MENU
Argentina
Certificao
Editorial
Feiras
Madeira Alternativa
Mercado
Mveis e Tecnologia
Pinus
Pragas
Transporte e Manejo
E mais...
Anunciantes
 
 
 

REVISTA DA MADEIRA - EDIÇÃO N°73 - JULHO DE 2003

Madeira Alternativa

O som da Amaznia pode ultrapassar fronteiras

De importador, o Brasil poder passar a ser um dos maiores exportadores de instrumentos musicais de qualidade internacional fabricados com madeiras da Amaznia. um mercado que se expande para as madeiras alternativas originadas de planos de manejo. Bom para o setor e para o mercado musical, que poder encontrar no pas instrumentos com padro de qualidade idntico aos importados, porm a preos bem mais acessveis, porque sero produzidos no mercado interno. Segundo informaes do Laboratrio de Produtos Florestais do Ibama (LPF), atualmente, o Brasil importa US$ 40 milhes anuais em madeiras para atender esse mercado.

O projeto "Avaliao de Madeiras Amaznicas para Utilizao em Instrumentos Musicais", coordenado pelo fsico do LPF, Mrio Rabelo de Souza pretende reverter a situao. Com a ajuda dos pesquisadores Maria Helena de Souza e Jos Arlete Camargo, do Laboratrio, foram selecionadas 50 espcies para testes acsticos entre as 400 que o LPF est reanalisando cientificamente para uso em instrumentos musicais diversos cada qual com uma metodologia especfica.

As 50 espcies sero pesquisadas para uso inicial em 10 importantes instrumentos musicais de corda, de percusso, piano e outros que utilizam madeira comercializada no Brasil, para que o LPF/Ibama possa levantar suas caractersticas especficas e firmar parcerias com seus fabricantes. No mundo todo so conhecidas cerca de 15 espcies usadas em instrumentos musicais, enquanto as madeiras alternativas brasileiras tm potencial comprovado em estudos anteriores para substituir com vantagens a maioria delas.

Os resultados do trabalho sero divulgados em um indito catlogo ilustrado com os instrumentos musicais manufaturados, acompanhados de CDs com sons que comprovaro seus potenciais acsticos, alm dos nomes cientficos e populares e das cores das cerca de 50 espcies selecionadas para tal uso. O objetivo do LPF/Ibama valorizar as madeiras alternativas brasileiras com essas propriedades, facilitar a escolha apropriada das espcies pela indstria e pelos artesos, bem como oferecer alternativas nacionais aos msicos profissionais e aos madeireiros que manejam a Floresta Amaznica.

As espcies usadas em instrumentos musicais esto entre as melhores. Elas so reconhecidas em todo o mundo como "a elite das madeiras". Acusticamente, so superiores a qualquer outro material do qual se tenha conhecimento, o que no s justifica sua utilizao nesses instrumentos como em inmeras outras aplicaes. Atualmente, os equipamentos de avaliao acstica so mais precisos, confiveis e acessveis que h vinte anos quando foram iniciadas as pesquisas com esse objetivo, o que contribuir para aumentar o nmero das espcies apropriadas.

Pesquisadores afirmam que fabricar instrumentos musicais com madeiras alternativas brasileiras uma das melhores formas para agregar valor, substituir importaes, difundir, e dar credibilidade aos produtos florestais brasileiros pouco conhecidos e utilizados no pas e no exterior.

Usar espcies alternativas da Amaznia com certificado de origem de planos de manejo sustentvel em instrumentos musicais de alto padro valorizao certa e mercado garantido dessas espcies no exterior, principalmente na Europa, com enorme tradio musical.

A gaita diatnica profissional, antes s de plstico ou de pereira importada, j est sendo fabricada com dez espcies alternativas brasileiras, entre elas Aoita-cavalo, Ip e Louro.

O projeto da gaita foi desenvolvido em oito meses. Na parceria, a Hering Harmnicas forneceu as placas de voz, o corte da madeira e as ferragens. O LPF/Ibama entrou com a escolha e a indicao das espcies, o tratamento das madeiras, a preparao das fichas e os testes de ressonncia desenvolvidos pelo fsico Mrio Rabelo de Souza, alm da montagem do instrumento. Com o sucesso da gaita diatnica de espcies brasileiras, a Hering quer participar dos outros projetos de uso de madeira brasileira em diversos instrumentos musicais.

