MENU
Carbono
Classificao do Pinus
Colheita
Desdobro
Espcies
Geoprocessamento
Habitao
Manejo
Meio ambiente
Melhoramento
Mercado
Mercado-Europa
Mercado-Oferta
Nutrio
Painis
Pinus Tropical
Plantio
PMVA
Pragas
Preservao
Preservao
Qualidade
Resduos
Resinagem
Secagem
Silvicultura
Sispinus
Usinagem
Anunciantes
 
 
 

REVISTA DA MADEIRA - EDIÇÃO N°68 - DEZEMBRO DE 2002

Preservao

Preservao

A produo industrial madeireira j atingiu 200 milhes de metros cbicos por ano, com uma parcela de 50% de florestas plantadas, responsvel por 8,5% das exportaes efetuadas pelo pas no ano de 1995, ou 3,87% bilhes de dlares americanos.

Apesar da cifra citada acima, os pases importadores impe exigncias cada vez maiores quanto qualidade dos produtos de origem florestal, em especial para a madeira slida, onde a maior parte dos produtos qumicos normalmente utilizados para a preveno eficaz e econmica de ataque de fungos e insetos no so permitidos. Dessa forma, a madeira tratada com os produtos alternativos tiveram reduo em qualidade, em decorrncia da menor eficincia dos produtos preservantes permitidos ou, quando eficientes a ponto de dar a proteo desejada, majorao no custo de produo, muitas vezes tornando o produto final no competitivo com os de outros pases.

Dentre os agentes biolgicos que mais afetam a qualidade da madeira slida produzida para exportao, principalmente a de Pinus spp., encontram-se os fungos manchadores e emboloradores.

Embora uma boa alternativa para prevenir o ataque da madeira por fungos, seja a secagem forada a baixa ou alta temperatura, este mtodo exige investimentos fora do alcance de um grande nmero de empresas e, mesmo que o utilizem, o tratamento preventivo ainda se faz necessrio, pois durante o transporte a madeira fica armazenada em ambiente mido por tempo prolongado, favorecendo a sua umidificao e o ataque por fungos.

Torna-se indispensvel o tratamento da madeira para prevenir o ataque de agente xilfagos, em especial fungos, com produtos eficazes e no txicos, mas que sejam econmicos para que este produto industrial seja competitivo.

Atualmente as possibilidades de tratamento da madeira existentes, dizem respeito apenas ao tratamento qumico com princpios ativos de baixa toxicidade ao homem e a animais domsticos, de pouca agressividade ao ambiente, entre outras especificaes efetuadas pelos importadores, que elevam em demasia o custo do produto em questo. Contudo, os resultados almejados no so alcanados em sua plenitude, pois torna-se quase impossvel atingir todos estes objetivos, dentro de uma relao custo-benefcio favorvel.

Naturalmente, existe maior interesse no desenvolvimento de pesquisas visando o emprego dos preservantes ora permitidos. Exemplo disso so pesquisas recentes com excelentes resultados em funo de interaes que ocorrem entre os princpios ativos xido de bis(tributil-estanho) (TBTO) e 3-iodo- propinil butil carbamato (IPBC), embora produtos contendo combinaes favorecidas por este tipo de interao ainda no estejam disponveis no mercado. Este fato se d em decorrncia da necessidade de aprovao prvia pela Agncia de Vigilncia Sanitria- Ministrio da Sade, e da morosidade no trmite de processos para tal finalidade.

Devido a alta resistncia que os fungos emboloradores possuem maior parte dos princpios ativos empregados para a proteo da madeira no estado verde (tratamento temporrio), observa-se, sem exceo, que todos os trabalhos realizados em busca de eficincia e de melhor relao custo-benefcio so voltados ao emprego de produtos qumicos. Desta forma outras possibilidades de proteo da madeira so totalmente negligenciadas, mesmo quando uma possvel combinao com o tratamento qumico possa surtir efeitos positivos apreciveis.

Considerando-se o conjunto da situao atual, torna-se imperioso o descobrimento de novos produtos para dar proteo adequada madeira recm serrada, e/ou da combinao destes ou dos permitidos para esta finalidade, com outros efeitos que venham a aumentar sua eficincia e a conseqente reduo na relao custo-benefcio, de forma a tornar a madeira slida produzida no Brasil mais competitiva frente a produzida em outros pases.

A UFPR atravs do Departamento de Engenharia e Tecnologia Florestal desenvolve um trabalho de pesquisa que objetiva atender as necessidades atuais na rea de tratamento de madeiras recm serradas, suscetveis ao ataque por fungos emboloradores e manchadores, bem como reduzir ou eliminar a conseqente desvalorizao comercial.

A pesquisa busca identificar princpios ativos que atendam as exigncias dos pases importadores, bem como a utilizao de extrativos de origem vegetal que promovam a instalao e desenvolvimento de fungos emboloradores no prejudiciais na superfcie da madeira, que controlem biologicamente aqueles que se instalam e que so prejudiciais.

O estudo visa a proteo da madeira no estado verde com meios que podero ser empregados diretamente pelo industrial madeireiro, independendo da aquisio de produtos preservantes comerciais, ou pelo menos de grandes quantidades destes. Com isto, se reduzir o custo do produto industrializado, tornando-o mais competitivo junto aos pases importadores. Para tanto, os produtos a serem empregados sero aqueles com caractersticas especficas para a preveno do ataque de fungos pretendida, disponveis no mercado, plantados ou passveis de serem plantados nas proximidades das indstrias madeireiras.

Prof. Dr. Joo Carlos Moreschi

Prof. Dr. Mrcio Pereira da Rocha

Acadmica Cilene Cristina Borges

Acadmico Ronaldo Cesar Carvalho

Maio/2003