MENU
Apicultura
Caractersticas
Carvo Vegetal
Construo Civil
Desdobro
Dormentes
Espcies
Madeira Slida
Manejo
Melhoramento
Melhoramento Gentico
Mercado
Mveis
Ns
leos Essenciais
Pesquisa
Postes
Pragas
Projeto Genoma
Propriedades
Qualidade
Secagem
Silvicultura
Anunciantes
 
 
 

REVISTA DA MADEIRA - EDIÇÃO N°75 - AGOSTO DE 2003

Qualidade

Qualidade da madeira serrada de eucalipto

O setor madeireiro no Brasil tem sido marcado por um processo de utilizao crescente de madeiras provenientes de reflorestamento. Tal fato tem se tornado mais evidente nos ltimos anos, sobretudo em razo dos questionamentos existentes em relao explorao das nossas florestas nativas, quer seja por razes ecolgicas, quer seja pela elevao dos preos de suas madeiras, devido s dificuldades da explorao da floresta tropical e s grandes distncias entre as zonas de produo e de consumo. Ademais, a indstria dos produtos base de madeira tem-se defrontado com desafios que esto provocando drsticas mudanas. O primeiro grande desafio a crescente expanso dos mercados para a madeira ambientalmente correta, exemplificado pela crescente fora mercadolgica dos selos verdes em todo o mundo. Um segundo desafio a globalizao dos mercados consumidores, com a conseqente necessidade de aumento na produtividade e o atendimento a padres de qualidade cada vez mais exigentes. Este cenrio tem estimulado a explorao da madeira de reflorestamento, principalmente das espcies do gnero Pinus e Eucalyptus.

So vrias as razes para que o eucalipto possa ser indicado como a alternativa de oferta de madeira. O gnero tem ocupado um lugar preferencial na escolha de espcies para o estabelecimento de florestas plantadas em nosso Pas. Na regio centro-sul brasileira, nas ltimas dcadas, observou-se um vasto e bem sucedido programa de reflorestamento com estas espcies. Apesar de a maior parte das florestas estar comprometida com a produo de madeira para os denominados usos tradicionais ( celulose, papel, carvo vegetal, lenha e chapas de fibras), espera-se que uma parcela possa ser destinada a outras aplicaes madeireiras. Para atender a tais demandas, uma primeira etapa envolveu uma seleo de espcies com programas de melhoramento para atender caractersticas de ordem silvicultural, como crescimento, forma do tronco, regenerao e resistncia a pragas e doenas; numa segunda etapa, tais programas foram consolidados e complementados com o envolvimento de algumas propriedades da madeira, como densidade, dimenses de fibras, teores de casca e composio qumica. Ao se pensar na utilizao da madeira para fins mais nobres, como a produo de mveis e painis, necessria a incorporao dos procedimentos de ordem silvicultural j utilizados na formao das florestas tradicionais a outros programas complementares de manejo e conduo da floresta, como o desbaste e a poda dos ramos, alm de avaliar outros aspectos da madeira, como os nveis de tenses de crescimento, a estabilidade dimensional, a colorao, a presena de madeira juvenil, a relao cerne/alburno, a resistncia mecnica, a trabalhabilidade e o seu comportamento em todas as fases do processamento primrio( desdobro e secagem).

At o presente momento, a grande experincia silvicultural brasileira se resume na produo de florestas jovens, de ciclo curto e de rpido crescimento. O resultado de qualquer anlise sobre outras aplicaes da madeira de eucalipto no Brasil (serraria, movelaria, marcenaria, lminas, compensados e construo civil) demonstra que as experincias so muito pequenas. Toda a madeira de eucalipto atualmente disponvel foi projetada para a utilizao na produo de celulose, carvo vegetal e de chapas e, ainda, no se tem a madeira ideal para a indstria moveleira. Em vista da falta de controle da matria-prima e dos parmetros dependentes do processamento, as experincias na rea de serraria tem-se mostrado muito restritas, quanto possibilidade de suas extrapolaes. Esse quadro tem grandes possibilidade de reverso na medida em que se romperem alguns preconceitos e se aprofundarem os estudos sobre as inmeras alternativas de uso mltiplo, principalmente na indstria moveleira, construo civil e de embalagens.

