MENU
Benecke - 50 Anos
Construo Civil
Editorial
Gesto - Manejo
Internet
Madeiras
Mercado - Espanha
Mveis e Tecnologia
Portas
Produo
Reflorestamento
Resduos
Silvicultura
Valor Agregado
E mais...
Anunciantes
 
 
 

REVISTA DA MADEIRA - EDIÇÃO N°77 - NOVEMBRO DE 2003

Benecke - 50 Anos

Uso de equipamentos reduz acidentes de trabalho

Nas empresas brasileiras de todos os setores o nmero de acidentes de trabalho caiu entre 2000 e 2001, mas as conseqncias se tornaram mais graves. Essa principal concluso de uma pesquisa realizada pela Marsh Risk Consulting do Brasil.

A Marsh analisou 64 empresas, a maioria multinacionais, que empregam 27 mil pessoas. O resultado mostra que em 2000 foram registrados 2,61 acidentes para cada grupo de 100 funcionrios. Em 2001, o nmero baixou para 1,26. J a mdia de dias no trabalhados saltou de 21,69 por acidente em 2000 para 28,57 no ano seguinte. O estudo contatou, entre outras coisas que, a queda na quantidade de acidentes reflete os investimentos das empresas em segurana. A maior gravidade resulta da terceirizao, falta de treinamento e substituio de profissionais experientes por outros que ganham menos.

A taxa de sinistralidade apurada na pesquisa - razo entre o valor pago ao INSS como seguro acidente e o custo dos mesmos - foi de 25,4%. um ndice muito baixo que ajuda a explicar o interesse das seguradoras na privatizao do servio.

Normas de Segurana

O EPI (equipamento de proteo individual) tem a finalidade de neutralizar a ao de certos acidentes que poderiam causar leses ao trabalhador e proteg-lo contra possveis danos sade causados pelas condies de trabalho.

O EPI deve ser usado como medida de proteo quando no for possvel eliminar o risco atravs da utilizao de equipamentos de proteo coletiva; quando for necessrio complementar a proteo individual; em trabalhos eventuais e em exposies de curto perodo.

O trabalhador florestal se encontra constantemente em risco de acidentes e deve estar sempre utilizando os EPIs, inclusive quando estiver se locomovendo em estradas e trilhas.

muito importante que todos os envolvidos no manejo florestal estejam

conscientes quanto importncia e modo correto da utilizao do EPI. Desta maneira indica-se a realizao de um treinamento para todos os envolvidos na operao florestal alm de um programa constante de conscientizao dos funcionrios.

Legalmente existem algumas exigncias quanto ao uso de EPIs, tanto para o empregado quanto para o empregador.

EPIs para florestas

Capacete Simples: A utilizao de capacete fundamental para todas as atividades da operao florestal realizadas na mata. O risco de queda de galhos constante e o uso do capacete pode salvar a vida de um funcionrio. H diversos modelos de capacetes disponveis no mercado. O importante que seja rgido e no incomode o trabalhador que o utilizar por longo perodo.

Capacete Completo: Este modelo de capacete indicado para motosserristas que necessitam de protetor facial e abafador auricular (contra os rudo da motosserra). No mercado pode-se encontrar essas peas separadamente, ou acoplados ao capacete, o que ideal pois facilita a utilizao. O protetor facial pode ser de acrlico ou de tela, dependendo da disponibilidade do mercado e do gosto do motosserrista. Existem diversos modelos de abafadores de rudo, que so muito importantes para todas as operaes onde h barulho em excesso. (colheita, arraste, transporte, abertura de estradas , etc)

Luvas: As mos so a parte do corpo de maior contato em qualquer que seja a atividade e onde ocorre com maior freqncia as leses. Para motosserristas, a utilizao imprescindvel e tambm existem diversos modelos disponveis

erneiras: A utilizao de perneiras muito importante em atividades florestais para preveno contra acidentes com animais peonhentos como cobras, aranhas e escorpies. Existem tambm perneiras especiais para operadores de motosserra, desenvolvidas com algumas camadas internas de uma espcie de nylon que, quando so atingidas pelo sabre da motosserra, no rasgam diretamente, mas embaraam a corrente e paralisam a mquina.

Botas: A utilizao de botas nas atividades florestais so to importantes quanto as perneiras, para proteo contra acidentes com animais peonhentos e contra pancadas na regio da canela. Alm disso, as botas proporcionam maior facilidade de locomoo no interior da floresta. Para os motosserristas, so indicadas botas com proteo frontal de ao, para prevenir acidentes com o sabre da motosserra quando este escapa da tora.

Fonte: Amigos da Terra

Acidentes x Mortes

Nas ltimas dcadas, o nmero de acidentes, em todos os setores da indstria brasileira diminuiu, mas o nmero de mortes se manteve dentro da mdia. Pesquisadores deduzem que isso ocorra devido a possibilidade de no se registrar os acidentes enquanto que as mortes no podem passar sem que se registrem.

Com o objetivo de melhorar cada vez mais os ndices de segurana do trabalho, a empresa Aracruz Celulose procurou incentivar os registros de incidentes e comunicaes de risco, procedimento fundamental para a preveno de acidentes.

Como resultado desta filosofia de trabalho, vem obtendo significativa reduo nos ndices de acidentes do trabalho. Em 2001, a taxa de acidentes com perda de tempo foi de 2,22, 1% inferior registrada em 2000.

A preocupao da Aracruz com segurana no trabalho se estende tambm aos prestadores de servio, que so maioria na empresa. Desde de 2000, a empresa introduziu a Semana Interna de Preveno de Acidentes Integrada, envolvendo todas as empresas do grupo - Aracruz Celulose, Portocel e Aracruz Produtos de Madeira - e suas prestadoras de servio. Em 2001, a Sipat Integrada contou com a participao de 27 empresas. Durante a Sipat, promovido um seminrio de dois dias no qual empregados e prestadores estabelecem metas de segurana para o ano, visando melhorar o desempenho conjunto. Essas metas so auditadas periodicamente para assegurar seu cumprimento.


Aps um ano de lanamento, o Programa de Apoio ao Empregado Fumante apresentou resultados acima da expectativa. Dos 74 empregados que aderiram, 80% se mantm em recuperao, isto , sem fumar - ndice considerado excelente pelos especialistas. J no Programa de Apoio ao Dependente Qumico, a empresa oferece tratamento ao empregado e seus familiares, desde a internao at dois anos aps a alta. Em 2001, foram tratadas 25 pessoas.

Para reduzir os acidentes nas estradas e estimular a observncia de procedimentos preventivos de segurana pelos seus prestadores de servios nesta rea foi constituda, em 1999, uma Rede de Monitoramento de Transportes, a Rede de Monitoramento de Transportes (RMT) da Aracruz conta com a colaborao de 25 voluntrios, que moram ou trabalham ao longo de um trecho de 250 quilmetros na BR-101 entre o norte do Esprito Santo e o extremo sul da Bahia. Trata-se do trecho mais crtico para o transporte de madeira em funo do grande fluxo de veculos.

Em 2001, o nmero de acidentes (17) registrado no trecho monitorado pela Rede de Monitoramento de Transportes da Aracruz foi 53% menor que o verificado em igual perodo do ano anterior (36), em boa parcela devido ao trabalho dos voluntrios. Eles acompanham aspectos como formao de comboios, velocidade, ultrapassagens perigosas, trfego pelo acostamento, sinalizao das carretas, condies da carga, condies da rodovia e cordialidade do motorista. Ao constatar qualquer irregularidade, os integrantes da rede informam a Aracruz, que em 24 horas adota as providncias necessrias correo do problema.