MENU
Benecke - 50 Anos
Construo Civil
Editorial
Gesto - Manejo
Internet
Madeiras
Mercado - Espanha
Mveis e Tecnologia
Portas
Produo
Reflorestamento
Resduos
Silvicultura
Valor Agregado
E mais...
Anunciantes
 
 
 

REVISTA DA MADEIRA - EDIÇÃO N°77 - NOVEMBRO DE 2003

Internet

Negcios on line pedem estratgias funcionais

A cada ano que passa a Internet refora sua credibilidade como uma ferramenta para a obteno de resultados efetivos no ramo de negcios. Muitas empresas adaptaram seus modelos de negcio para garantir sucesso a seus clientes e obterem lucro. A criao de home-page adequadas e que permitam a interao dos clientes uma das ferramentas eficientes, assim como o e-mail marketing. Mas preciso saber explorar a Internet de forma estratgica para alcanar os resultados almejados.

O e-mail marketing foi o protagonista dos negcios virtuais, mas preciso saber us-lo, para no causar o efeito contrrio ao pretendido. Os chamados Spams, ou seja, qualquer mensagem ou postagem, independentemente de seu contedo, enviada para vrios destinatrios que no a solicitaram especificamente, alm de serem desagradveis, prejudicam a imagem da empresa.

Para se ter uma idia da importncia do uso adequado da Internet, no Brasil, em 2002, estima-se que foram gastos US$ 80 milhes a partir da perda de produtividade, manuteno e atualizao de sistemas para acomodar o trfego de e-mails indesejados. Estes dados so da Cmara Brasileira de Comrcio Eletrnico.

O ideal mostrar ao internauta que a empresa quer mesmo se relacionar com eles, mas sem inconvenientes, ao contrrio oferecendo servio e praticidade. Isto pode ser conseguido atravs de estratgias especificas para chegar at o cliente.

Antes de desenvolver as estratgias preciso ter as metas bem claras, bem como: obter relacionamentos on line mais lucrativos; reduzir drasticamente o custo de comunicao (interna e externa); minimizar o custo de aquisio de cada consumidor; entregar informaes personalizadas para um mercado especfico; melhorar a freqncia de compra dos usurios; melhorar a reteno dos clientes e criar um ciclo de compra mais longo; reforar as aes de telemarketing e outras aes on line.

A campanha de e-mail marketing bem sucedida exige quatro fundamentos: velocidade e robustez de distribuio; controle e limpeza dos e-mails retornados (bounced e-mails); anlise e gerenciamento dos resultados; inteligncia indutiva e dedutiva da campanha atual para aes consecutivas.

Com as metas em mente, seguem algumas estratgias de e-mail marketing que podem ser adotadas:

House List - Toda organizao deve possuir uma lista prpria de usurios optins. As estatsticas mostram que as House Lists, ou listas de e-mails que a empresa adquiriu com seu prprio esforo trazem, no mnimo, 100% mais resultados do que listas opt-ins (de usurios ativos) terceirizadas.

Para iniciar uma house list preciso atrair usurios e transform-los em opt-ins. Uma sugesto a criao de uma newsletter (boletim eletrnico) gratuita e peridica, que deve manter a regra jornalstica do contedo, ou seja: 80% editorial e 20% promocional. Alm disso indicado praticar o marketing viral: que incentiva os usurios a enviarem uma copia da newsletter aos amigos.

Outra forma de fazer a house list crescer rapidamente realizar aes de e-mail marketing em opt-ins terceirizadas que possuam o mesmo perfil de usurios que a empresa. Criar links em portais especializados ou em home page de empresas da mesma cadeia produtiva tambm funcional.

Formulrio de Inscrio - Muita gente pensa que aes de e-mail marketing envolvem apenas disparos de e-mails para endereos aleatrios. Muito pelo contrrio, uma ao de e-mail marketing comea no formulrio do site da empresa ou no hot site de uma promoo ou produto divulgado. necessrio tornar fcil a mentalizao do motivo de existncia daquele formulrio, mantendo, no mximo, cinco campos. A empresa poder pedir mais dados via e-mail, posteriormente.

preciso conhecer bem o tamanho do mercado atual no qual atua, a projeo de crescimento para os prximos 12 meses, sua fatia de mercado e a fatia que deseja assegurar no final de 12 meses. Com isso, o formulrio ter as perguntas corretas.

Segmentao por perfil - Apesar da segmentao parecer apenas trabalho de especialistas em banco de dados, existem hoje no mercado inmeras ferramentas de e-mail marketing que possibilitam aos marketeiros e outros profissionais a criao de campanhas de e-mail personalizadas sem nenhum conhecimento tcnico.

Segmentao coisa seria e deve ser feita somente se a empresa est disposta a criar alguns processos a mais, como e-mails adicionais para cada perfil desejado; anlise profunda do banco de dados para coleta de informaes especficas de cada segmento; e um estudo mais detalhado. Personalizao empatia, e este o primeiro passo para uma comunicao aberta entre empresa e consumidor.

Enquetes e pesquisas - Devido ao avano tecnolgico dos programas clientes de e-mail, formulrios de pesquisas e enquetes podem ser inseridos diretamente dentro de um e-mail e enviados a todos os seus internautas opt-ins. Pesquisa uma excelente maneira de se aprender mais sobre sua audincia e enriquecer seu banco de dados

Pela natureza do prprio e-mail, pesquisas e enquetes devem ser rpidas e objetivas, no possuindo mais do que cinco perguntas. preciso considerar que se o usurio estiver satisfeito com os servios, ele responder pesquisas futuras.

Internet em expanso

O business-to-business (B2B) no Brasil cresceu 2,3% no segundo trimestre do ano, movimentando R$ 34,8 bilhes no perodo. Os dados fazem parte de uma pesquisa da Camara-e.net, a Cmara Brasileira de Comrcio Eletrnico, e a da E-Consulting.

O levantamento dividido em duas partes. A primeira leva em conta apenas os negcios praticado entre as 30 maiores empresas do pas, que representa cerca de 90% de toda a movimentao brasileira.

Houve queda de 0,2% em relao ao trimestre anterior. O B2B Companies alcanou no perodo R$ 30,3 bilhes. O crescimento do B2B foi puxado por e-marketplaces independentes (mercados digitais), que subiu 24% no trimestre, movimentando R$ 4,5 bilhes.

No Brasil, durante todo o primeiro semestre, o faturamento com e-commerce chegou ao meio bilho de reais. Apesar de representar um montante absoluto modesto em relao ao mercado semestral norte-americano, o crescimento em relao a 2002 chegou aos 45%, comprovando as oportunidades futuras no segmento nacional.

O segmento do varejo tambm vem apresentando uma boa aceitao por partes dos clientes. O fortalecimentos das relaes refletido pelo aumento tanto na previso de transaes a serem realizadas durante o ano como no aumento do tquete mdio das compras, que de maio de 2002 a maio de 2003 cresceu 20% - de R$ 234 para R$ 289.

A oitava edio do relatrio Web Shoppers, preparada pelo e-bit e Cmara Brasileira de Comrcio Eletrnico, aposta em um comrcio eletrnico 45% maior em 2003, em relao ao ano passado, o que representa cerca de R$ 1,2 bilho. A previso ganha respaldo com os resultados do primeiro semestre, que alcanaram a casa do meio bilho de reais, enquanto em 2002, este nmero fechou em R$ 335 milhes.

Fontes: Flavio Ortolano / fundador e CEO do MeuGrupo e Cmara Brasileira de Comrcio Eletrnico.