MENU
Benecke - 50 Anos
Construo Civil
Editorial
Gesto - Manejo
Internet
Madeiras
Mercado - Espanha
Mveis e Tecnologia
Portas
Produo
Reflorestamento
Resduos
Silvicultura
Valor Agregado
E mais...
Anunciantes
 
 
 

REVISTA DA MADEIRA - EDIÇÃO N°77 - NOVEMBRO DE 2003

Valor Agregado

Reflorestamento cobre apenas 5% dos solos nacionais

O estudo setorial 2003, realizado pela Abimci - Associao Brasileira da Indstria de Madeira Processada Mecanicamente, constatou que da rea total do territrio nacional cerca de 66% so cobertos por florestas naturais, 0,5% por florestas plantadas e o restante (33,5%) por outros usos, tais como: agricultura, pecuria, reas urbanas e infra-estrutura, dentre outros.

As principais espcies plantadas so dos gneros pinus e eucalipto. Entre as outras encontram-se accias, teca e araucria. Atualmente o Brasil possui cerca de 4,7 milhes de hectares com plantios da espcie de pinus e eucalipto. Desse total o eucalipto responde por cerca de 64% e o pinus aproximadamente por 36%. A maior concentrao em termos de rea plantada est em Minas Gerais, seguida por So Paulo e Paran.

As reas de plantios de eucalipto concentram-se na Regio Sudeste do pas. Somente o estado de Minas Gerais responsvel por cerca de 51% do total plantado. Somado ao estado de So Paulo, respondem por 70% da rea plantada total de eucalipto no Brasil. Essa distribuio justifica-se pela concentrao de indstrias de papel e celulose e de siderurgia na respectiva regio.

Os estados que mais se destacam em reas plantadas de pinus so o Paran, Santa Catarina, Bahia e So Paulo. Juntos somam aproximadamente 73% do total plantado. A concentrao de plantios nesses estados decorrente da vocao para a produo de papel e celulose e de produtos de madeira slida.

A composio da floresta natural dada pelas florestas densas, florestas abertas e outras formas de vegetao natural. Por apresentar um melhor potencial econmico, as florestas densas so as mais utilizadas pelas indstrias de processamento mecnico. Estima-se que as florestas densas totalizam 412 milhes de hectares. Entretanto, desse total, somente 245 milhes de hectares so considerados efetivamente disponveis. As reas restantes so compostas por florestas de domnio pblico e de preservao permanente.

Do total da rea efetivamente disponvel, cerca de 61% esto concentrados em apenas trs estados da regio Norte do Brasil (Amazonas, Par e Mato Grosso).

Importncia do Setor

O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil uma das medidas de referncia na avaliao macroeconmica de um pas atingiu o montante de US$ 451 bilhes no ano de 2002. Apesar do valor expressivo, em termos de tamanho econmico, o Brasil tem constantemente registrado perdas de posies no ranking das principais economias mundiais nos ltimos anos.

Em 1998 a economia brasileira ocupava a 8 posio. Atualmente, aps ter sido ultrapassado por Canad, Mxico, Espanha e Coria, ocupa a 12 posio no ranking.

Os principais aspectos que contriburam para o desempenho da classificao brasileira diante das demais economias, foram basicamente a constante desvalorizao do real frente ao dlar americano e o baixo crescimento econmico. Tais aspectos so resultantes da poltica econmica adotada no Brasil nos ltimos anos, que teve como principal objetivo a manuteno dos ndices inflacionrios, via aumento das taxas de juros.

Reflexo dessa poltica, aliada aos fatos nacionais (eleio presidencial) e internacionais (desacelerao da economia internacional puxada pelo mercado americano e japons), o PIB brasileiro teve em 2002 um crescimento real (descontada a inflao) de aproximadamente 1,5%, repetindo o mesmo desempenho verificado em 2001.

Em termos de perspectivas para 2003, com base no cenrio econmico internacional, pode-se prever uma possvel reduo dos investimentos diretos estrangeiros em pases em desenvolvimento, o que dificultaria bastante a situao brasileira. Outro aspecto negativo est relacionado ao cmbio que tambm dever preocupar as autoridades monetrias nacionais no decorrer do ano.

Apesar disso, possvel que o pas registre um crescimento econmico em 2003, acima do verificado nos anos anteriores, em funo da retomada de crescimento demonstrada no final de 2002, bem como, com a provvel reduo da taxa de juro interna.