Espcies

As 10 espcies alternativas da Amaznia testadas e aprovadas pelo LPF/Ibama para uso em gaitas so: Louro, Amap-doce, Breu-sucuruba, Copaba, Ip, Maaranduba, Mogno, Aoita-cavalo, Tocacazeiro. Mrio Rabelo informou que o Mogno (com explorao proibida no Pas) s foi usado como parmetro de qualidade para as demais espcies na manufatura desses instrumentos.

As 50 espcies pr-selecionadas pelos pesquisadores do LPF/Ibama tero seus estudos cientficos direcionados para a fabricao de instrumentos de corda: guitarra, violo, violino, viola e violoncelo, alm de piano, flauta, clarinete e xilofonone. As madeiras tambm sero testadas para instrumentos de percusso, como a baqueta. A metodologia ser a mesma utilizada em projetos antigos: avaliao estatstica para descobrir potenciais candidatos para uso especfico: tampo de violo, teclas de piano, corpo de instrumentos diversos, etc.).

Outros fabricantes tambm esto sendo convidados para confeccionar os novos instrumentos segundo as orientaes do LPF/Ibama. As espcies selecionadas pelo Laboratrio do Ibama para a fabricao de instrumentos musicais precisam ser compactas, resistentes e boas para trabalhar. Antes de testar a ressonncia das madeiras, os especialistas analisam vrias propriedades fsicas e mecnicas bsicas: peso, volume, flexo esttica, elasticidade, dureza, cisalhamento, trao e compresso paralela e perpendicular s fibras - para medir a resistncia mxima e o esforo limite de cada espcie.

Pela tradio musical da Europa, o LPF/Ibama est recebendo convites de parcerias internacionais para desenvolver o projeto e divulgar a potencialidade das espcies brasileiras na fabricao desses instrumentos. Uma das interessadas a Escola Sua de Engenharia para a Indstria da Madeira, que pretende enviar neste ano um pesquisador ao Brasil para conhecer o projeto do Laboratrio e, possivelmente, firmar o primeiro acordo de cooperao tcnica internacional com o LPF/Ibama nessa rea. A Escola de Lutheria, de Manaus, tambm est interessada em coletar amostras de espcies alternativas para testes.

Estes estudos j foram feitos no Brasil, em anos anteriores. Em 1989, uma parceria IBDF, Funarte, Inpa e IPT elaborou o projeto "Avaliao das Espcies Madeireiras da Amaznia Selecionadas para a Manufatura de Instrumentos Musicais". Foram encontradas 22 espcies adequadas para a fabricao de tampo e de fundo dos instrumentos os dois maiores problemas do mercado: Corao-de- negro (preto-acromtico); Amap-doce, Cedro, Faveira-folha-fina, Gombeira, Mogno, Muiracatiara e Tachi-preto-folha-grande (marrom-amarelo plido); Macacaba (marrom fraco); Freij-verdadeiro, Gombeira e Ucuba-da-terra-firme (marrom-amarelo fraco); Jacarand (marrom-acinzentado escuro); Morotot e Munguba (marrom-amarelado-acinzentado claro); Par-Par (marrom-amarelado-acinzentado muito claro); Muirapixuna e Preciosa (marrom-amarelado-acinzentado escuro); Tauari (marrom-amarelo muito plido); Urucu-da-mata (marrom-amarelo acinzentado); Envira-preta (amarelo-amarronzado-acinzentado claro); e Marup (amarelo-amarronzado-acinzentado muito claro).

Os pesquisadores acreditam que a iniciativa valorizar a floresta tropical a partir do uso sustentvel dos produtos, da criao de novos postos de trabalho e da gerao de renda. Para se ter uma idia do potencial de mercado, segundo a Associao Brasileira de Msica (Abmsica), entidade que congrega os fabricantes de instrumentos musicais, o mercado nacional faturou R$ 318 milhes em 2002, um crescimento de 6% sobre 2001 e bem superior ao apresentado dez anos atrs, quando beirava os R$ 100 milhes. No ano passado, as importaes chegaram a R$ 29,3 milhes, enquanto que as vendas ao exterior ficaram em R$ 9,2 milhes.

Julho/2003