MENU
Apicultura
Artigo
Caractersticas
Carvo Vegetal
Celulose
Construo Civil
Editorial
Espcies
Eucalipto
Eucaliptocultura
Gesto
Madeira Serrada
Manejo
Meio Ambiente
Mveis
Ns
Nmeros
leos Essenciais
Origens
Pesquisa
Postes
Preservao
Qualidade
Retratibilidade
Secagem
Tratos Silviculturais
Uso Mltiplo
Valorizao
E mais...
Anunciantes
 
 
 

REVISTA DA MADEIRA - EDIÇÃO N°59 - SETEMBRO DE 2001

leos Essenciais

leos Essenciais de Eucalipto

Os leos essenciais constituem as principais matrias-primas das indstrias ligadas aos setores farmacutico, de perfumaria e de condimentos. Os leos essenciais existem naturalmente em diversos rgos das plantas, principalmente as folhas e consistem numa mistura de mais de cem substncias slidas, lquidas e outras volteis, quimicamente complexas e variveis na sua composio.

Os mtodos de destilao pela gua ou pela vaporizao so os mais utilizados e oferecem resultados satisfatrios, com um considervel nmero de plantas.

A destilao, tal como aplicada na produo de leos essenciais, tem por finalidade separar a parte voltil do leo essencial da massa restante no voltil que permanece nas partes da planta. A operao considerada muito simples e consiste em utilizar um destilador, lanando-se nele uma mistura do material e uma poro de gua, elevando-se a temperatura at atingir a ebulio. O vapor resultante conduzido para um condensador onde arrefecido e convertido na sua forma lquida, contendo gua e pequena quantidade de leo essencial. Em funo de densidades diferentes, formam-se duas camadas bem distintas -leo e gua perfeitamente separveis.

A primeira destilao de leo essencial de eucalipto foi realizada na Austrlia pelo cirurgio ingls John White, no fim do sculo XXIII para substituio do leo de menta indicado como sedativo. White designou como pappermint-tree a planta produtora de leo, naquela data, ainda, botanicamente desconhecida. O qumico Besiste, de Melbourne, aperfeioou depois os mtodos de destilao desenvolvendo a sua aplicao na indstria e divulgando diversos usos qumicos e farmacuticos dos leos essenciais do gnero Eucaliptus. Sob o ponto de vista da sua composio qumica, qualitativa e quantitativamente, os leos essenciais de eucalipto so misturas, mais ou menos complexas, e variam com as espcies, gentica, tipo e idade da folha, condies ambientais(clima, solo, luz, calor, umidade) e processo de extrao. Predominam nesses leos os hidrocarbonetos terpnicos monoclnicos, derivados do isopreno.

J foram identificadas mais de 650 espcies do gnero Eucalyptus, mas um nmero inferior a vinte espcies so exploradas comercialmente em todo o mundo para a produo de leos essenciais.

Para o nosso pas, data a rea j ocupada pelos eucaliptos e as tendncias para o alargamento progressivo dessa cultura, os leos essenciais de eucalipto constituem um produto de crescente interesse econmico contribuindo para a valorizao da explorao florestal. Entre as espcies mencionadas, destacam-se Eucalyptus. globulus e E. citriodora.

O E. globulus tem seu valor comercial ligado ao cineol ou eucaliptol, seu principal componente que lhe confere ao medicinal. A espcie tem apresentado restries de adaptao no Brasil, embora inmeras tentativas de adaptao j tivessem sido realizadas, mas os resultados no foram satisfatrios. A espcie apresenta bom desenvolvimento no Chile, Argentina, Portugal e Espanha, com bom crescimento inicial, no formando rvore de grande porte e sua melhor adaptao est ligada a regies de climas frios. O Eucalyptus citrodora tem apresentado maior importncia na economia do pas, por ser uma espcie menos susceptvel s variaes edafo-climticas; alm de ser timo produtor de leo essencial, tambm produz madeira de excelente qualidade, muito utilizada para produo de carvo, moires, dormentes, postes, lenha para energia e outros. uma planta de rpido desenvolvimento que suporta cortes seguidos, com excelente brotao.

Embora quimicamente no apresentem a mesma constituio, os leos essenciais de eucalipto encerram um grande nmero de propriedades fsicas e qumicas comuns:

. So solveis no lcool, no ter de petrleo, benzeno e nos solventes orgnicos;

. So praticamente insolveis em gua;

. So volteis e destilam pelo vapor dgua;

. So menos densos que a gua;

. Fervem a temperaturas superiores a 1000C;

. So oticamente ativos;

. Ardem com chama fuliginosa;

. Apresentam coloraes diversas segundo a espcie, grau de umidade das folhas e idade da planta.

A aplicao dos leos essncias de eucalipto depende da sua composio.

Assim, por exemplo, o cineol usado na indstria farmacutica ou como produto de limpeza. O felandreno empregado na indstria como solvente e na flutuao de minerais; O terpinol a base da essncia artificial de lils e usada em perfumarias. O eudasmol utilizado como fixador em perfumes. O acetato de eudasmol empregado como sucecneo da essncia de bergamota e a piperitona utilizada na fabricao sinttica de timol e do mentol.

No Brasil, so poucas as indstrias envolvidas na produo de leos essenciais de folhas de eucalipto. Poucas empresas localizadas nos estados de So Paulo e Minas Gerais ainda processam folhas de Eucalyptus citriodora, mas o mercado tem sido pouco atraente, em funo da concorrncia de produtos sintticos e da grande oferta de leos no mercado internacional, reduzindo significativamente os preos.

Setembro/2002