Produtos de maior valor agregado

O reprocessamento da madeira serrada, com enfoque na agregao de valor ao produto primrio, uma tendncia que a maioria das empresas brasileiras vm buscando nos ltimos anos.

As principais espcies utilizadas na fabricao dos PMVAs so o pinus e algumas espcies nativas, como o ip, imbuia, jatob e outras. Outra espcie que vem ganhando importncia como PMVA o eucalipto.

Neste estudo setorial so cobertos alguns dos produtos mais representativos, em se tratando de produtos de maior valor agregado. A exemplo dos blocks, blanks, molduras, painel colado lateral, pisos, pr-cortados, componentes estruturais e outros.

Blocks & blanks

So produtos tipicamente de Pinus, originados do reprocessamento da madeira serrada. Estes produtos so utilizados na fabricao de molduras, painis (colados laterais) e outros produtos. Trata-se de um produto intermedirio e que sofrer reprocessamento.

Observa-se uma relativa estabilidade nos volumes comercializados no mercado externo, considerando dados do perodo 2000-2002. Em compensao, as exportaes atingiram apenas 50% dos volumes exportados em 1998. Esse fato retrata uma reorientao da comercializao, antes voltada para o exterior, provocada pelos preos internacionais.

Molduras

So perfis obtidas a partir do reprocessamento da madeira serrada ou dos blocks e blanks. O maior consumidor das molduras o segmento da construo civil, tanto no mbito do mercado interno como internacional. Um exemplo de aplicao, com efeito decorativo, o rodap, utilizado nas junes entre o piso e parede. Outros exemplos bastante conhecidos de moldura so a meia-cana, meia-lua e cordo. Entretanto cabe ressaltar que as molduras podem assumir formatos e medidas variadas, atendendo s mais diversas necessidades.

Os volumes produzidos e consumidos de molduras de Pinus est praticamente toda orientada para o mercado externo.

As molduras de madeiras tropicais tambm possuem relevncia, e de forma similar ao Pinus, esto orientadas para o mercado internacional. Segundo as estimativas dos produtores, os volumes produzidos de molduras a partir de madeiras tropicais equivalente a 300 mil m anuais

O principal mercado de destino das exportaes de molduras de Pinus so os Estados Unidos, os quais absorvem praticamente 90% do volume total produzido.

Painel colado lateral EGP

O painel colado lateral (EGP - edge glued panel) formado a partir da madeira serrada, emendada ou no, colados lateralmente. O produto principalmente empregado no segmento moveleiro, para tampos, laterais e outros componentes.

Uma caracterstica diferenciada desse produto que grande parte do consumo ocorre no mercado domstico, especificamente na produo de mveis.

A perspectiva de produo permanece estvel para os prximos anos e est atrelada basicamente, ao segmento moveleiro, conforme mencionado.

Os volumes exportados de EGP representam pouco mais de 20% do total produzido internamente. Em termos absolutos os volumes so crescentes, estando atualmente no patamar de 65 mil m/ano. A maioria dos volumes exportados destinada para os pases europeus. Os EUA absorvem uma parcela equivalente a 30% dos volumes exportados, segundo os dados de 2002.



Produo e consumo - EGP

Pisos

Os pisos de madeira mais conhecidos e utilizados atualmente so os pisos de madeira macia e os engenheirados (compostos em camadas). Os pisos de madeira macia so feitos, via de regra com madeiras nobres, enquanto os pisos engenheirados so constitudos de diferentes materiais, como os painis (compensados, MDF, HDF, aglomerado), revestidos com lminas de madeira ou papis melamnicos.

Os dados de produo e consumo de pisos de madeira apresentaram um expressivo crescimento nos ltimos anos. O diferencial verificado entre os volumes produzidos e consumidos, corresponde aproximadamente aos volumes exportados.

Em 2001 o Brasil era o 6 maior exportador de pisos de madeira de folhosas, segundo informaes do International Trade Centre. No perodo entre 1997 e 2001 a taxa de crescimento das exportaes brasileiras foi de 22% ao ano, bem acima da mdia mundial de crescimento.

Apesar da estabilizao das exportaes de pisos nos ltimos anos, a perspectiva de crescimento a uma taxa da ordem de 15% ao ano, que pode ser considerada bastante significativa. O valor total exportado pelo Brasil em 2002 foi de mais de US$ 89 milhes