MENU
Apicultura
Caractersticas
Carvo Vegetal
Construo Civil
Desdobro
Dormentes
Espcies
Madeira Slida
Manejo
Melhoramento
Melhoramento Gentico
Mercado
Mveis
Ns
leos Essenciais
Pesquisa
Postes
Pragas
Projeto Genoma
Propriedades
Qualidade
Secagem
Silvicultura
Anunciantes
 
 
 

REVISTA DA MADEIRA - EDIÇÃO N°75 - AGOSTO DE 2003

Melhoramento Gentico

Melhoramento gentico para a qualidade da madeira

Existe unanimidade entre os pesquisadores da rea que a qualidade da madeira pode ser melhorada, modificada ou ter alguns fatores minimizados ou controlados, em considervel extenso, atravs de tratos silviculturais e, principalmente, do melhoramento gentico.

Os progressos j alcanados, principalmente em produtividade, so expressivos e foram atingidos bons nveis de desenvolvimento tecnolgico na produo, no processamento e na utilizao da madeira de Eucalyptus proveniente de florestas jovens. Atualmente, busca-se a interao perfeita entre a matria-prima e a qualidade do produto final, atravs do trabalho conjunto dos setores de produo florestal e industrial. Dependendo do produto a ser obtido, as rvores tero que apresentar caractersticas adequadas e distintas, o que faz com que as tcnicas e mtodos de melhoramento empregados para celulose e carvo sejam bastante diferentes daqueles utilizados para a produo de lminas ou mveis. Assim, para que se possa estabelecer um programa de melhoramento gentico florestal importante que o setor industrial tenha definido muito bem os parmetros de qualidade e a sua grandeza ideais para a obteno de um determinado produto final.

Embora o gnero Eucalyptus represente uma alternativa potencial no abastecimento do setor industrial( serraria e laminao), sua madeira atual apresenta restries, prprias e inerentes ao uso de florestas jovens, onde os nveis de tenses de crescimento se manifestam de forma mais destacada do que em florestas maduras. Outros aspectos como madeira juvenil, colapso, ns, empenamento, bolsas de resina constituem um obstculo adicional ao uso da madeira de eucalipto na forma serrada ou laminada.

A escolha da espcie uma questo primria no planejamento da produo da matria-prima, uma vez que as variaes entre as espcies so de grande magnitude e facilmente percebidas. O grande desafio atual dos programas de melhoramento gentico de Eucalyptus, voltados para a produo de madeira para serraria e laminao, selecionar rvores ou grupo de rvores que tenham a maior quantidade de atributos tecnolgicos juntos.



Possibilidades de contribuio do melhoramento gentico em algumas caractersticas



A) Densidade

B) Orientao das fibras

C) Tenses de crescimento

D) Madeira juvenil

E) Bolsas de resina

F) Podrido do cerne

G) Colorao da madeira

H) Ns

I) Colapso

J) Outras caractersticas da madeira



Como estratgia do melhoramento para a qualidade da madeira, a hibridao interespecfica uma alternativa de grande importncia e de grande impacto dentro dos programas de melhoramento gentico. uma das estratgias mais seguras para se obter as caractersticas desejveis. O cruzamento de espcies que possuem caractersticas superiores, diferenciadas entre si, permite produzir rvores, especialmente projetadas para determinada finalidade, com maior quantidade de atributos desejados.



Um dos atributos mais importantes do gnero Eucalyptus, do ponto de vista do melhoramento gentico, diz respeito sua capacidade de produzir hbridos frteis. Isto possibilita que hbridos possam ser cruzados entre si ou com outras espcies, no sentido de se obter composies gnicas mltiplas e em diferentes propores, buscando a madeira mais prxima do ideal quanto possvel. Quando se cruzam duas espcies distintas entre si, o hbrido produzido possui 50% da constituio gentica de cada uma das espcies progenitoras.

A clonagem extremamente til na realizao operacional dos ganhos obtidos com o melhoramento gentico e a hibridizao, promovendo a homogeneizao das propriedades tecnolgicas da madeira. Desse modo, a clonagem possibilita a produo em massa de madeira com caractersticas previamente selecionadas e, por outro, assegura maior rendimento do processo de produo, em todas as suas etapas, por permitir que se avalie o comportamento industrial dos clones e lhes sejam aplicados procedimentos tcnicos especficos.