MENU
Apicultura
Caractersticas
Carvo Vegetal
Construo Civil
Desdobro
Dormentes
Espcies
Madeira Slida
Manejo
Melhoramento
Melhoramento Gentico
Mercado
Mveis
Ns
leos Essenciais
Pesquisa
Postes
Pragas
Projeto Genoma
Propriedades
Qualidade
Secagem
Silvicultura
Anunciantes
 
 
 

REVISTA DA MADEIRA - EDIÇÃO N°75 - AGOSTO DE 2003

Construo Civil

A madeira de eucalipto na construo civil.

A utilizao correta da madeira como material de construo somente se efetivar mediante o perfeito conhecimento de suas diferentes propriedades, conseqncia de sua constituio qumica e, principalmente, da organizao dos diferentes tecidos celulares que constituem o xilema secundrio. O desconhecimento dos atributos e caractersticas da madeira inviabiliza a sua correta utilizao. Projetos de construo utilizando ao e concreto no podem ser transferidos para a madeira. Os arquitetos, engenheiros e construtores so profissionais preparados para trabalhar a madeira e capazes de entend-la como um material diferente. Dentre os principais fatores que afetam as caractersticas da madeira, pode-se citar o stio (que se relaciona com o ambiente onde crescem as rvores), operaes silviculturais (desbaste, desrama, espaamento), melhoramento gentico (caractersticas hereditrias), agentes biolgicos, mtodos de explorao, converso e processamento, entre outros.

Como material de construo, a madeira oferece muitas peculiaridades. Entre as vantagens, destaca-se como um dos poucos materiais renovveis, com baixa energia de processamento (muito menor que o ao, alumnio ou concreto), fornece um isolamento trmico, por polegada de espessura, muito maior do que os metais ou o concreto, maior relao resistncia e rigidez para peso do que outros materiais, relativamente fcil para trabalho, exigindo ferramentas simples e, em algumas circunstncias, apresenta alta durabilidade natural.. Entre as desvantagens, destaca-se o fato de a madeira ser combustvel, apresentar baixa durabilidade natural, quanto ao ataque de organismos xilfagos (principalmente as espcies provenientes de reflorestamento e de rpido crescimento), apresentar defeitos decorrentes das tenses de crescimento e de uma secagem mal conduzida. Tais desvantagens no devem ser encaradas como obstculo utilizao desse material, uma vez que existem solues a nveis de projetos e relacionadas sua prpria tecnologia. Existe, sim, a necessidade de uma estreita ligao entre a cincia e tecnologia da madeira com a cincia e a tcnica florestais, para que a madeira possa ocupar seu espao e desempenhar uma funo satisfatria como material de construo.

Para suprir as necessidades mais variadas de utilizao de madeira, o Brasil optou por dois gneros, Pinus e Eucalyptus, atravs de programas de reflorestamento. Apesar de produzir madeira de fcil processamento e trabalhabilidade, ainda no se conseguiu uma espcie ou variedade de Pinus que produzisse madeira com propriedades de resistncia. Tal ineficincia de comportamento mecnico est relacionado, diretamente, ao baixo peso especfico e s elevadas taxas de crescimento.

O gnero Eucalyptus possui um enorme potencial quanto ao suprimento de madeiras para os mais variados fins. A sua madeira se encontra em franca expanso no setor de construo civil e se tornar dominante, em futuro breve, em todas as instncias do setor madeireiro. Quanto resistncia mecnica, o gnero no apresenta nenhuma restrio, em funo do nmero elevado de espcies, apresentando caractersticas mecnicas variando de baixa a muito elevada. Em relao s outras propriedades tecnolgicas, a madeira de eucalipto, ainda, um desafio, principalmente em se tratando da produo de madeira para utilizao mais nobre, como a indstria moveleira e alguns setores que demandam madeiras com caractersticas especiais. Tais desafios se devem, em grande parte, inadequao do material utilizado, uma vez que a madeira disponvel no mercado foi plantada e manejada com outros fins, como o suprimento de matria-prima para a indstria de papel, chapas e carvo vegetal.. Para ampliar o leque de utilizao da madeira de eucalipto, h necessidade da incorporao de novas espcies que podem substituir as espcies nativas, tradicionalmente utilizadas e atualmente encontradas, com certa raridade, no comrcio madeireiro. H necessidade de esforos cada vez maiores dos pesquisadores, no sentido de adequao de tecnologias de processamento s espcies j introduzidas e, tambm, um criterioso estudo de seleo de espcies e melhoramento gentico, visando obteno de material adequado s novas exigncias do mercado.

No Brasil, apenas a madeira de E. citriodora tem consagrada sua utilizao na produo de postes e tmida a sua participao como elemento estrutural de construes civil. A madeira de E. grandis vem ganhando espao no mercado de madeiras para construo civil, face grande disponibilidade. As demais espcies, no entanto, so praticamente desconhecidas do comrcio madeireiro, em funo da baixa disponibilidade e do total desconhecimento de suas propriedades como material de construo.

A caracterizao da madeira de sete espcies de Eucalyptus e de nove espcies de madeiras nativas est apresentada nos Quadros 1 e 2.

As madeiras de E. citriodora e E. paniculata, por apresentarem propriedades de resistncia e mdulo de elasticidade variando de mdio a elevado, podero ser utilizadas em usos estruturais. Em utilizaes que requeiram elevada estabilidade dimensional, deve-se utilizar a madeira de E. citriodora, pelo reduzido fator anisotrpico, apesar de apresentar elevados valores de contrao volumtrica.