MENU
Apicultura
Artigo
Caractersticas
Carvo Vegetal
Celulose
Construo Civil
Editorial
Espcies
Eucalipto
Eucaliptocultura
Gesto
Madeira Serrada
Manejo
Meio Ambiente
Mveis
Ns
Nmeros
leos Essenciais
Origens
Pesquisa
Postes
Preservao
Qualidade
Retratibilidade
Secagem
Tratos Silviculturais
Uso Mltiplo
Valorizao
E mais...
Anunciantes
 
 
 

REVISTA DA MADEIRA - EDIÇÃO N°59 - SETEMBRO DE 2001

Preservao

Durabilidade Natural e Preservao

O apodrecimento no o mais grave problema na biodeteriorao da madeira de eucalipto, uma vez que um grande nmero de espcies produz madeiras de elevada durabilidade natural.

A norma ASTM D2017-84, de avaliao do ensaio de apodrecimento acelerado de laboratrio, estabelece critrios que consideram a madeira com perda de massa de at 10% como sendo altamente resistente, e valores de 11-24% com sendo resistentes.

Com relao aos cupins a preocupao dever ser maior, uma vez que apesar de existirem espcies de mais elevada resistncia, algumas madeiras so entretanto bastante susceptveis a tais organismos. Atravs de ensaio de laboratrio com a exposio de madeira seca de sete espcies de Eucalyptus a cupim de madeira seca a madeira das espcies de Corymbia citriodora, Eucalyptus paniculata e E. cloeziana, os cupins provocaram um desgaste variando de superficial a moderado, sendo para as madeiras de E. grandis, E. urophylla, E. tereticornis, e E. pilularis, o desgaste foi caracterizado com moderado, tendendo a acentuado.

Quando no apresenta satisfatria durabilidade natural, o uso desta madeira em locais propensos ao ataque de fungos e insetos pode se constituir em srio problema. Isto se deve ao fato do cerne de eucalipto ser praticamente impermevel penetrao de solues preservantes, pelos mtodos convencionais de tratamento sob presso. No se utilizando madeiras de espcies naturalmente durveis ou de maior grau de resistncia aos agentes xilfagos, as madeiras provenientes das rvores jovens podem facilitar a operao de tratamento por apresentar grandes propores de alburno em seus lenhos.

Por outro lado algumas alternativas existem para o tratamento do cerne de eucalipto que merecem serem discutidas. A utilizao do sistema LOSP (light organic solvent preservative), onde preservativos como PCP (pentaclorofenol), TBTO (xido tributlico de estanho) e mesmo outros inseticidas a base de piretrides, so dissolvidos em um solvente orgnico leve como o lcool de petrleo, sendo ento impregnados na madeira por processo industrial, geralmente na forma de duplo vcuo ou vcuo inicial seguido de baixa presso e vcuo final. Este tratamento deve ser realizado em peas usinadas, uma vez que este confere a madeira uma proteo superficial na forma de um envelope, o que torna suficiente para proteo desta para usos nobres como esquadrias e outros que podem estar sujeitos s condies de ataque dos organismos xilfagos. Outro meio alternativo da preservao do cerne da madeira de eucalipto est no processo de difuso, principalmente com a utilizao de substncias altamente difusveis, base de boro (brax, cido brico entre outros). Normalmente se utiliza de processos como do banho quente-frio, imerso a frio em soluo de boro e depois empacotamente das peas por determinado tempo, ou ainda imerso a quente entre outros mtodos, com resultados positivos no tratamento de peas serradas de madeira de eucalipto. Utiliza-se um sistema preservativo denominado ACA (arseniato de cobre amoniacal) no tratamento de E. tereticornis na ndia. Segundo o pesquisador possvel garantir uma boa penetrao e adequada absoro deste produto no cerne de eucalipto, alcanando assim elevada vida til para esta madeira, mesmo em locais de alto risco de ataque por organismos xilfagos.

Setembro/2001