MENU
Editorial
Efeito Estufa
Infraestrutura
Logstica
Madeira tropical
Manejo
Mveis & Tecnologia
Mltiplos Usos
Recursos Florestais
Usinagem
E mais...
Anunciantes
 
 
 

REVISTA DA MADEIRA - EDIÇÃO N°108 - OUTUBRO DE 2007

E mais

Mercado promissor para brinquedos de madeira

Para a fabricao de brinquedos de madeira so utilizados vrios processos de fabricao como serramento, torneamento, planagem, furao, lixamento, e outros. Cada uma dessas operaes requer uma habilidade direta do operador, pois so mquinas razoavelmente simples, mas no de fcil operao.

Alguns detalhes feitos nos brinquedos s podero ser feitos com ferramentas manuais como: grosa, formo, lixa, serrote, arco de serra e plaina manual, entre outras. Aps a fabricao das peas feitas a montagem e fixao que poder ser por parafusos auto atarrachantes, pregos ou cola especial para madeira, lquida ou slida.

A ltima operao o lixamento para retirada das rebarbas e a pintura para acabamento, quando for vivel. As madeiras normalmente utilizadas so o pinho, o eucalipto ou o compensado. Este um segmento alternativo promissor para o setor madeireiro, j que inclui uma ampla gama de oportunidades, bem como brinquedos didticos, brinquedos para parques, alm dos brinquedos convencionais.

A madeira usada na fabricao dos brinquedos normalmente j vem tratada para resistir ao calor e umidade, mas aconselhvel que no armazenamento esta seja protegida contra possveis aes do tempo como rachaduras provocadas pelo sol, empenamento, formao de fungos e apodrecimento. Para fazer este armazenamento deve-se guardar as tbuas, vigotas e ripas no sentido horizontal em ambiente arejado e livre de umidade excessiva. Alm das possveis aes do tempo h tambm o risco do ataque de cupins.

Cada tipo de brinquedo ou pea dos brinquedos vai necessitar de um tipo de operao, mas para as peas bsicas destacam-se:

Para a fabricao de peas planas utiliza-se a tupia (plaina para madeira) que consiste em uma ferramenta de corte rotativa que trabalha sob uma mesa metlica; a regulagem da altura definir a profundidade do passo a ser dado. A madeira que, empurrada manualmente, passa sobre o corte, fica com o acabamento liso. Um exemplo prtico para a utilizao da plaina seria a base, as laterais e o teto de um caminho de madeira.

Para fazer cortes em chapas de madeira utiliza-se uma serra de fita vertical, que consiste em duas polias sendo que, uma acionada, aciona uma lmina de serra semelhante coroa e corrente da bicicleta, sendo a corrente a serra e a coroa as polias. Para serrar empurra-se manualmente a tbua com o auxlio de um pedao da madeira evitando assim acidentes. Exemplo da utilizao da serra de fita: a lateral da cabine de um caminho de madeira.

Para se fabricar peas cilndricas, utiliza-se o torno horizontal, diferenciando-se apenas no tipo de material a ser torneado e o tipo de ferramenta. O torno horizontal realiza um movimento de rotao na pea a ser torneada que cortada por uma ferramenta que avana lentamente retirando o material at a obteno de um dimetro desejado. Na fabricao de peas de madeira utilizam-se normalmente um torno manual, ou seja, o avano da ferramenta feito pelo operador que segura com a mo um formo especial apoiado sobre uma base fixa. O avano dever ser determinado pelo operador de forma que se consiga um bom ndice de segurana. Exemplo de peas torneadas: rodas, eixos de caminho, peo, etc.

Furao

Para furar peas de madeira pode-se utilizar dois tipos de mquinas:

Arco de Pua (um tipo de furadeira manual de rpido aperto e utilizada em furos de maior dimetro e em furos com rebaixos etc.) Furadeira eltrica que poder ser manual (furadeira comum) ou de bancada (contm uma coluna que sustenta o motor e proporciona uma maior fora sobre a pea). Exemplo de peas com furao: peas fixadas por parafusos ou por pino de madeira;

A madeira, por ser de baixa dureza, tem uma propriedade que facilita muito na fabricao: ela pode ser facilmente lixada e para isso utiliza-se a lixadeira, que consiste em duas polias e uma lixa em forma de correia que, quando acionada, realiza um movimento retilneo em relao mesa. Para lixar a pea o operador dever segurar a pea com auxlio de luvas para sua maior segurana e flexionar a lixa sobre a pea at que se atinja o objetivo proposto. Exemplo: quase todas as peas planas e cantos arredondados so lixados;

A pintura dos brinquedos feita com tinta esmalte sinttico, a mesma utilizada em pintura de portas, janelas de madeira e outros. Para aplicar a tinta a pea dever estar limpa e livre de p (serragem) evitando, assim, que a tinta solte da madeira aps a secagem.

O processo de pintura vai variar de acordo com a produo. Ele poder ser:

Processo de pintura artesanal - que consiste na aplicao da tinta manualmente com pincel ou rolo para pintura em espuma. importante no aplicar quantidades excessivas de tinta para evitar escorridos e rugas na pintura.

Processo de pintura industrial - semelhante ao da pintura automobilstica. Baseia-se num compressor de ar que pulveriza a tinta e facilita a pintura homogeneizando o acabamento. Para realizar a pintura industrial utiliza-se o compressor de ar. Essa mquina utiliza um processo eletromecnico para armazenar ar em um reservatrio em ao. O ar, quando liberado, sai com presso acima do normal. Para pintura pode-se usar o compressor comum de borracheiro.

Alm do compressor utiliza-se tambm um revolver, pintura de ar comprimido e mangueira de borracha, etc.

Para aplicao da tinta por processo industrial, devem-se distribuir jatos uniformes sobre a pea, evitando excesso de tinta para no causar escorridos no brinquedo.

Quando for necessrio fazer pintura de letras e desenhos usa-se o mesmo processo de pintura de roupas, o silk screen. Esse processo baseado em uma tela de nylon que contm o inverso do desenho tapado com uma soluo especial conhecida como emulso.

Para se fabricar brinquedos, de madeira ou no, deve-se estar atento ao fato de que o selo do INMETRO obrigatrio em qualquer brinquedo comercializado no Brasil. Ele s concedido se o brinquedo for aprovado em todos os ensaios aos quais for submetido por organismos e/ou laboratrios creditados. Compulsria no Brasil, a certificao de brinquedos visa evitar possveis riscos que, mesmo no identificados pelo pblico, podem surgir no uso normal ou por conseqncia de uso indevido do brinquedo. Desde 2005, a certificao est baseada na Norma Mercosul NM 300/2002, substituindo a norma anterior, ABNT NBR 11786 e no Regulamento Tcnico Mercosul, anexo Portaria INMETRO n 108.

Fonte: SEBRAE.