo os rendimentos em madeira serrada e produtos derivados. As maiores perdas ocorrem durante a secagem da madeira, que se no for conduzida de maneira controlada e correta, pode causar a perda total da matria-prima. Sem dvida, a secagem correta passo obrigatrio para a obteno de madeira com boas caractersticas de utilizao.

A madeira necessita estar seca para receber acabamentos superficiais como pintura ou envernizamento, pois poucas tintas e vernizes aderem convenientemente superfcie mida da madeira. Alm disto, a umidade exercer presso ao evaporar e pode causar bolhas e rachaduras na superfcie acabada.

A secagem da madeira a evaporao da umidade superficial, que absorvida pela atmosfera local e, ao mesmo tempo, a movimentao da umidade interior para as zonas superficiais. A ineficcia do processo se deve rpida perda da umidade superficial e a lenta translocao da umidade interna para a superfcie. A velocidade da secagem est diretamente relacionada ao tipo de madeira, dimenses e arranjo das pilhas no ptio de secagem.

A largura da pilha, o espaamento lateral entre as pilhas, a rea da chamin deixada no seu interior e a altura da primeira camada de tbuas com relao ao solo afetam o grau e a velocidade da secagem. As dificuldades tcnicas em se secar a madeira de eucalipto so ainda persistentes. At o momento a madeira de eucalipto, ainda, no vista como matria-prima adequada para a produo de madeira serrada para utilizao no setor moveleiro, construo civil, embalagens e paletes.



Secagem natural



Na secagem de tbuas ao ar livre, na maioria das espcies, ocorre perda da metade do teor de sua umidade entre 15 e 30 dias; o restante eliminado num tempo de 3 a 5 vezes maior, permanecendo as tbuas sob as mesmas condies de exposio. Isto conseqncia do estado da umidade da madeira, visto que a gua livre, que corresponde ao estado acima do ponto de saturao das fibras, evaporada facilmente. O mesmo, entretanto, no se d com a gua de adeso que se apresenta em combinao coloidal com a prpria substncia madeira, sendo portanto mais fortemente retida que a gua livre.

O processo de secagem comea, ainda, dentro da floresta, imediatamente aps o abate. As condies de secagem existentes nestes ambientes podem ser muito drsticas, fazendo com que umidades de equilbrio da ordem de 15,8% nos perodos chuvosos a 11,5% nos perodos secos sejam atingidas muito rapidamente. aconselhvel que as toras recm abatidas sejam levadas imediatamente s serrarias para se processar o desdobro e empilhamento. Caso tal procedimento no seja possvel, deve-se usar tcnicas que possibilitem a manuteno da umidade do material, por exemplo a imerso ou a asperso de gua sobre as mesmas.

O principal objetivo da secagem da madeira ao ar livre fazer com que a maior quantidade possvel de gua evapore utilizando-se das foras da natureza. A secagem natural muitas vezes usada como pr- secagem ou secagem parcial sendo a fase final feita em estufas, como tambm, para secagem completa, dependendo do seu uso.

Na secagem ao ar livre a madeira atinge a umidade de equilbrio lenta e suavemente. O tempo de secagem varia em funo das condies climticas de cada regio. Caso haja necessidade de umidade da madeira abaixo deste ponto, deve-se proceder a secagem em estufas.

A Diviso de Madeiras do IPT tem mostrado que possvel produzir vrios tipos de mveis, com a madeira de eucalipto. Com Eucalyptus grandis, por exemplo, foram produzidos armrios, escrivaninhas, estantes, gaveteiros e mesas. Esta espcie, dentre as 600 existentes do gnero, a que se apresenta com maior potencial de utilizao no setor moveleiro, devido as suas caractersticas fsico-qumicas, anatmicas e organolpticas.

Estas caractersticas colocam a madeira de Eucalyptus grandis em condies semelhantes de mogno (Swietenia macrophylla King), que a preferida pelo setor moveleiro. O objetivo do presente trabalho estudar o comportamento da madeira de Eucalyptus grandis durante o processo de secagem ao ar livre e se necessrio sugerir mudanas e adaptaes na tcnica, que permitam a obteno de madeira seca com as caractersticas exigidas pelo setor moveleiro.

Os resultados encontrados pelos pesquisadores mostram que a secagem ao ar livre atende as expectativas de tempo de secagem e qualidade final da madeira. Pode-se concluir, ainda, que:

O uso das placas de concreto sobre a pilha impediu os empenos e aparecimento ou aumento das rachaduras de topo;

A base de 20cm de altura impediu a troca de ar mido que ficou estacionado na parte inferior da pilha. aconselhvel, ento, uma altura livre de pelo menos 50,0cm;

Como a secagem ao ar livre permite alcanar valores de umidade da madeira at a de equilbrio com as condies climticas locais, recomenda-se que a secagem seja executada na regio onde for utilizada definitivamente, ou que seja feito, pelo menos, uma aclimatizao desta madeira antes de ser utilizada;

A madeira utilizada possui grande quantidade de ns e rachaduras, fato que a desqualifica ou desvaloriza para utilizao no setor moveleiro. Sugere-se a elaborao de um programa de melhoramento gentico, visando a implantao de florestas com caractersticas desejveis para produo de madeira serrada;

Sugere-se testes de trabalhabilidade da madeira e de acabamentos (aplicao de tintas, vernizes e tingidores) executados sobre os produtos moveleiros.



Maro 2004