Apesar de existirem mais de seiscentas espcies j conhecidas, botanicamente, os plantios, em larga escala, no mundo, esto concentrados em poucas espcies. Em termos de incremento anual e das propriedades desejveis da madeira, apenas doze tem sido utilizadas, com mais intensidade, para atender o setor industrial: Eucalyptus grandis. E. saligna, E. urophylla, E. citriodora, E. globulus, E. camaldulensis, E. tereticornis, E. paniculata, E. robusta, E. viminalis, E. exserta, E. deglupta. No Brasil, tem sido consideradas muito promissoras as espcies E. cloeziana, na regio central, e o E. dunnii, na regio sul. As vrias espcies de eucalipto mencionadas apresentam uma velocidade de crescimento bastante alta, com um potencial elevado para o estabelecimento, em prazos relativamente curtos, de novos e adequados plantios para a obteno de madeira para diversas finalidades. Quanto s florestas plantadas no Brasil, devem ser destacadas as inmeras vantagens para produo de madeira, em larga escala: caractersticas edafoclimticas, associadas a altos ndices solarimtricos e elevadas temperaturas, possibilitando uma intensa atividade biolgica e resultando em altas taxas de produtividade. A situao privilegiada de muitos pases tropicais, como o Brasil, atesta a grande vocao florestal que pode suportar a indstria de base, em termos competitivos.

Considerando-se o potencial representado pelo eucalipto, existem condies ambientais e conhecimentos silviculturais para dar ao Pas vantagem comparativa na produo de matria-prima florestal. As perspectivas so muito favorveis e tem por base o conhecimento j acumulado sobre a silvicultura e o manejo de vrias espcies do gnero, sua maleabilidade e a resposta ao manejo e ao melhoramento gentico, a grande variabilidade e diferena inter e intra-especfica, que a tornam aplicvel em um grande espectro de usos. O reflorestamento possibilita tambm a homogeneidade da matria-prima e uma continuidade de abastecimento, viabilizando a utilizao da madeira, especialmente nas florestas conduzidas em ciclos longos e manejadas adequadamente com desbastes e desramas.

A produo de madeira serrada de qualidade possvel quando passa pelos seguintes pontos: a) pesquisa de laboratrio e de campo, identificando espcies e clones, com caractersticas adequadas produo de toras; b) testes e ensaios silviculturais e de manejo, objetivando estabelecer mtodos de propagao, espaamento, cronograma de desrama e durao de rotao; c) investigao dos melhores mtodos de colheita, tratamento de toras, desdobro, secagem, usinagem, colagem e acabamento; d) desenvolvimento de produtos acabados. As principais caractersticas da rvore que provocam impacto direto na produtividade da unidade industrial so identificadas como: a) dimetro; b) retido; c) circularidade; d) ausncia de ns; e) tenses internas de crescimento. As principais propriedades fsicas e mecnicas da madeira que provocam o impacto na qualidade do produto final a ser produzido so identificadas como: a) resistncia mecnica; b) massa especfica aparente; c) estabilidade dimensional. Definidas as caractersticas e propriedades da madeira desejada necessrio identificar quais os processos tecnolgicos a serem utilizados.

A madeira de melhor qualidade aquela que apresenta menos defeitos, que podem ser considerados intrnsecos madeira ou resultantes do processo de produo e beneficiamento da madeira. A escolha de material gentico adequado, a adoo de tcnicas corretas de silvicultura e manejo e a adoo de procedimentos corretos de corte, transporte, desdobro, secagem e usinagem da madeira de eucalipto podem torn-la uma matria-prima muito prxima do ideal para a indstria moveleira e de marcenaria